Como será o futuro para os humanos com a robótica e a inteligência artifical?

Os especialistas estão divididos sobre o papel dos robôs e da inteligência artificial na próxima década, algumas pessoas argumentam que eles seriam responsáveis pela criação de mais empregos no futuro, já outros acreditam que este seria o início de uma possível desigualdade de renda e um colapso na ordem social.

Morning, boss. Tech experts predict that artificial intelligence may start to displace jobs for white-collar workers too.

Os resultados vêm de um relatório do Pew Research, que avaliou quase dois mil pesquisadores com experiência em inteligência artificial (IA), robótica e economia, para saber suas previsões para o papel de automação entre 2016 e 2025. A opinião dos peritos se dividiu quase que perfeitamente, com 52% prevendo um caminho otimista e 48% se preocupando bastante com o futuro.

Os otimistas previram um futuro em que robôs e agentes digitais não tirariam mais empregos do que criariam, de acordo com Aaron Smith, co-autor do relatório. Mas a visão pessimista diz que haveria uma grande desigualdade social.

Um número de peritos advertiu que estes aspectos da evolução técnica levaria a um grande aumento na desigualdade de renda, deixando massas de pessoas desempregadas com a possibilidade de avarias na ordem social.

Quase todos os peritos concordam em uma coisa: a mudança na forma de trabalho causada pelos robôs e pela IA vai continuar e acelerar nos próximos dez anos. Onde eles discordam é na resposta da sociedade para essa mudança.

Os otimistas preveem um “boom” econômico que resultaria vastamente na redução de custos para as empresas o que conduziria à criação de novos postos de trabalho em grande número, dando mais valor as atividades que dependeriam exclusivamente das capacidades humanas. No final, Lee Rainie, outro co-autor do relatório, acredita que  isso poderia resultar em uma “liberdade para os prisioneiros do dia a dia e permitiria às pessoas enxergarem o trabalho de uma forma mais positiva e socialmente benéfica.

Jonathan Grudin da Microsoft disse que a tecnologia continuará a interromper o trabalho, porém mais empregos serão criados. Quando a população mundial era de apenas 100 milhões de pessoas, existiam centenas de milhões de empregos. Até mesmo nesse período existiam milhões de pessoas desempregadas, isto não mudará no futuro, porém o que mudará é a visão de trabalho que teremos nele .

ASIMO showing off

Mas os pessimistas se preocupam que os beneficiários da substituição da mão de obra sejam somente aqueles que já são ricos o suficiente para possuir os robôs.

As filas de desempregados poderiam se multiplicar, pessoas especializadas em determinadas áreas acabariam sendo demitidas ou teriam seu salário reduzido. E isto aconteceria simultaneamente em todos os setores econômicos, a agitação civil poderia ser o resultado.

Ao contrário das mudanças anteriores tais como quando as máquinas dominaram a agricultura e forçaram os trabalhadores agrícolas a trabalharem em fábricas, com a robótica e a IA seria diferente, diz Mark Nall da Nasa.

Devido à sua versatilidade e crescentes de recursos, não apenas alguns setores econômicos seriam afetados, mas sim todo o seu trecho.  A conseqüência social é que o emprego bem pago será cada vez mais escasso.

Uma coisa que muitos especialistas concordam é a necessidade de educação para se preparar para um mundo pós-automático. Somente os humanos mais bem educados vão competir com as máquinas, disse o sociólogo Howard Rheingold.

Qual sua opinião sobre o assunto? Acredita que o futuro com a IA e a robótica trará mais resultados positivos ou negativos para a humanidade? Comente!

  1. Blue

    11 de fevereiro de 2016 em 00:14

    É difícil prever alguma coisa, o que me interessa é como será o sistema político e econômico, em uma era onde robôs fazem o trabalho braçal e a necessidade de ter uma camada social da qual se possa aproveitar suma o capitalismo sobreviverá? Sem dúvidas a sociedade irá mudar, como já está mudando, ficando mais liberal, torço por um futuro onde as pessoas passarão a valorizar mais a cultura e a arte, e a se aceitarem, não como homens, mulheres, negros, brancos e etc, mas como humanos.

  2. Clarissa Sales

    9 de fevereiro de 2016 em 05:08

    Se a perspectiva de consumo diminuir para níveis mais baixos, as máquinas podem tomar conta doa serviços de base. Assim a perspectiva de trabalho humano pode diminuir, revolucionando, quem sabe, até os meios de produção … mas é ver para saber.

  3. Kanya

    8 de fevereiro de 2016 em 21:07

    Lendo esse post, me lembrei de ”Futurama”.

  4. André Silva

    8 de fevereiro de 2016 em 18:32

    Nossa, fui clicar num post aqui e olha o que me aparece:
    http://postimg.org/image/x7q33pg7l/
    Que loco, primeira vez que vejo isso!

