Minilua

O animal mais poderoso do planeta

Há 3,6 bilhões de anos, a vida na Terra começou sua batalha pela sobrevivência, saindo de criaturas unicelulares no oceano para complexos seres que andam sob o Sol. Todo esse tempo e a variedade de ambientes geraram uma enorme quantidade de animais diferentes, alguns mais inteligentes, outros mais fortes. Mas um dele se destaca por sua incrível capacidade de sobreviver ao “impossível”:

Vencendo a morte

Os tardígrados são pequenos animais invertebrados, descobertos em 1773 por J.A.E. Goeze. Eles medem de 0,3 a 0,5 milímetro, chegando no máximo a 1,2. Esse bichinho feio tem oito patas, cada uma contando com oito garras e seu corpo é cilíndrico.

A primeira vista eles parecem mais um daqueles animais pequenos, que vivem espalhados por todos os cantos, mas, no fundo, eles são muito mais do que isso. Os tardígrados são uma das obras-primas da evolução. Eles conseguem sobreviver a temperaturas de 150 ºC, ou seja, você pode jogar um desses bichos dentro de uma panela com água fervendo, tirá-lo depois de alguns minutos e ele vai sair caminhando normalmente.

O corpo do tardígrado pode aguentar uma pressão de 6 mil atmosferas terrestres e consegue lidar com uma radiação 1000 vezes maior do que qualquer ser humano aguentaria.

Teste feitos com esses seres revelaram algo incrível: Eles sobrevivem no vácuo do espaço. Em 2007, alguns representantes desse filo foram enviados para uma missão fora do planeta. Lá “em cima”, eles foram soltos no vácuo do espaço durante um período de tempo, onde uma radiação capaz de torrar um humano vivo os atingiu e, mesmo assim, mais de um terço sobreviveu a esse inferno. No retorno a Terra, 10% conseguiu se reproduzir normalmente, o que deu a esse bicho o título de único animal capaz de sobreviver no vácuo do espaço.

Não bastasse tudo isso, os tardígrados, que possuem uma vida curta de poucas semanas, são capazes de entrar em um modo de hibernação extremo. Quando há necessidade, eles se desidratam, entrando em um estado no qual todas as funções corporais são paralisadas. Dessa maneira, eles podem sobreviver por muitos anos em lugares totalmente inabitáveis, para acordarem quando um ambiente melhor estiver a sua volta. Essa capacidade de hibernação extrema é chamada de Criptobiose e é capaz de manter esse bicho vivo por 10 anos, sem beber uma gota de água.