Minilua

Contos Minilua: A Dor da Perda #231

Mistério, suspense, terror, enfim! Todos os temas são aceitos. O e-mail de contato: equipe@minilua.com! A todos, uma excelente leitura!

A Dor da Perda

Por: Leonardo Rech

Tudo começa em fevereiro de 2012, quando eu e meu amigo íamos de ônibus para o meu primeiro ano na faculdade… Foi quando conheci uma garota que era amiga de meu amigo, denominada “Garota X”. No começo ela me intrigava, eu admirava seu jeito de ser, pois ela era meiga, carinhosa, gentil e decidida, aquele tipo de mulher que impõe ordem e respeito, diferente das demais que eu já havia conhecido…

Eis que uma semana depois meu amigo tirou a carteira de motorista e começou a ir de moto para a faculdade, deixando eu e minha mais nova amiga conversando sozinhos desde então esperando o ônibus… Como eu já havia dito, seu jeito me intrigava e, de alguma forma, eu queria ter alguma relação mais séria com ela… Tomei uma atitude e comecei a falar sobre isso com ela, foi quando que ela, olhando em meus olhos, disse algo do tipo: “não namoro amigos, namorar amigos serve só para se estressar e nunca dá certo”…

Bom, fiquei sem reação, mas dentro de mim eu sentia que ainda havia uma chance, uma esperança de mudar esse conceito que ela tinha, pois sabia que ela era uma guria perfeita…

Desde fevereiro até metade de junho, eu tentei ser o mais carinhoso e atencioso possível. Falava coisas bonitas, a abraçava, fazia ela rir, às vezes ela chegava chorando do trabalho e eu fazia ou falava algo que ela gostava e se sentia melhor, depois sorria e agradecia por eu sempre estar apoiando ela, elogiava ela e as pequenas coisas que eu notava nela, como por exemplo, o corte de cabelo, unhas bem pintadas e etc…

Mas teve uma hora que desisti, pois basicamente em meio ano de tentativas ela não esboçava nenhuma reação, parecia que eu só fazias as coisas por fazer mesmo. Foi quando eu conheci outra guria, denominada por mim de “Garota Y”, até hoje fico me perguntando o que eu vi nessa garota, pois de corpo ela era bonita, sim…. não demorou muito para que eu e a “Garota Y” começássemos a namorar, mas nunca deixei e nem era minha opção deixar de falar com “Garota X”…

Durou um mês e pouco minha relação com “Garota Y”, terminamos, pois descobri que ela usava drogas, e isso eu não admitia. Só que no exato dia em que eu assumi um namoro com a “Garota Y”, a “Garota X” se dizia estar perdidamente apaixonada por mim, falando coisas do tipo “eu sou uma burra, idiota em confiar e me iludir” e chorava na minha frente.

Quando parecia o bastante, a “Garota X” falou para umas 7 amigas dela, e todas tiveram um ódio mortal sobre mim, até hoje passam e me olham com cara feia. Foi então que a “Garota X” parou de falar comigo… Fiquei mal, como eu ia adivinhar que ela teria gostado de mim sendo que ela não esboçava nenhuma reação? Pois tudo o que ela falava era só “obrigado” por  animar ela. Mas enfim, segui meu namoro com a “Garota Y” por um mês e pouco…

Dias após terminar com a “Garota Y”, queria conversar novamente com “Garota X” e, quando tomei coragem, recebi a notícia de que a “Garota X” havia se mudado para outro estado… Chorei por um mês, me culpando mesmo não tento culpa… Mas como me ensinaram a ter caráter, eu assumi a culpa e coloquei na cabeça: “perdi o amor da minha vida”.

Fiquei arrasado, mal, caído, sem vontade de fazer nada, nem a Libertadores que o Corinthians havia ganho me animou…Passou o restante de 2012 e 2013, quando que na primeira semana deste ano (2014), a “Garota X” voltou a falar comigo, alegando que estava com saudades… Obtive um brilho nos olhos, um sinal de esperança, um empurrão suficiente para eu tentar recuperar ela…

Voltamos a nos falar depois de um ano e meio. Claro, eu comecei pedindo desculpas por tudo que eu havia feito, pelo fato de “eu ter trocado ela”, sendo que, como relatado, a culpa não foi minha, mas deixei por baixo e assumi a culpa. Expliquei tudo o que eu passei, o quanto me arrependi e ainda me arrependo de ter deixado ela ir, só queria que ela voltasse, para dar o amor e carinho que ela merecia ter.

