5 fatos bíblicos que acreditamos ser verdade, mas não são

A bíblia é o livro mais vendido na história da humanidade, não é à toa que existam divergências quanto as suas possíveis interpretações, levando em consideração o contexto histórico no qual foi escrita e as diversas metáforas contidas nela, onde muitas religiões vão adaptando essas informações, e às vezes resultando em uma crença sem fundamento (tendo como base de estudo a bíblia), por conta de uma má interpretação.

Pensando nisso, separamos alguns desses fatos que pressupomos estarem na Bíblia… Mas não estão.




5. A prostituta Maria Madalena

De acordo com diversas pesquisas e descobertas feitas com intuito de resgatar segredos da história, não existe nenhum tipo de registro nos evangelhos que confirme que Maria Madalena era de fato uma prostituta.

Maria Madalena aparece nos Evangelhos como uma discípula de Jesus, mas é só isso. Ela não era uma prostituta e não era a única mulher em sua comitiva – outras mencionadas são Joana, mulher de Cuza e alguém chamada Susana.

As calúnias sobre Madalena surgiram quando as pessoas começaram a confundi-la com outras mulheres com o mesmo nome que o seu, que é repetido demasiadamente por pessoas diferentes na bíblia.

Existem duas personagens consideradas “Maria Madalena”apenas por compartilharem o que foi provavelmente o nome mais popular da época: Maria de Betânia, irmã de Lázaro, que cozinhou um jantar para Jesus porque parecia a coisa certa a fazer depois de ele ter ressuscitado seu irmão, e uma mulher “que viveu uma vida de pecado”, que pode ou não ter sido chamada Maria também.

Essas outras Marias cumprimentavam Jesus jogando perfume em seus pés e limpavam-nos com seus cabelos, fato que era considerado uma coisa normal na época (ninguém na história parece pensar que isso é estranho). Mas a Igreja Católica Medieval presumivelmente decidiu que haviam muitos personagens na Bíblia e que as pessoas iriam confundir todas essas Marias, foi aí que lançaram um decreto oficial, no qual as três mulheres eram a mesma pessoa.

A Igreja voltou atrás dessa alegação em 1969, mas como a maioria das pessoas não acompanha as minúcias do dogma católico, o mito é que Maria Madalena é a única tal “mulher pecadora” que limpou os pés de Jesus com seus cabelos. Aliás, a Bíblia não especifica seu “pecado”, nem que ela era uma prostituta. No entanto, as pessoas têm assumido isso, o que diz muito sobre a nossa sociedade.

maxresdefault




4. Os sete pecados capitais

Não precisa ser religioso para conhecer “os sete pecados capitais” que alguém pode cometer: gula, orgulho, luxúria, avareza, ira, preguiça e inveja.

Os sete pecados são tão amplos que incluem praticamente quase todo tipo de delito que você possa pensar. Eles não foram retirados da bíblia como os Dez Mandamentos e sim, formulados pela igreja Medieval como uma maneira mais fácil de classificar todos os pecados e consequentemente, um modo mais eficaz de manter seus seguidores dentro de uma disciplina almejada.

Esses pecados foram ditados pela primeira vez no século VI pelo Papa Gregório I, que tinha a intenção de chegar a uma pequena lista de elementos básicos que poderiam resultar na ira de Deus. Logo, esses pecados fizeram a transição da mitologia obscura para cânone da Bíblia quando Dante escreveu seu poema épico “A Divina Comédia”, mais conhecido por seu popular capítulo “Inferno”. Ele é dividido em sete círculos com base nos sete pecados mortais. Esses sete círculos, é claro, também estão longe de serem encontrados na Bíblia.

7 pecados capitais




3. Purgatório 

O purgatório não é algo que a Bíblia descreve literalmente e sim, algo que a doutrina judaico-católica sugere que deva existir, a fim de explicar para onde as pessoas vão após a morte, caso os requisitos da entrada no céu ou inferno não fossem cumpridos.

