Biografia Minilua – Cazuza #1

cazuza

“Pra que mentir fingir que perdoou. Tentar ficar amigos sem rancor. A emoção acabou, que coincidência é o amor. A nossa música nunca mais tocou…”. Agenor Miranda Araújo Neto, o Cazuza, nasceu no Rio de Janeiro, em 04 de abril de 1958. Dotado de rara sensibilidade, ele é considerado um dos ícones da geração 80, e responsável pela criação de diversos clássicos da música nacional, entre os quais: “Faz Parte do Meu Show”, “Ideologia”, “O Tempo Não Pára” e “Codinome - Beija Flor”. Confira no post abaixo, a primeira parte do especial sobre a vida do artista. Uma boa leitura!




Primeiros Passos - Infância e adolescência

cazuza com 10 meses

Cazuza cresceu no bairro do Leblon, Rio de Janeiro. Filho de João e Lucinha Araújo, o garoto, desde cedo, demonstraria talento para escrever. Tanto isso é verdade, que ainda em 1965, ele já começava a esboçar seus primeiros poemas. Influenciado pelo trabalho do pai, produtor fonográfico, o artista cresceria ouvindo alguns dos nomes mais importantes da música popular brasileira. Entre os artistas estavam: Elis Regina, Gilberto Gil, Caetano Veloso, entre outros. Cazuza, ainda conheceria após uma viagem a Londres, os trabalhos de Janis Joplin, Led Zeppellin e Rolling Stones.

com 3 anos




Faculdade e carreira na Som Livre

cazuza_bem

Pouco antes do vestibular, o pai de Cazuza, João Araújo, havia feito uma promessa. Nela, prometia ao filho um carro caso ele passasse no vestibular. Ele, não apenas passaria, como ingressaria em um dos cursos de maior prestígio da época, jornalismo. Para a surpresa de todos, sua passagem pela faculdade de comunicação não duraria muito tempo. Longe disso, foram apenas 03 semanas, até que o artista declinasse do curso. Paralelamente a isso, o “maior abandonado”, passava a frequentar o baixo Leblon, levando a partir de então, uma vida boêmia. Meses depois, inicia uma bem sucedida carreira na gravadora Som Livre. Lá, ele trabalharia no departamento artístico, realizando uma espécie de triagem das fitas cassetes que chegavam. Com o sucesso obtido, passa a escrever releases informativos, agora, na função de assessor de imprensa.

cazuza




Barão Vermelho

Banda-Barao-Vermelho

No começo dos anos 80, Cazuza ingressaria no grupo teatral “Asdrúbal Trouxe o Trombone”. Foi nessa fase, aliás, que ele se apresentaria como cantor pela primeira vez. No mesmo período, Léo Jaime, seria convidado para ingressar em uma banda de garagem em Rio Comprido, bairro carioca. O compositor não aceitaria a proposta, mas em contrapartida, indicaria Cazuza para os vocais. Dos ensaios, que aconteciam na casa do tecladista Maurício Barros, nasceria, nos meses seguintes, uma das mais queridas bandas brasileiras, o Barão Vermelho.

E não perca amanhã, mais um capítulo deste especial. Nele, você confere, entre outros assuntos, o prestígio conquistado por Cazuza no Barão Vermelho, a participação de seu grupo no primeiro Rock in Rio, em 1985, sua luta contra a Aids, entre outros assuntos. Até lá!

  1. Chiquinha da silva

    29 de novembro de 2012 em 15:32

    Esse cara era Fodis.

  2. Francisco Félixx

    26 de janeiro de 2012 em 15:15

    eu presiso diser que te amo Cazuza

  3. Santiago Junior

    8 de dezembro de 2010 em 18:05

    Cazuza e sem duvida um cara que deixou muita saudade.
    Se ele ainda estivese por aqui, acho que a musica brasileira seria melhor, pois hoje ta uma !@#$%¨&”!

    • Eduardo Azrael

      6 de janeiro de 2016 em 14:32

      Não dá para ter certeza se a música estaria melhor; vale lembrar que, se existe tanta música ruim é porque O POVO quer ouvir essa merda. Se tem quem quer comprar, aparece quem quer vender. Se a demanda fosse por música de qualidade, com certeza aí sim estaria melhor.

4 Comentários
mais Posts
Topo