Ela pediu desculpas por me fazer passar por isso, e disse que não queria fazer eu mudar, mas confesso que mudei sim, mudei pra melhor, amadureci, aprendi o quão importante é amar e confiar em alguém…
Adiantou, quando foi em março ou começo de abril, já em conversas mais avançadas, ela me disse seu primeiro “eu te amo”, fiquei sem palavras e cheio de alegria…

Não demorou muito para nós nos apaixonarmos perdidamente um pelo outro fazendo planos e trocando carícias, perguntava todo dia pra ela como foi o dia dela, se ela estava bem, e acordava ela com um bom dia…

Era difícil, pois nós daríamos muito certo e a distância atrapalhava, mas isso era o de menos… Eis que o aniversário dela aproximou-se e ela viria me visitar, por conselhos de minha mãe, eu iria dar alguma lembrancinha sem compromisso, pois não queria deixar ela de mãos abanando, ela até queria me dar algo em troca, eu falei que não precisava, pois ela me dando um abraço e um beijo já era o suficiente…

Chegou o aniversário dela, ela não pôde vir, portanto tomei a liberdade de escrever o que eu sentia dela, o quanto ela era importante para mim e por ela ser essa pessoa maravilhosa que é, ela agradeceu com mil juras de amor…

Tudo parecia perfeito até aqui… Mas acabando julho, entre a última semana de julho e até a metade da primeira semana de agosto ela não falou mais comigo, tentava me evitar, eu perguntava se estava tudo bem com ela e ela dizia “sim” seco, sem ânimo. Foi quando ela abriu o jogo, ela disse que acabou fazendo amor com outro cara que ela estava gostando.

Agora você deve me perguntar: “tá, mas o que é de tão pior nisso?” o pior era o fato dela ser virgem e quase um mês mais velha do que eu, ela tinha prometido pra mim que quando ela quisesse fazer, ela faria com o amor da vida dela, que acordasse no outro dia e percebesse que o amor da vida dela ainda estava lá, ela não queria ser “só mais uma”, eu queria ser esse cara, e esperava o tempo que precisasse para ela estar pronta.

Como se já não bastasse, tudo isso ocorreu 2 dias antes do meu aniversário (detalhe: ela sabia do meu aniversário)…Caiu meu mundo, quando já havia poucas esperanças eu resolvi perguntar: há quanto tempo isso ocorreu, ela me respondeu: “A história minha e do outro rapaz é longa, começa um pouco antes de eu voltar a conversar contigo esse ano”…

Agora imagina a cena de sua mãe confiante de tudo, chegar em casa do trabalho feliz e contente e desaba por completa ao receber uma bomba dessas? Pois é, eu contei pra minha mãe… Me arrependi um pouco, pois foi em questão de segundos para ela sentar no sofá e quase deixar cair uma lágrima… O pior é ver ela falando: “filho, eu não quero te ver assim”…

Eu podia ter esculachado ela, esquecer ela da minha vida, falar mal dela para meus amigos e eles sentirem raiva dela, fazer os “caralho a 4”, exatamente o que ela fez comigo em 2012… Mas não, eu fui paciente, tratei ela bem, ela ainda disse: “não me trate bem, olha o que eu fiz pra ti, não tem perdão”, mas mesmo assim eu não falei e nem fiz nada de mal para ela, disse que a escolha foi dela e que era para ela seguir a vida dela em frente e erguer a cabeça, era cada um para o seu canto agora, não procuro nenhuma vingança nem nada, tanto que eu quero é que ela seja feliz, pois o cara quer namorar. Ela terá uma companheiro pra vida, mas não vejo futuro na nossa relação, pois a confiança caiu e muito. Eu disse tudo isso pra ela, e até agora ela não me mandou resposta…

E agora amigos, o que posso dizer com esses 3 anos? Eu não fui carinhoso e amoroso o suficiente? Não chorei até agora por ser frio demais ou por ser muito forte? Faltou algo em mim? Eu sou um retardado pra caralho quando decidi não me vingar, ainda por cima dar moral e ainda tentar esquecer a situação? Ou homens que deem amor e carinho que nem eu dei estão em falta?

Por isso que eu digo, se você tem namorado(a), vá correndo abraçar e beijar, diga que a pessoa que está ao teu lado é importante na sua vida, não cometa o mesmo erro que eu…”