Segundo a doutrina católica oficial, a existência do purgatório foi decidida durante o Concílio de Florença em 1431, porque a Bíblia não especifica seus termos de forma suficientemente clara (tipo, algumas pessoas decidiram que Deus não ficaria chateado se eles inventassem alguns detalhes para serem acrescentados no mundo que Ele criou).

Serve basicamente como um salão de embarque para o reino dos céus, mas que é necessário uma redenção para o merecimento do andar de cima.

Mas os teólogos logo levantaram a questão: para onde os bebês vão quando morrem antes de terem a chance de serem batizados? E o que acontece com as pessoas que viveram e morreram antes de Jesus nascer?

Não seria certo mandá-los direto para o inferno sem um julgamento justo, certo? Então, vem o conceito de limbo, que diferentemente do purgatório, é onde as almas daqueles que mereciam ir para o céu ficariam presas temporariamente, mas morreram antes da crucificação de Jesus ou eram demasiado ignorantes (por exemplo, bebês) para perceber que nasceram no pecado.

É dado que os conceitos de purgatório e limbo foram inventados depois que a Bíblia foi escrita e nunca entraram no discurso popular até Dante escrever sobre eles. É, parece que a galera gosta mais de espalhar a palavra de Dante que a de Jesus.

PURGATÓRIO




2. Satanás, o único inimigo de Deus

Satanás foi um dos primeiros anjos e originalmente um dos favoritos de Deus, até que se rebelou e foi expulso para a Terra, onde se tornou o príncipe das trevas e o principal antagonista do bem. Mesmo que você não seja muito religioso, provavelmente supõe que esse cara tem um papel significativo na Bíblia.

Quando Satanás aparece no livro do Apocalipse em uma grande batalha contra Deus, é uma das únicas vezes em que uma descrição física é feita de tal indivíduo. Diferentemente das versões do diabo com rabo, chifre, tridente, pele vermelha, que muitas pessoas ainda acreditam. Mas o que é falado desse Satanás? Que ele é um dragão. Diversas vezes, aliás. Uma delas é a citação: “Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos” Apocalipse 20:2.

A maioria das referências da Bíblia que remetemos a Satanás, provavelmente está se referindo a entidades completamente diferentes. Não é tudo uma criatura só. Como por exemplo, a serpente no Jardim do Éden que convence Eva a comer do fruto proibido era provavelmente apenas uma serpente falante ao invés de um demônio que muda de forma, como evidenciado por Deus amaldiçoando-o a rastejar em sua barriga pela eternidade.

O estranho é que em uma das poucas vezes que Satanás aparece com um papel na Bíblia, ele é visto como uma espécie de conselheiro de Deus. Na história de Jó, Satanás é um dos muitos anjos que frequentam o tribunal de Deus no reino celestial. Jó é o humano favorito de Deus devido ao seu senso de justiça, mas Satanás sugere que talvez ele não seria tão justo se Deus tirasse sua riqueza e família. Deus decide que Satanás tem um bom argumento e que seu conselho é uma boa ideia.

jesus-versus-o-diabo




1. Sodoma e Gomorra foram destruídas por conta da homossexualidade

Se você pedir para alguém apontar a parte da Bíblia em que Deus condena a homossexualidade,  provavelmente irão encaminhá-lo para Gênesis 19, a história de Sodoma e Gomorra. A história conhecida é que Deus resolve aniquilar essas duas cidades por conta da homossexualidade sem pudores - inclusive daí que vem a palavra “sodomia”, que envia dois anjos para retirarem Ló de lá (o não praticante dos pecados abominados pelo criador).

Mas o que as pessoas não sabem, é que não existe referência alguma na bíblia que qualquer pessoa em Sodoma fosse homossexual e mesmo que houvesse, não seria o motivo para a destruição das cidades. Sodoma, tinha como pecado o ódio por pessoas de fora.

Na história, Deus envia dois anjos em forma humana para Sodoma para visitar Ló e informá-lo para arrumar suas coisas e preparar sua família e avisar que algo sério estava prestes a acontecer no dia seguinte.

