Curiosos relatos de reencarnação #1

0007

O que acontece ao nosso espírito ao nos “desprendermos” da vida terrena?

Certamente essa é uma das perguntas que mais geram teorias e dão o que falar. Será que nosso corpo espiritual viaja por um universo astral, encontra o paraíso, vira morador de uma casa assombrada no final da rua?

Estudiosos e pesquisadores, adeptos à conhecida ciência, discordam que possa existir vida após a morte, no entanto, a Física Quântica nos leva a tomar conhecimento quanto às diversas perguntas que a ciência ainda não conseguiu responder.

Uma pesquisa, iniciada há anos atrás pelo professor-doutor Ian Stevenson (1918-2007), sobre crianças que afirmam ter lembranças de uma vida anterior (você pode conferir mais sobre sua pesquisa no livro Crianças que se Lembram de Vidas Passadas), nos leva a questionar o que já conhecemos a respeito do assunto através de relatos de casos e metodologia palpável.

Jim Tucker, professor de Psiquiatria e Ciências Neurocomportamentais, sucessor de Stevenson, continua o estudo até os dias de hoje e resolveu apresentar ao mundo alguns dos mais curiosos casos de reencarnação, existem mais de 2.500 casos relatados desde 1961.

Os estudos são baseados em sinais ou marcas de nascença, deformidades ou doenças relacionadas à causa da morte. Segundo Stevenson e Tucker, crianças entre 3 e 7 anos possuem capacidade de lembrar de uma personalidade anterior pelo fato de não ter muitas memórias vivenciadas. Ao começar a falar as primeiras palavras, narram histórias consideradas fantasiosas pelos seus pais, podem apresentar distorção comportamental e características nada comuns à sua idade.




O caso de Ryan

01

Ryan é um menino de 10 anos, que mora com seus pais, (que são batistas e não creem em reencarnação), na cidade de Muskogee, Oklahoma (EUA). Aparentemente uma criança normal, não fossem suas histórias sobre filmes, musicais que se passavam nos anos 40 e 50. Tudo começou quando Ryan, aos 4 anos costumava acordar no meio da noite chorando e implorando para visitar a cidade de Hollywood.

A mãe do garoto foi em busca de informações sobre filmes das décadas em questão, quando se deparou com fotos do filme “Night After Night”, onde, Ryan imediatamente reconheceu: “Mãe, este sou eu!” referindo-se a um figurante, o qual mais tarde foi identificado como Marty Martin, que era ator, porém mais tarde, ficou conhecido como agente que transformava gente comum em artistas famosos.

00

Quando o dr. Tucker começou a estudar o caso, imediatamente declarou ter ficado surpreso com o detalhamento narrado pelo menino.

Se você olha para a foto de um cara sem falas em um filme e me fala sobre a sua vida, eu não acho que muitos de nós acertaríamos sobre a vida de Marty Martin. No entanto, Ryan trouxe vários detalhes que realmente batem com a vida dele”, disse o psiquiatra ao jornal Today.

Ryan contou que vivia em Hollywood, na rua que continha a palavra “rock”. O dr. Tucker descobriu que Marty  morou na North Roxbury Street em Bervely Hills (“rox” tem a mesma pronúncia de “rocks” – pedras em inglês). Ryan contava quantas vezes Martin havia sido casado, quantas irmãs tinha e a idade com que ele morreu, além de lembranças sobre festas e atrizes dos anos 40 e 50.

Conforme o tempo passa e Ryan envelhece, vai esquecendo destas histórias e adquirindo novas memórias.




O caso de Edward Austrian

Quando Edward Austrian começou a narrar fatos sobre a Primeira Guerra, sua mãe, Patricia Austrian relacionou o problema de garganta, não explicado pelos médicos, às histórias contadas por seu filho.

Edward costumava dizer que lembra de que, quando tinha 18 anos, estava na França, em um cenário de guerra, carregando seu rifle, quando uma bala cortou seu pescoço. Ele relatou que ainda conseguia sentir o gosto de sangue e a chuva que molhava seu rosto enquanto morria.

O menino desenvolveu um cisto na região anterior do pescoço, que doía muito e ao invés de reclamar de dores na garganta, dizia: “o tiro está doendo”.

Logo após falar sobre o assunto com seus pais, o cisto foi diminuindo aos poucos até desaparecer. O pai de Edward, que por sua vez é médico, considera muito rara a forma de como o menino obteve a cura do cisto e assim como muitos, fica intrigado com a possibilidade de que o filho tenha vivido em outra vida como um soldado.

O que dizer diante dessas histórias e fatos narrados por crianças inocentes? Seriam evidências de que a reencarnação é uma possibilidade entre nós?

De que modo as memórias de uma vida anterior são repassadas de um corpo a outro?

Alguém arrisca uma teoria?

