Minilua

Como eles manipulam sua fé: Limitação #1

Atualmente existem mais de 10 mil religiões no mundo, e um dos pontos mais intrigantes nessa diversidade é que todas elas (ou quase) estão certas de que são “a única correta”, mas nenhuma delas possui provas palpáveis disto, por isso vemos mais de 5 mil deuses diferentes sendo louvados no mundo atualmente.

Em meio a essa diversidade, algumas religiões acabam apelando para técnicas menos honestas para manterem e aumentarem seus seguidores. Confira nesta série quais as mais frequentemente utilizadas:

 

Limitação

Muitas religiões, mesmo no Brasil, estão crescendo a passos largos fazendo uso de uma das mais poderosas e efetivas técnicas de manipulação em massa: “limitação”.

Grande parte destas crenças prometem uma vida melhor em diversos sentidos para os seguidores, desde que eles deem dinheiro para a divindade da mesma. Sob promessas de um paraíso após a morte e de lucros ainda nesta vida, os menos afortunados despejam suas economias, em um “mercado” que movimenta bilhões de reais anualmente.

Em geral, pessoas de fora desse grupo fazem críticas extremas a essa situação. Por isso, os líderes apontam estas como pessoas ruins e que devem ser evitadas, fazendo com que os seguidores se afastem dos antigos amigos e até mesmo de parentes que não sigam a mesma crença.

É muito comum vermos discursos de grandes líderes tratando tudo que não é estritamente relacionado com sua religião como algo amaldiçoado, que de alguma forma levará aquele que se envolver com aquilo à algum castigo em vida ou mesmo após a morte. Obviamente, esse tipo de afirmação cria um medo no seguidor que faz com que o mesmo tenda a se afastar de qualquer coisa apontada como ruim pelo líder.

A cada dia que passa, estas entidades investem mais dinheiro na criação de uma “cultura interna”, totalmente separada do resto da sociedade, onde além de lucrar com a venda dos mais diversos produtos, eles ainda afastam seus seguidores de notícias e conteúdos com quaisquer críticas que possam ser nocivas a fixação daquela crença no seguidor.

Com isso, cada vez menos os seguidores veem canais de TV comuns, vão a festas “normais” ou se relacionam com pessoas fora daquele círculo religioso. Isso faz com que uma saída da religião seja cada vez mais difícil, pois sem novas pessoas, as novas ideias, discussões e cenários, que poderiam trazer mudanças, somem e tudo fica estagnado.

Essas técnicas são utilizadas de maneira mais radical em alguns países, onde a recomendação do líder literalmente é a lei, e os seguidores não podem se envolver com qualquer coisa que não seja relacionada a aquela religião, podendo serem punidos até mesmo com a morte.

Limitando as escolhas e desejos dos seguidores, a manipulação se torna muito efetiva em cativar os mesmos. Muitos deles sequer tem a oportunidade de conhecer o mundo diferente que existe atrás do muro daquela crença, enquanto os líderes da mesma lucram com a sua existência, ao mesmo tempo que escondem qualquer coisa que poderia ajudar a quebrar este “transe”.