Isso porque o povo de Sodoma era “mau” e os seus pecados eram “graves” – nada mais específico do que isso. Mas quando os vizinhos de Ló viram que ele tinha visitantes de fora da cidade, reuniram suas tochas e foram mostrar aos estrangeiros sua incrível hospitalidade (eles faziam isso, aparentemente, batendo e estuprando).

ssssssssss

E então, algo a acrescentar? Junte-se a nós deixando seu comentário abaixo.!

  1. Juninho Cineasta

    26 de abril de 2016 em 21:47

    Eu parei de acredotar nas coisas da Biblia (embora durante muitos anos eu me questionava se era verdade ou não) e a partir dai virei ateu

  2. Cyrax loops (Mortal Kombat Outworld)

    25 de abril de 2016 em 13:36

    Na verdade satanas nunca é citado como um “ser” assim como o ta espirito santo também não é. Pelo texto oque entendemos é que satanás é tudo que é ruim como uma IDEIA ruim assim como o espirito santo é a ideia boa. Mas em nenhuma parte nas escrituras diz que satanas foi anjo, nem muito menos que ele foi expulso do ceu mas sim que ouve algo como um julgamento e os anjos de má conduta(ANJOS e não demonios) que viviam lado a lado com os anjos de boa conduta foram expulsos. E o purgatório então … se nem o INFERNO é o que as religiões critãs dizem imagine o purgatorio que nem existe nas escrituras.

  3. André Arantes

    20 de abril de 2016 em 18:07

    Se homossexualidade destruísse cidades, são paulo já teria sido dizimada.

  4. Top Das Galaxias

    19 de abril de 2016 em 14:28

    Olhem só esse video que vi aqui no YouTube kkkkkk’ Muito engraçado, vale apena conferir lá, ta muito engraçado !!! Da uma conferida lá, os caras tão começando agora deem uma força pra eles lá, vcs vão gostar

    Link do vídeo : https://www.youtube.com/watch?v=gyUua49KLCo

  5. Aldair Fernando

    18 de abril de 2016 em 22:59

    Purgatório duvidas chamem ai vamos conversar
    “Os católicos romanos ensinam que todos, menos alguns santos e mártires especiais, precisam passar pelo purgatório (uma condição mais do que um local) a fim de serem preparados para entrar no céu. Agostinho introduziu essa ideia no século IV, mas a palavra ‘purgatório’ não foi usada a não ser no século XII. Essa doutrina não foi elaborada completamente a não ser no Concílio de Trento no século XVI. A doutrina do purgatório revelou ser lucrativa para a Igreja Católica Romana, mas dava a aparência de que Deus estaria demonstrando favoritismo aos ricos, cujos parentes não teriam dificuldade em pagar as missas exigidas para tirá-los rapidamente do purgatório”. Leia mais em Teologia Sistemática:
    Uma Perspectiva Pentecostal, CPAD, p.623.

  6. Kermit Figueiredo

    18 de abril de 2016 em 15:57

    Ouvi dizer sobre a história de Sodoma que o que os vizinhos de Ló queriam era transar com os anjos, pelo que Jó ofereceu suas duas filhas virgens (gesto asqueroso) no lugar deles, mas não aceitaram porque eram gays (muitos gays pra uma vizinhança, um tanto difícil de se encontrar)

  7. Izac Galdino

    18 de abril de 2016 em 15:40

    Um ponto que poderia ser tratado na continuação seria sobre o sábado que muitos teimam em dizer que foi abolido, porém não há uma passagem sequer que trate disso acima das palavras de Cristo: Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Mateus 5:17,18. Muito bom o POST.

    • Beta Sites

      23 de abril de 2016 em 12:09

      Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei. É evidente que pela lei ninguem e justificado diante de Deus, porque. O justo viverá da fé. Galatas 3:10

      O sábado e a circuncisão são partes das mais de 613 leis dadas à Moisés. Então se guardar o sábado, e não guardar a circuncisão, estamos violando a lei? Ou a circuncisão foi abolida. Caso sim, “de modo algum passará da lei um só i ou só til”, “ai daquele que remover um só til da lei”.

