Minilua

Contos Minilua: Apolo e Selene #54

E desde já, contamos com a sua participação. Lembrem-se: o site é livre, e sempre será. Uma boa leitura a todos!

Apolo e Serene

Por: Marilyn Bela

Nos primórdios da criação do Universo nasceu a mais bela história de amor que a humanidade viria a conhecer.

Um amor tão forte, que sobreviveu durante milhões de anos, que nos desafiou a ir para além do imaginário, que nos ensinou o verdadeiro significado do amor!Estou a falar do amor entre Apolo e Selene.

Quando o universo foi criado, guardiões juraram manter o equilíbrio entre o bem e o mal. Cada um dos Guardiões tinha o poder de criar um mundo à sua maneira. Eu sou um desses Guardiões, o meu nome é Shinigami.

Desenhei um mundo cheio de flores e rios cheios de vida, os seus habitantes eram belos, dóceis e possuíam longas asas que lhes permitiam voar.

Todos os habitantes de Paratiisi eram especiais, mas apenas dois deles eram essenciais para a sobrevivência do meu mundo. Eles eram Apolo e Selene.

Apolo iluminava o dia, enquanto Selene rasgava as Trevas durante a noite. Um não podia viver sem o outro. Durante anos viveram em harmonia sem saberem da existência um do outro.

Mas tudo mudou quando um dos habitantes, apaixonado, se declarou a Selene quando esta estava a adormecer. Ela ficou encantada com palavras tão belas, que não conseguiu adormecer.

Do outro lado do oceano acordava Apolo. Os dois se viram pela primeira vez. Encantados com a beleza que os seus olhos estavam a enxergar, correram ambos na mesma direção, deixando atrás de si um rastro de puro amor.

Juntos, fizeram as mais belas juras de amor eterno. Perante tais juras fiquei sem ação, pela primeira vez na minha vida estava a sentir o que era o amor, que as pessoas tanto falavam.

Um rio de lágrimas foi o que veio a seguir, quando lhes disse que não se podiam amar, não podiam estar juntos.

Por mais que eu lhes explicasse que a existência de Paratiisi dependia disso, eles não queriam saber, apenas queriam viver um ao lado do outro.

Peguei em suas lágrimas e criei um lago, que batizei de lago dos amores. Em suas águas pintei Apolo a abraçar Selene, para que eles nunca mais se esquecessem um do outro!

Todos os dias, todas as noites eles olham para o lago e sorriem, na esperança de que um dia estejam juntos novamente. Esse amor continua vivo até os dias de hoje. E a cada dia que passa ele cresce mais um bocado. Ele nos ensina a amar, a viver, a encontrar a felicidade.

Nem que seja num lago imaginário, num mundo muito longe da imaginação de todos.