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/Minilua

E se inscreva em nosso canal para acompanhar nossos vídeos clicando na imagem abaixo!

minilua.jpg

  1. Francisco de assis

    10 de agosto de 2015 em 22:05

    nao acredito nisto.na minha opiniao

  2. Clayton Varela

    30 de abril de 2015 em 12:52

    Simples a resposta da sua pergunta. O espírito não se multiplica, ele vem para a Terra. Ele vem de outros mundos menos evoluídos, assim, vamos para outros mundos mais evoluídos quando tivermos aprendido tudo o que devemos neste. Não somos apenas corpo com um espírito, somos espírito habitando um corpo. Ao desencarnar nos desligamos do corpo físico, e voltamos a ser o que éramos, bem como nossa memória das vidas anteriores. O objetivo é o aprendizado e o conseguinte progresso moral, daí nós reencarnarmos em outros corpos em outros lugares em novas condições sociais, etc. para que possamos experimentar novas experiências e com isso evoluirmos. Nos casos apresentados no post, segue o que acontece quando encarnamos, o espírito ao se ligar ao corpo em nova encarnação, se se impressiona com algo que lhe marcou muito em uma vida anterior, leva consigo esses “flashs” na memória. Espero ter contribuído, e se quiser saber mais, pode fazer mais perguntas, assim que puder respondo. Que esteja claro que o meu objetivo não é empurrar goela a baixo o que acredito, estou apenas respondendo perguntas as quais possuo um mínimo conhecimento.

  3. VanDrak SubZero

    10 de abril de 2015 em 17:14

    Eu lembro do que eu aprontava quando tinha 1 ano de idade (27 agora), queria eu lembrar alguma coisa da minha vida passada :p

  4. luana calabric

    9 de abril de 2015 em 17:37

    Muito bacana essa noticia do blog curtir muito Minilua..Eu acredito na vida após a morte, tem mistérios entre o céu e a terra que até hoje não foram explicados .. porque isso não seria real??

  5. Erika Mariellen

    5 de abril de 2015 em 01:27

    Nao me convenceu 🙂

  6. francisco nunes de araujo

    4 de abril de 2015 em 16:14

    Há casos de crianças, que aos 4 anos sabem tocar instrumentos musicais,ou alguns que pintam quadros,me digam então os que não acreditam em reencarnação,como essas crianças conseguem fazer isso?tais talentos artisticos,derivam de outra vida,já que na vida presente, não tiveram tempo pra aprender tais coisas.

  7. Le Corvo

    3 de abril de 2015 em 23:13

    Interessante…

  8. Rob Lucci

    3 de abril de 2015 em 18:40

    Eu me tornei espirita por questões desse tipo. Sei lá, são muitas coincidências sobre o espiritualismo e a razão da existência, e apesar da ciência explicar o porque dos eventos, ela nunca irá conseguir explicar o porque de estarmos aqui, e de nós sermos tão privilegiados de ser protegido de praticamente todos os males do universo. Bom, cada um acredita no que quiser.

  9. Greengineer

    3 de abril de 2015 em 12:28

    Aí o minilua morre e nasce uma criança com memórias das tretas e zueiras mais épicas do blog.

  10. Light/ Yagami

    3 de abril de 2015 em 11:59

    “Na minha vida eu vi que a grande verdade,é que toda verdade pode ser questionada,só duvide de quem chega como dono da verdade,pois essa é a mentira mais contada”

    • Adriano Saadeh

      6 de abril de 2015 em 07:41

      Uma das tantas frase boas do personagem e do anime

  11. Wagner

    3 de abril de 2015 em 10:21

    Gostei bastante, espero que façam uma série de posts sobre o tema 😀

  12. Max_Power

    3 de abril de 2015 em 07:25

    Podia ter contado mais historias

  13. Jeff Dantas

    3 de abril de 2015 em 04:09

    Confesso, que eu tenho minhas dúvidas. Ainda assim, é um assunto deveras interessante: http://cdn.minilua.org/wp-content/uploads/2015/04/0007_thumb.jpg

  14. Senhor do Tempo

    3 de abril de 2015 em 01:46

    Saadeh o MiniluaTV é pra ter um vídeo por mês mesmo?

    • Adriano Saadeh

      3 de abril de 2015 em 09:29

      Nas verdade é pra ter mais, dois ou mais, mas estamos um tempo sem postar. Em breve sai vídeo novo por lá
      xD

  15. Senhor do Tempo

    3 de abril de 2015 em 01:44

    Sei lá, isso é meio complexo, só se eu morrer pra saber kkkkkk

  16. Fred Baskerville

    3 de abril de 2015 em 00:56

    São por essas e por outras que eu abdiquei das religiões e me tornei agnóstico. Ciências e religião, o homem em si, não sabem NADA sobre a nossa história. Nem um dos lados tem como provar o que tem depois da morte, se é um processo de “inexistência” ou reencarnação, paraíso e afins.

    • Matheus Rodrigues

      18 de abril de 2015 em 16:25

      bla bla bla so bobagem

  17. Rodrigo Duarte

    3 de abril de 2015 em 00:47

    Tem uma pá de coisas que não entendo, dizem que as reencarnações acontecem para o espírito evoluir e que quando ele evolui ele vai para outro estágio não terreno, mas a população não para de aumentar, ou seja, além de não evoluirmos nossos espíritos se multiplicam? Por que separado escreve tudo junto e tudo junto escreve separado? Se o dia tem 24 horas por que o sol só brilha mais ou menos por 12?

  18. André Silva

    3 de abril de 2015 em 00:27

    Muitos dos casos acredito que são os pais que inventam essas histórias pros filhos, que são muito inocentes e acreditam em tudo. Mas acredito que alguns casos são verdadeiros, eu acredito em reencarnação.

  19. Tolerância Zero

    3 de abril de 2015 em 00:16

    Pode ser q sim. Talvez não. Mas acho q sei lá.

22 Comentários
mais Posts
Topo