      Afinal, “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós Galatas 3:13”.

      “Mas agora somos libertos da lei, havendo morrido para aquilo em que estavamos retidos, para servirmos em novidade de espirito, e nao na velhice da letra”. Romanos 7:6 Romanos 7:4

      Se Cristo nos resgatou do pecado, da lei, da velhice da letra, ainda estamos debaixo da velhice da letra?

      vlw

      • Izac Galdino

        25 de abril de 2016 em 07:23

        Jesus jamais deixou o mandamento do sábado de lado, muitas vezes ele falou sobre o sábado: Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados. Mateus 12:12; Assim o Filho do homem até do sábado é Senhor. Marcos 2:28; Não vou citar muitos até para que não fique longo. Paulo também escreveu: Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei. Romanos 3:31; E para completar Antes que alguém venha com vários textos discordando do que Cristo disse: ão penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Mateus 5:17,18. Cristo por muitas vezes falou do sábado em seus sermões porém nunca disse que seriamos salvos por guardar os mandamentos pois como um dos amigos citarão: O justo viverá da fé. Gálatas 3:10 e Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2: 8, mais Jesus mesmo disse: Se me amais, guardai os meus mandamentos. João 14:15 e Tiago ainda por cima diz: Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Tiago 2:10.
        Concluindo, não guardamos mandamentos para sermos salvos mas por consequência da salvação.

    • Marcellus Losch

      23 de abril de 2016 em 10:57

      Amigo você está equivocado em sua referência, mesmo que indiretamente é citado SIM, ou não, por exemplo em todas as passagens do Novo Testamento Todos os Mandamentos são citados, Sem Exceção pelo menos algum livro do Novo Testamento é Citado, se “Não” foi Abolido como Você disse porque então não foi Repetido para o Povo, ???? mostre alguma passagem no NOVO TESTAMENTO que fale para guardar o Sábado, se ler a Bíblia, vai ver que TODOS, (SEM EXCEÇÃO) os Mandamentos se repetem no Novo Testamento, menos o da GUARDA do SÁBADO, porque será hein ?? !!!! Você sabia disso ?? Bom, acho que não…

      • Marcellus Losch

        23 de abril de 2016 em 11:01

        Se é tão Importante a Guarda do Sábado, não seria Importante pelo menos repetir No Novo Testamento como todos os Outros Mandamentos ????, porque só ele foi deixado de fora se é considerado tão importante ???? Aguardo um Resposta à Altura….

        • Izac Galdino

          25 de abril de 2016 em 07:23

          Jesus jamais deixou o mandamento do sábado de lado, muitas vezes ele falou sobre o sábado: Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados. Mateus 12:12; Assim o Filho do homem até do sábado é Senhor. Marcos 2:28; Não vou citar muitos até para que não fique longo. Paulo também escreveu: Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei. Romanos 3:31; E para completar Antes que alguém venha com vários textos discordando do que Cristo disse: ão penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Mateus 5:17,18. Cristo por muitas vezes falou do sábado em seus sermões porém nunca disse que seriamos salvos por guardar os mandamentos pois como um dos amigos citarão: O justo viverá da fé. Gálatas 3:10 e Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2: 8, mais Jesus mesmo disse: Se me amais, guardai os meus mandamentos. João 14:15 e Tiago ainda por cima diz: Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Tiago 2:10.
          Concluindo, não guardamos mandamentos para sermos salvos mas por consequência da salvação. Espero que tenha sido a altura.

