7 mitos sobre o cérebro humano

Mesmo com todo o avanço da ciência, ainda há muito o que descobrirmos sobre o cérebro humano. Por isso, é comum que alguns mitos sobre o funcionamento desse órgão prevaleçam empíricos na cultura popular. Sendo assim, preparamos uma lista com a verdade sobre 7 famosos equívocos sobre o cérebro que são sempre espalhados por aí.

83515689211104728




O CEREBRO GANHA “RUGUINHAS” NOVAS QUANDO APRENDEMOS ALGO NOVO

As ruguinhas e curvas do cérebro não vão surgindo conforme aprendemos coisas novas. Elas são o resultado de milênios de evolução, pois os humanos foram desenvolvendo cérebros maiores do que os de outras espécies, mas que ficam acomodados em caixas cranianas relativamente pequenas, forçando esses órgãos a se dobrarem sobre si mesmos.




BEBEDEIRAS MATAM MILHARES DE NEURÔNIOS

bebida2

Quando exageramos no álcool e parte dele acaba caindo na corrente sanguínea, essa substância pode chegar ao cérebro e danificar as estruturas e neurônios responsáveis por receber e transmitir informações, interferindo na forma como essas células de comunicam. No entanto o álcool não provoca a morte de milhares de neurônios, como dizem por aí.




NÓS UTILIZAMOS APENAS 10% DO NOSSO CÉREBRO

Na verdade, nós usamos todo o cérebro o tempo todo, ativando diferentes regiões para comandar as mais diversas funções que os nossos organismos realizam, e existem incontáveis estudos que apresentaram evidências fisiológicas e biológicas que comprovam isso.




OUVIR MÚSICA CLÁSSICA NOS TORNA MAIS INTELIGENTES

22.05

Apesar desse mito ser muito popular, a verdade é que não existem evidências científicas que comprovem que expor indivíduos a longas sessões de música clássica, mais precisamente às obras de Mozart, pode torná-los mais inteligentes. No entanto, estudos apontaram que a música – de qualquer tipo, desde que ela nos agrade – parece melhorar a nossa habilidade de manipular formas mentalmente. (Jean Grey Rulles, não, pera!)




O CÉREBRO É COMPOSTO APENAS POR NEURÔNIOS

O cérebro conta com um exército de bilhões de neurônios trabalhando constantemente,  mas essas células compõem apenas 10% do órgão mais inteligente do corpo. Os 90% restantes são compostos pelas células da glia, responsáveis por proporcionar nutrição e suporte aos neurônios.




LESÕES CEREBRAIS SÃO PERMANENTES

2

As lesões cerebrais não são necessariamente permanentes, e esse mito surgiu graças à crença de que nascemos com um número definido de neurônios. Contudo, hoje sabemos que o cérebro é capaz de desenvolver novas conexões para substituir as que foram danificadas e de reestruturar funções através de regiões cerebrais que continuam saudáveis.




CADA REGIÃO DE CÉREBRO É RESPONSÁVEL POR UMA FUNÇÃO ESPECÍFICA

Ao contrário do que muita gente pensa, áreas cerebrais específicas não são restritas à realização de determinadas funções. Na verdade o cérebro é extremamente flexível, e um exemplo disso é a forma como esse órgão se reorganiza para que a região responsável pela visão passe a ser utilizada de forma a melhorar o sentido da audição em pessoas cegas.

Conhecimento empírico, ou seja, conhecimento popular passado de geração em geração é o mais comum de ver ou ouvir por aí, por esse motivo o Minilua busca por fontes científicas confiáveis com o intuito de esclarecer essas falsas verdades e trazê-las desmascaradas para vocês. XD

Nos diga o que achou da matéria nos comentários!

  1. Max Stan

    29 de julho de 2015 em 15:35

    sinto minilua, mas só utilizamos 10% do nosso cérebro de cada vez. não existe estudo que comprove que utilizamos 100%

  2. Blue

    26 de julho de 2015 em 14:55

    É impressionante a capacidade humana, nós podemos pensar, nós criamos hipóteses, teorias, e embora não seja verdade que nós usamos apenas 10% (quantas vezes isso será repetido até que todo mundo entenda?), existem coisas que nós nem sabemos que somos capazes, e isso é incrível, nós não entendemos nossa própria existência, mas temos consciência dela, a mente humana é incrível, consegue criar e pensar tantas coisas incríveis, e ainda assim é capaz de fazer coisas tão terríveis, eu não entendo os humanos, são criaturas estranhas.

  3. Pedro Rodrigues

    26 de julho de 2015 em 01:06

    Pessoal do minilua.org, parabéns, adoro muitos todas as matérias de vcs e aconoanho o blogue a muito tempo.
    Uma sugestão que eu ia curtir muito (e muitas outras pessoas, eu acho) seria q qndo colocasse essas curiosidades, ja q são de fontes confiáveis, seria legal por a fonte da informação, algum link para poder entrar e ver a informação por inteiro, ou algo assim, um dia qndo a gente passar esse tipo de informação pra alguém a gente n pode falar q viu isso no minilua.org kkkkkkkkkkk
    Ia ser legal falar, tá em tal site q é bem confiável e tal.
    Fora isso, muito bom msm.

  4. Mutley

    25 de julho de 2015 em 22:21

    Acho que assim como muitas outras coisas , talvez ouvir musica clássica nos faça pensar que somos mais inteligentes , pode ser isso.

