Minilua

Até 2020 a Austrália pretende exterminar 2 milhões de gatos

O governo da Austrália declarou abertamente que pretende exterminar cerca de 2 milhões de gatos por envenenamento, até 2020.

Isso porque, apesar do companheirismo doméstico, gatos são exímios caçadores de pequenas presas. O mesmo acontece com os gatos selvagens. Porém, como não podem distinguir o que podem e o que não podem caçar, acabam, de forma indireta, exterminando algumas espécies em risco de extinção. Este é, justamente, o motivo pelo qual as autoridades pretendem tomar a medida extrema, com o intuito de proteger a fauna do país.

De acordo com uma pesquisa financiada pelo governo, das 29 espécies de mamíferos extintas nos últimos 200 anos, 28 delas foram de responsabilidade felina. Outra estimativa mostra que cerca de 4 milhões de pássaros são mortos, anualmente, pelos gatos. Greg Hunt, Ministro do Meio Ambiente da Austrália, disse que as medidas extremas serão necessárias e de forma ‘humana’. “Precisamos reverter as ameaças às espécies endêmicas do país”, disse ele em entrevista.

Porém, a medida é controversa e precipitada. Segundo alguns outros estudos, apesar dos gatos, de fato, contribuírem para a extinção de algumas espécies, é preciso levar em conta inúmeros outros fatores de maior incidência, como a mudança de habitat, queimadas florestais, desenvolvimento industrial e agricultura.

A comunidade internacional tentou fazer um apelo para os grupos ambientalistas da Austrália, mas eles apoiam a medida do Governo. Porém, eles alegam que existem falhas cruciais na defesa de habitats naturais, e isto poderia ajudar muito mais na preservação das espécies do que a caça aos gatos.

Kelly O’Shanassy, executiva principal da Fundação de Conservação Australiana, acredita que quatro ações podem ser realizadas para conter o crescimento da extinção de espécies. “Precisa ocorrer o extermínio de gatos selvagens, fornecimento de lugares seguros para as espécies em perigo, melhorias no habitat e intervenção contra ações que ameacem os animais”, disse ela.

Por conta do forte apelo repulsivo da ação, o governo pretende fazer campanhas para ter o apoio da comunidade local. Assim, foi criado o aplicativo para smartphone ‘FeralCatScan’. Nele, os moradores podem entrar em contato com as autoridades para denunciar locais com grandes concentrações de gatos selvagens.

Não é ódio

Segundo o governo australiano, o extermínio acontecerá por envenenamento, através de utilização de iscas contaminadas. Gatos selvagens são os alvos principais da caça, e, normalmente, não se relacionam bem com os humanos. “Não odiamos os gatos. No entanto, não podemos mais tolerar o mal que eles estão fazendo para a vida selvagem do país. Mais de 120 espécies nativas estão em risco de extinção por conta deles”, disse Gregory Andrews, da Secretaria de Meio Ambiente da Austrália.

Apesar da medida extrema tomada pela Austrália, outros países cogitam ações ostensivas para conter a extinção por responsabilidade de gatos selvagens, como Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha. Muitos grupos de ativistas estão indo contra a ação, afirmando que uma simples castração resolveria o problema de forma humana, diminuindo a quantidade de seus bandos nas ruas.

Fonte: Jornal Ciência

Deixe seu comentário! E não se esqueça de curtir nossa página no Facebook e nos seguir no Twitter!