  8. Greg

    18 de abril de 2016 em 11:04

    SObre a continuação de post, meu voto é :

    SIM

    • Greg

      18 de abril de 2016 em 11:06

      Desse*

  9. Carolina Bastos

    18 de abril de 2016 em 09:24

    1 – Realmente não existe inferno e nem purgatório. Esses dogmas são invenções das igrejas para por medo nas pessoas. A Bíblia não ensina isso. Pra quem não aceita isso,veja uma matéria muito interessante que prova isso: https://www.jw.org/pt/ensinos-biblicos/perguntas/que-e-inferno/

    2 – No caso de Sodoma e Gomorra, sinto muito, mas vc está errado. O bem-conhecido relato bíblico sobre Sodoma e Gomorra revela os sentimentos de Deus sobre o homossexualismo. Ele declarou: “O clamor de queixa a respeito de Sodoma e Gomorra, sim, é alto, e seu pecado, sim, é muito grave.” (Gênesis 18:20). A extensão de sua depravação pecaminosa naquele tempo ficou evidente quando dois hóspedes visitaram o justo Ló. “Os homens de Sodoma, cercaram a casa, desde o rapaz até o velho, todo o povo numa só turba. E chamavam a Ló e diziam-lhe: ‘Onde estão os homens que foram ter contigo hoje à noite? Traze-os para fora a nós, para que tenhamos relações com eles.’” (Gênesis 19:4, 5) A Bíblia diz: “Os homens de Sodoma eram maus e eram grandes pecadores contra Jeová.” — Gênesis 13:13.
    Os homens ficaram “violentamente inflamados na sua concupiscência de uns para com os outros, machos com machos”. (Romanos 1:27) Eles foram “após a carne para uso desnatural”. (Judas 7) Nos países onde são difundidas campanhas sobre direitos homossexuais, alguns talvez não aceitem o uso da palavra “desnatural” para descrever o homossexualismo. Mas quando se trata da natureza humana, não é Deus o derradeiro juiz? Ele ordenou a seu antigo povo: “Não te deves deitar com um macho assim como te deitas com uma mulher. É algo detestável.” — Levítico 18:22.
    Por isso lemos em 1 Coríntios 6:9, 10: “Não se enganem, não herdarão o Reino de Deus os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais.” (A Bíblia na Linguagem de Hoje [BLH]) Ou como diz a versão católica da Liga de Estudos Bíblicos: “Nem homossexuais . . . terão parte no Reino de Deus.”
    Falando-se biblicamente, o assunto é bastante claro, não é? A Bíblia mostra claramente que o homossexualismo é errado. As Escrituras são assim coerentes, não só mostrando os maus efeitos desta prática, mas também condenando devidamente aquilo que produz tais maus efeitos.
    Mas, entre os homossexuais tem ficado na moda argumentar que principalmente só o apóstolo Paulo, não Jesus Cristo, falou contra o homossexualismo. Quão válida é esta afirmação?
    JESUS E O HOMOSSEXUALISMO
    Ora, para começar, os que argumentam assim desconsideram que a Bíblia se refere às palavras de Paulo como fazendo parte da “Escritura” e assim sendo proveitosas para “endireitar as coisas”. (2 Tim. 3:15-17; 2 Ped. 3:15, 16) Mas um exame honesto das palavras de Jesus mostra que ele também falou realmente contra o homossexualismo.
    Ele disse, segundo registrado em Mateus 19:9, na Versão Normal Revisada: “Quem se divorciar de sua esposa, exceto por falta de castidade, e se casar com outra, comete adultério.” A palavra grega para “falta de castidade” que Mateus empregou ali para transcrever as palavras de Jesus é porneía. Porneía relaciona-se com o verbo porneúo, que significa “entregar-se a relações sexuais ilícitas”.
    O melhor modo de entender o que está incluído nestes termos é verificar como são usados em outros lugares. Uma palavra similar aparece na Bíblia em Judas 7, na descrição do pecado de certas cidades antigas: “Sodoma e Gomorra e das cidades vizinhas, que . . . cometeram imoralidade [uma forma intensiva de porneúo] e perversão sexual — eles sofreram o castigo do fogo eterno, e o exemplo deles é um aviso claro a todos.” (BLH) Por causa de que tipo de “imoralidade” ou porneía foram condenados os em Sodoma e Gomorra? A narrativa bíblica em Gênesis 19:4, 5, responde:
    “Os homens de Sodoma, cercaram a casa, desde o rapaz até o velho, todo o povo numa só turba. E chamavam a Ló e diziam-lhe: ‘Onde estão os homens que foram ter contigo hoje à noite? Traze-os para fora a nós, para que tenhamos relações com eles.’”
    Esses homens de Sodoma e Gomorra eram homossexuais. De fato, a palavra portuguesa “sodomia”, que significa especialmente ‘homossexualismo masculino’, deriva-se do nome da cidade de Sodoma. A Bíblia chama seu pecado de porneía. Jesus disse que porneía era moralmente tão errado, que servia de base para cortar os laços maritais.
    Além disso, lembre-se de que Jesus era judeu, vivendo sob a lei de Moisés. Seu uso de porneía, diz Edward Robinson no Léxico Grego e Inglês do Novo Testamento, evidentemente inclui ‘todas as relações proscritas pela Lei Mosaica’. Esta Lei incluía entre as suas injunções: “Não te deites com um homem assim como alguém se deita com uma mulher; é uma abominação.” (Lev. 18:22, The Torah, The Five Books of Moses, da Jewish Publication Society of America) Porneía, a palavra usada por Jesus, evidentemente abrange esta ordem de Deus.
    Deve-se notar também que o homossexualismo foi condenado por Deus antes de se dar a lei de Moisés. Isto é provado pelo relato sobre Sodoma e Gomorra, já mencionado; aquelas cidades foram destruídas por Deus mais de 400 anos antes de vir à existência a lei de Moisés. Jesus sabia disso. — Luc. 17:28, 29, 32.
    Sem dúvida, pois, Jesus, de fato, condenou todas essas práticas ‘sem castidade’ como homossexualismo. Conforme nos indicaria a razão, a Bíblia é coerente neste assunto. As palavras de Paulo foram apoiadas pela autoridade do Filho de Deus.