    • André Silva

      8 de fevereiro de 2016 em 18:37

      2.035 usuários online e quase nenhum comentário, porra é isso!
      Ah, e agora olha o que apareceu:
      http://postimg.org/image/ca34mlcyx/
      Me senti moderador por alguns segundos, aprovando o próprio comentário.

  5. Rodrigo Duarte

    8 de fevereiro de 2016 em 18:16

    Claro que positivos. O grande problema do trabalho é que ele consome quase toda nossa vida, deveríamos dedicar a ele umas 4 horas duas ou três vezes por semana, o restante do tempo usaríamos pra descansar e divertir acredito que é isso que a evolução tecnológica irá nos proporcionar(quer dizer, proporcionar a toda a população, pois pra mim já é assim sou bon vivant).

    • Max_Power

      8 de fevereiro de 2016 em 18:34

      Mas se ninguém trabalhasse,como ganhariam dinheiro pra sobreviver?…….

      • Rodrigo Duarte

        8 de fevereiro de 2016 em 20:09

        Dinheiro!? Dinheiro nos aprisiona e nos corrompe, a tecnologia nos levará à era de aquário, onde o bem estar humano será a prioridade.

        • André Silva

          8 de fevereiro de 2016 em 20:19

          Aprisiona e corrompe os fracos, os ignorantes, porque quem tem uma mente bacana sabe usar muito bem o dinheiro e não se corrompe nem por milhões.

          • Max_Power

            8 de fevereiro de 2016 em 21:09

            “onde o bem estar humano será a prioridade.”
            Mas se vc não tiver dinheiro,como vc vai pagar pelo seu “bem estar”,nada vem de graça.
            “Aaaahh,mas o governo irá bancar a vida de todo mundo,o trabalho será realizado por robos,e as pessoas ficaram só relaxando”
            Isso seria inviavel,pois existem bilhões de pessoas no mundo,e nenhum governo irá bancar uma nação(e até um planeta)vagabundo…….

          • Rodrigo Duarte

            9 de fevereiro de 2016 em 00:51

            Não é questão de governo é evolução a humanidade tende a melhorar, muitas coisas parecem difíceis hoje, mas em comparação por exemplo com a idade média isso aqui é um paraíso, se naquela época disséssemos que viveríamos tal qual vivemos hoje ninguém acreditaria, por isso um futuro com uma sociedade que priorize o bem estar é totalmente plausível e inevitável.

          • Max_Power

            9 de fevereiro de 2016 em 08:52

            Pode até ser que as pesquisas tecnológicas se foquem no bem estar da população,hoje em dia isso já está acontencendo,mas deixar de trabalhar será impossovel,pode até ser que as maquinas façam todo o trabalho “braçal”,porem o homem fará o “trabalho cerebral”,o homem ainda terá que programar essas maquinas,caso alguma quebre o homem terá que conserta-la,logo sempre haverá trabalho,e quem não trabalhar,não vai poder pagar pelo “conforto e bem estar”proporcionados pelas maquinas………

          • Rodrigo Duarte

            9 de fevereiro de 2016 em 10:44

            O bem estar e o divertimento consiste em um cada fazer o que tem vocação, hoje em dia isso não daria certo, aqui no Brasil 90% da população seria de jogadores de futebol, cantores sertanejos e funkeiros, mas no futuro não só a tecnologia como as pessoas também serão evoluídas, quanto maior absorção de conhecimento e cultura, maior a gama de variedade vocacional do indivíduo, questões finaceiras não terão importância o trabalho será para manter a sociedade e sua jornada diminuirá drásticamente, isso não significa que as pessoas serão vagabundas, dedicar tempo à família, à cultura aos estudos, à diversão contribuirá para os avanços e passa longe de vagabundagem, isso sem contar que não paramos de evoluir então o céu é o limite, literalmente.

          • Max_Power

            9 de fevereiro de 2016 em 11:48

            Ai sim,vc explicou bem agora,seus primeiros comentarios deram a entender que o seu futuro ideal seria um em que pessoas não precisassem trabalhar,mas agora eu entendi oque vc quis dizer….

          • Rodrigo Duarte

            9 de fevereiro de 2016 em 15:21

            É que eu não queria escrever um textão , então apelei pro sensacionalismo hehehe

  6. André Silva

    8 de fevereiro de 2016 em 18:15

    Positivos, claro! Sem eles evoluídos, com quem eu vou lutar? Anos planejando por um futuro como em Eu, robô…pra quê? Pra nada? Vai ser perfeito, negativo seria se eles se tornassem uns imbecis escravos.

  7. Max_Power

    8 de fevereiro de 2016 em 17:43

    Será que é verdade?…..

    • André Silva

      8 de fevereiro de 2016 em 18:16

      É tudo mentira!

      • Max_Power

        8 de fevereiro de 2016 em 18:36

        Sei não,eles mostraram estatisticas,e como todo brasileiro,eu acredito em tudo que mencione estatisticas……

19 Comentários
mais Posts
Topo