Minilua

7 práticas religiosas que estão desaparecendo com o tempo

Algumas práticas religiosas, como o cristianismo, são consideradas comuns e compartilhadas até os dias de hoje.

No entanto, existem muitas outras religiões com seus próprios costumes e crenças. Algumas delas podem ser vistas como violentas para nós, mas são consideradas normais para os membros da comunidade onde praticam.

Porém, com a globalização afetando diretamente suas culturas, algumas dessas práticas religiosas estão desaparecendo gradualmente.

Aqui estão alguns exemplos interessantes:

Limar os dentes

A tribo Mentawai da Indonésia tem o hábito curioso de limar os dentes das mulheres para torná-los mais afiados e pontudos. Segundo a crença, isso leva a um equilíbrio entre corpo e alma, graças aos espíritos. É doloroso e desconfortável, mas aos poucos está deixando de ser praticado.

Dança do Sol

A Dança do Sol é uma prática dos nativos americanos, ela inclui danças e jejum. Porém, seus praticantes utilizam um osso para cortar a pele do peito ou das costas de uma pessoa.

Eles chamam isto de oferenda de carne e sempre foi visto como uma brutalidade. Nos Estados Unidos, a cerimônia tinha sido proibida, mas foi legalizada novamente. No entanto, não é tão comum acontecer fora de zonas indígenas.

Flagelação

Comunidades judaica e muçulmanas têm praticado a flagelação a vários anos. No entanto, esta autopunição aos poucos está sendo alterada por formas menos violentas e mais aceitas.

Escarificação

Embora algumas pessoas usem como um adorno corporal, não é uma prática comum na maioria dos países. No entanto, isto é comum em Papua Nova Guiné, onde os jovens passam por um ritual de escarificação bastante doloroso. Este costume está caindo em desuso.

Aghori

Embora os Aghori tenham surgido através do hinduísmo, os próprios hindus os rejeitam e os consideram como uma seita com práticas estranhas.

Eles praticam canibalismo e muitas vezes usam as cinzas dos mortos em seus corpos. Suas práticas giram em torno da morte e são devotos de Shiva. Porém, estas práticas estão em declínio.

Enterro Celestial

Tal prática é comum no Tibete, onde os cadáveres são cortados em várias partes e largados ao ar livre em uma montanha à mercê dos animais. É comum no budismo, uma vez que esta religião acredita que após a morte o corpo é apenas um recipiente, enquanto a alma reencarna.

Cada vez que ela é menos praticada por várias razões, incluindo o fato de que em áreas urbanas existem menos abutres. Nas áreas rurais, o Enterro Celestial ainda é praticado, mas os abutres reagem mal contra os corpos de pacientes que tomavam muitos medicamentos.

Sokushinbutsu

Esta prática budista envolve a auto-mumificação, isto é, os monges decidem tornar-se múmias para alcançar a iluminação. Esta pratica está praticamente fora de uso nos dias de hoje, mas ainda existem algumas pessoas que tentam praticá-la.

Embora houvesse muitos relatos de pessoas que praticaram o Sokushinbutsu, apenas 24 destas múmias foram encontradas ainda preservadas.