Minilua

Como a crucificação mata uma pessoa?

A humanidade já inventou muitos métodos para matar pessoas e um dos mais conhecidos de todos os tempos é a crucificação, mas, apesar disso, poucos sabem como ela realmente funciona.

Métodos de crucificação

Em uma época onde os direitos humanos se quer eram imaginados, ver a desgraça alheia era uma das grandes diversões. Nesse tempo, as crucificações ganhavam diversas variações, sempre visando dar a maior dor e sofrimento ao preso.

A mais clássica e conhecida crucificação fala de uma pessoa pregada na cruz pelas mãos e pelos pés, mas esse método deve ter sido pouco usado. Pregar alguém dessa maneira pode acabar, literalmente, arrebentando a mão do preso, o que não seria nada bom para o “espetáculo”. O modo mais comum era a “pregação” pelos pulsos.

Outro ponto importante eram os pés, pois quando alguém fica pendurado pelos braços, a dor é insuportável. Por isso, os pés servem de apoio para aliviar essa dor. Só que os crucificadores adoram ver sofrimento e, em muitos casos, quebravam as pernas dos presos, para que eles tivessem que escolher entre a dor nos braços ou a dor nas pernas.

Enfim, não há um método padrão para uma crucificação. As variações são tantas, que existem relatos de gente crucificada de cabeça para baixo, amarrada pelas mãos, presa com os braços juntos e todo tipo de atrocidade que pode-se imaginar.

Morrendo na cruz

Muito se discutiu sobre como a crucificação mata uma pessoa e um cientista chegou a se dependurar nela para tentar entender o funcionamento. No final das contas, o consenso é de que não importa a posição na cruz ou o jeito que uma pessoa é grudado a ela, pois o que mata mesmo é a falta de ar.

Antigamente, quando uma pessoa era colocada na cruz, ela normalmente apanhava e era furada com armas brancas, por isso, acredita-se que muitos tenham morrido em decorrência dos ferimentos. Já os mais resistentes, podem ter morrido por desidratação.

Contudo, acredita-se que a maior parte das pessoas tenha morrido por falta de ar. Quando alguém é preso pelos braços, isso cria uma dificuldade enorme na respiração.

Você mesmo pode testar: Erga os braços bem para cima e tente ficar respirando. Depois de algum tempo, a dificuldade começa a aumentar. Agora imagine ter que sustentar todo o peso do corpo e ainda conseguir colocar ar nos pulmões.

Por isso, os cientistas acreditam que uma pessoa pendurada com os braços para cima, se quer dure uma hora. Já quando os braços são colocados na horizontal, a mesma coisa ocorre, porém é mais lenta, causando mais sofrimento. É por esse fato que a cruz foi altamente adotada em certa época, pois trazia grande sofrimento, podendo matar a pessoa de várias maneiras e no pior dos casos, asfixiar alguém lentamente.

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/