Minilua

Apocalipse real: Erupção de raios gama #3

99% de todas as espécies que um dia viveram em nosso planeta já foram extintas pelas grandes forças da natureza. Meteoros, vulcões, raios gama, enfim, o Universo parece ter uma luta constante contra a vida, mostrando que, a qualquer momento, o apocalipse pode se tornar real:

Raios gama

Raios gama são um dos tipos mais perigosos e poderosos de radiação que existem nesse Universo. Esse tipo de radiação eletromagnética surge da aniquilação de átomos ou em eventos cósmicos gigantescos, como a explosão de estrelas. Normalmente esses acontecimentos duram poucos segundos, mas são tão fortes que podem ser vistos a, literalmente, meio Universo de distância.

Os raios gamas são perigosos e poderosos, pois são capazes de penetrar profundamente na matéria. Em seres vivos, eles podem destruir completamente as células. Esse tipo de radiação costuma ser usado para esterilizar objetos em hospitais, porque nem mesmo as mais resistentes bactérias ou vírus são capazes de sobreviver aos raios gama.

No Universo

Para nosso azar, os raios gamas surgem naturalmente no Universo, principalmente quando uma estrela, se transformando em um buraco negro, colapsa ou quando duas estrelas de nêutrons colidem, criando uma explosão gigantesca. Quando esse tipo de fenômeno ocorre, existe a geração de um raio luminoso no espaço, que pode ser detectado e estudado. Como uma explosão de raios gama libera tanta energia em um segundo, quanto o Sol vai liberar em toda sua vida, esses fenômenos são fáceis de serem detectados, visto e estudados.

Para nossa sorte, esses fenômenos são relativamente raros. Acredita-se que uma explosão de raios gama ocorra em nossa galáxia a cada 5 milhões de anos. A maior parte de explosões de raios gamas já avistadas pela humanidade vem de fora da Via Láctea. Mesmo assim, segundo cálculos feitos e publicados na Physical Review Letters, durante o último 1 bilhão de anos, a chance de uma extinção em massa ter sido ocasionada pelos raios gamas é de 60% e quando estendemos o tempo para 5 bilhões de anos, temos uma probabilidade de 90%.

Destruindo a vida

Com taxas tão altas de probabilidade, existe uma grande chance que a vida no Universo tenha sido prejudicada pelos raios gamas. No centro de nossa galáxia existem bilhões de estrelas, o que gera disparos de raios gamas com bastante frequência e toda vez que esses raios batem em um planeta, eles exterminam tudo que há por lá.

Essa hipótese também serviria para explicar o tão falado Paradoxo de Fermi, que é a contradição que existe entre as estimativas de existir vida fora da Terra e a falta de evidência para isso. Ou seja, é meio estranho que nós nunca tenhamos encontrado vida fora daqui, mesmo que por sinais, pois a vida parece ser algo bem provável.

Talvez, no passado do Universo, quando existiam tantas estrelas próximas, a vida tenha tido problemas em se desenvolver devido aos raios gamas é por isso que nós ainda estamos a procura de outras formas de vida por aí.

Extinção

Uma explosão de raios gama forte, que acerte em cheio a Terra, tem chances de exterminar quase 100% da vida! Isso porque nem mesmo as bactérias escapam ilesas. Eles são capazes de destruir o interior das células, mas as coisas são ainda piores para o planeta como um todo.

Digamos que uma explosão de raios gama ocorra na vizinhança e que demos o azar do disparo vir em direção a Terra. Isso pode simplesmente destruir toda a camada de ozônio do planeta, arrancando boa parte da atmosfera da qual dependemos. Caso alguns sortudos sobrevivam, em pouco tempo, o planeta vai “torrar” devido a todos os raios cósmicos que vão bater diretamente na crosta, além disso, sem as diversas proteções atuais, o Sol queimará muito mais.

Seres grandes, médios e pequenos devem morrer logo. Alguns microrganismo talvez sobrevivam, caso passem ilesos pelos raios gama iniciais. Sua sobrevivência vai depender da capacidade de adaptação rápida, pois o planeta como conhecemos terá sido destruído para sempre.