Minilua

Coca-Cola como anticoncepcional, funciona?

Por volta de 1980 não haviam medicamentos anticoncepcionais à venda em nenhum tipo de estabelecimento em Porto Rico. Então, as pessoas, com base em testes – acho eu – sacudiam uma garrafa de Coca-Cola e literalmente faziam o líquido jorrar para dentro da cavidade vaginal para supostamente impedir uma gravidez indesejada.

Apesar de parecer uma prática bizarra, havia uma teoria, fundamentada, para o ato. Acreditava-se que o ácido carbônico, presente na bebida teria o poder de eliminar as células reprodutoras masculinas. Sendo assim, o uso de Coca-Cola como método anticonceptivo era constante.

Nessa mesma época, uma médica norte americana, chamada Deborah Anderson, visitou a ilha e demonstrou-se chocada com a prática, a ponto de querer realizar testes para descobrir no que foi baseada cientificamente essa estranha teoria. Deborah elaborou 4 testes, todos eles com Coca-cola, mas uma diferente da outra. Despejou os líquidos em tubos com espermatozoides e passando apenas um minuto ela notou que a Coca Diet havia eliminado todas as células do tubo. Já os outros tipos demonstraram ineficácia, matando apenas uma porcentagem da quantidade que seria considerada “útil” para ser tido como anticonceptivo. Não obstante, ela comprovou que a lenda não era totalmente uma farsa, e tinha sentido.

Hipótese desmentida

Após se passar dois anos, uma outra equipe de médicos, ficou intrigada com a experiência da doutora Anderson e resolveu repetir o experimento, mas com muito mais cautela. Fizeram uma análise adequada em um laboratório renomado, e foi então que, segundo os cientistas, acabaram com a lenda. Não havia nenhum indício de uma quantidade de células mortas significativa. Todos os 4 tipos de Coca-Cola deixaram mais de 70% das células vivas.

No entanto, o experimento foi realizado com espermatozoides de outras pessoas, havendo também, uma concentração muito menor deles em cada tubo. A quantidade de Coca-Cola utilizada foi inferior do que a de Deborah, e a temperatura ambiente era dessemelhante. A ação do líquido de Coca pode variar com os diferentes métodos, ambientes, e itens  utilizados. À vista disso, no corpo humano poderia ter a eficácia que os porto-riquenhos afirmavam haver.

 

A ciência é repleta de experimentos para comprovar teorias, mas nem sempre é exata, pois as variáveis são em enormes quantidades.

Curtiu? Comenta aí!