  10. André Silva

    18 de abril de 2016 em 02:26

    Satanás não é um dragão, ele se transformou em um dragão. Satanás não é uma espécie de conselheiro de Deus, ele simplesmente odeia a raça humana e propõe esse tipo de desafio só pra ver a discórdia. Inclusive Jó se fudeu todo e mesmo assim manteve a fé, imagine o ódio que Satanás deve ter sentido com isso! E o Satanás também não é como muita gente pensa, a aparência dele foi sendo construída com o tempo.A barbicha vem dos árabes muçulmanos, o cabelo “rebelde” foi herdado dos bárbaros que invadiram Roma no século 4 ou do deus grego Apolo. Os pés de bode e os chifres vem do deus grego Pã. Ainda assim não dá pra saber se o diabo é realmente um vilão, já que estudos sugerem que ele era responsável por acusar e perseguir pecadores, quase como um advogado.

    • O Último Filho De Krypton

      18 de abril de 2016 em 07:58

      Complementando:
      1 – A aparência do Diabo é como um anjo, já que ele era pra ser o 3º da trindade que, hoje, conhecemos como O Pai, O Filho e O Espírito Santo;
      2 – Acredito que, quando se fala de homossexualidade na Bíblia, é apontado Levítico 18:22 “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;”
      😉

      • Chuck

        18 de abril de 2016 em 16:14

        Não sou um grande conhecedor da Bíblia nem nada disso, mas acho que esse trecho foi escrito por Paulo, e ele era contra todo tipo de sexo. Pregava a castidade e tals. Tanto é que alguns versículos depois ele fala sobre deitar com mulher sendo pecado. Se não for esse trecho, tem um que falam isso. kkkk

  11. Aguiar

    18 de abril de 2016 em 01:35

    “Eu o desafiei, ele aceitaste meu desafio… Entra suposto filho do capeta”

19 Comentários
mais Posts
Topo