  5. Douglas

    25 de julho de 2015 em 20:25

    tem uma que diz que deu da peitos ou cérebro nunca os dois.

  6. Lidya Hyuuga

    25 de julho de 2015 em 20:14

    sera q é possivel manipular o cerebro pra ficar mais inteligente?

    • Emmanov Kozövisck

      26 de julho de 2015 em 00:12

      Eu, ao menos, não conheço métodos cientificamente comprovados que aumentem a “inteligência” do cérebro, mas há alimentos, drogas e outros fatores que podem condicionar o cérebro à determinada atividade. Entretanto, o grande problema é definir o conceito de inteligência.

  7. Carolina Dias Cezar

    25 de julho de 2015 em 20:10

    Na verdade, a gente não usa todo o cérebro o tempo todo, não é comprovado o que seria usar 100% do cérebro, portanto a gente usa a grande maioria, mas não completamente

    • Erick Renan

      29 de julho de 2015 em 11:19

      Quem disse? Nós não usamos 100% do cérebro ao mesmo tempo, mas usamos ele completamente sim. Qual seria o pretexto evolutivo para mantermos uma parcela do cérebro que não usamos? Não faz o menor sentido.

  8. Gabriel Dias

    25 de julho de 2015 em 19:59

    A do 10% já tava ligado que não é verdade.
    http://www.semsorte.com/

  9. André Silva

    25 de julho de 2015 em 18:45

    Gente, cadê o Jeff ?¿?¿?¿?¿?¿?¿?¿?¿?¿?¿?¿?¿? Ta de ferias? Viajando? Morreu? Foi demitido? Se demitiu?

    • Max_Power

      26 de julho de 2015 em 14:44

      Jeff era aquele viado né?…

      • lucas

        26 de julho de 2015 em 16:15

        q isso cara? Jeff era o mestre das potarias

    • Blue

      26 de julho de 2015 em 00:09

      Deve estar em alguma orgia em algum lugar, ele provavelmente não está morto, espero que não esteja…

    • Giovany Dias

      25 de julho de 2015 em 20:55

      Foi abduzido…

    • Wayne Griffin

      25 de julho de 2015 em 19:45

      Apesar de eu não gostar de decoração, ele tá fazendo falta.

  10. André Silva

    25 de julho de 2015 em 18:26

    Foi legal.

  11. Giovany Dias

    25 de julho de 2015 em 18:12

    “NÓS UTILIZAMOS APENAS 10% DO NOSSO CÉREBRO”
    É incrível a quantidade de gente que ainda acredita neste mito, sendo que já faz muito tempo que isto foi desmentido pelo ciência.

    • Tolerância Zero

      27 de julho de 2015 em 00:29

      Acho que o sentido desse mito tá meio confuso. Esses 10% (não exatamente 10, poderia ser qualquer número menor que 100) seriam a capacidade utilizada em termos de execução de funções complexas. Pode-se dizer que um ser humano que nasce, vive e morre numa floresta, por exemplo, usa todo o seu cérebro o tempo todo, porém, sabemos que boa parte do raciocínio que aquele cérebro tem capacidade de realizar não está sendo executado (lógica, matemática, filosofia etc.), ele está apenas focado em seus instintos, pois é o necessário à sobrevivência. Portanto, pode-se dizer que poderíamos ser mais racionais (e ainda poderemos) ao diminuir o foco do nosso cérebro em instintos.
      Hoje raciocinamos bem mais que nossos ancestrais das cavernas pois não precisamos nos preocupar com as mesmas coisas que ele, assim como, um dia, nosso corpo não precisará de alguns outros instintos tanto quanto hoje. (pode ser inventado algum jeito de manter nosso corpo sempre nutrido e alimentado sem precisarmos comer, daí não precisaríamos do instinto “fome”, por exemplo)

      • Giovany Dias

        27 de julho de 2015 em 00:48

        Dizer que hoje raciocinemos bem mais que nossos ancestrais das cavernas é um equívoco, nossa capacidade de raciocínio é a mesma que a dos primeiros seres humanos, o que aumentou foi nosso conhecimento. O cérebro pode adquirir conhecimento por toda a vida, mas isso não significa que a capacidade de raciocínio aumentou, ou qualquer outro tipo de capacidade do mesmo. Por mais que nossos conhecimentos melhorem, sempre estaremos utilizando toda a capacidade do nosso cérebro.

        • Kuzan

          27 de julho de 2015 em 11:07

          Esse comentário fez parecer que você não leu, ou não entendeu o que ele quis dizer.

          • Tolerância Zero

            27 de julho de 2015 em 17:08

            Obrigado.

    • Aguiar

      26 de julho de 2015 em 23:41

      e Lucy?

      • Erick Renan

        29 de julho de 2015 em 11:20

        É um filme de ficção, logo, não se propõe a representar a realidade.

    • Max_Power

      25 de julho de 2015 em 21:49

      A prova maior foram os Mythbusters….

  12. Wagner

    25 de julho de 2015 em 17:35

    Nunca tinha ouvido falar dessa do cérebro ganhar rugas novas ao aprender algo novo.

  13. rodrigo lopes

    25 de julho de 2015 em 17:35

    tirei um penso da consciência agora, ainda bem que beber não mata neurônios, pensei que já tava com numero negativo de neurônios

27 Comentários
mais Posts
Topo