Minilua

Contos Minilua: As escrituras das 100 mil almas #193

E sim, para participar, não tem mistério. Para tal, envie o seu texto para: equipe@minilua.com! A todos, é claro, uma excelente leitura!

As escrituras das 100 mil almas

Por: Felipe Belmiro

No primeiro ano da assim chamada nova hera, os países menos desenvolvidos resolveram criar uma aliança, adotar novos meios de governança e tecnologias de produção de energia. Combustíveis fósseis, energia nuclear e qualquer outro tipo de energia degradante a atmosfera fora banida, a migração para as formas de energia limpa fora um desastre, os avanços tecnológicos converteram tudo para o uso de energia elétrica, e os meios de produção de energia limpa não eram o bastante para suprir esses países, a corrida por uma nova fonte de energia avia começado ali.

Os avanços da ciência haviam possibilitado o uso seguro da Antimatéria como fonte de energia, porém seu potencial como arma era bem maior, despertando a desconfiança de vários países, 3 anos após o inicio do uso da Antimatéria como fonte de energia, surgiu a primeira bomba de Antimatéria, uma arma com poder equivalente a 4000 vezes o poder da bomba atômica de urânio. o medo tomou conta de todo ser vivente, dando início a uma corrida armamentista e preparatória para uma 3º guerra mundial.

A guerra não tivera motivos específicos, a não ser o medo de que o país vizinho poderia ser mais poderoso. Não se sabe ao certo quem deu o primeiro tiro, só se sabe que esse primeiro tiro derrubou o primeiro dominó de uma cadeia já prevista. No total 3 bombas de Antimatéria explodiram, 2 países ficaram inabitáveis, a população do planeta fora reduzida para menos da metade, e as expectativas eram de diminuir mais ainda, comida água e abrigo, tudo era escasso, doenças começavam a se espalhar, a terra agora não passava de uma forma física de se estar no inferno ainda vivo.

Relatos de criaturas bizarras começaram a surgir, seres nunca antes vistos surgiam de todos os cantos, não havia um traço de um animal já conhecido pelo homem neles, criaturas bizarras e grotescas, que aparentavam ter saído do pior dos pesadelos, ou dos melhores livros de terror que não foram escritos, não demorou a se descobrir que aqueles seres eram demônios, e agora a terra vivia o apocalipse.

Nossas armas eram inúteis, todos os nossos meios de nos defender, pareciam não surtir efeito neles, armas mais pesadas conseguiam causar grandes danos, porém eles pareciam ser movidas por uma força que não era viva, alguns continuavam a lutar mesmo sem cabeça, vários morreram tentando si quer fazer essas coisas balançarem, mas nunca obtiveram êxito. Nos recuamos, esperamos, na esperança de que assim como apareceram fossem embora.

1 mês após a primeira aparição dessas criaturas, começaram a encontrá-las mortas, em muitos casos apenas restos, rapidamente a pergunta tomou conta de todos, “como?”. Pouco a pouco, começavam a chegar notícias de que pessoas aparentemente comuns estavam matando esses demônios, eles diziam que essas tais tinham forças descomunais, e velocidade que não podia ser acompanhada pelos olhos, carregavam grandes espadas no estilo medieval e aniquilavam esses monstros sem muitos esforços.

A frase era única em todas as línguas, “os anjos estão entre nos”. O grande problema era que esses tais “anjos”, não vieram nos ajudar, eles vieram caçar e matar essas coisas, e não hesitariam nem pensariam duas vezes em matar um ou vários humanos para obterem êxito, eram soldados e não eram diferentes de um soldado humano, nós estávamos no meio do fogo cruzado.

Cumpriu-se o desejo de todos, assim como apareceram eles também sumiram, deixando como rastro, o medo de um retorno, e as marcas de que estiveram aqui, marcadas a ferro em nossas mentes, todos que ainda restaram, deram início a uma transmissão em ondas curtas, que deveria ser repassada, várias e várias vezes até cobrir o máximo possível dos que ainda restaram, com o objetivo, de nos juntar, e ter a esperança de começar de novo.

No 4° dia desta transmissão, fora captada outra por cima, era uma mensagem, em linguagem caótica, nos esforçamos e traduzimos, a mensagem era uma mistura de latim e hebraico antigo, e dizia que esses seres eram realmente anjos, e que haviam retirado a guerra para outro plano porém na mesma dimensão, mas que ainda estavam aqui, e que nos preparássemos, pois ao fim desta guerra eles poderiam voltar, para irem embora, ou prolongá-la por mais tempo. 1 ano depois do recebimento dessa mensagem, um deles voltou, e contou o que estava acontecendo, e que estava próximo o tempo de voltarem, ele nos contou para que nos preparássemos, e os relatos foram bem claros.

Após a retirada para outro plano a guerra ainda se prolongou por mais mil anos, isso só foi possível, pois o tempo naquela dimensão passa diferente ao nosso.Tendo durado a guerra 1000 anos, os resultados foram catastróficos, ambos os lados perderam milhares de combatentes. Após esse tempo de guerra, alguma coisa, algum tipo de sentimento não conhecido pelo homem, tocou a mente ou a alma dos guerreadores, si é que eles têm, abrindo seus olhos para oque estava acontecendo, neste momento de pura epifania, eis que foi revelada uma verdade, a única verdade que ali existia, era a de que aquela batalha não levaria a lugar nenhum, milhares de mortos, amigos, companheiros, amigos de longa data, irmãos e inocentes foram mortos, e ainda assim nem um resultado ou vestígio de uma vitória havia sido dado.

A Trégua era simples e bem direta, dizia: “NENHUM LADO QUE AQUI TOMA PARTE NESTA PELEJA, DEVERÁ ATACAR SEU ADVERSÁRIO, A MENOS QUE SEJA ATACADO ANTES, DURANTE A TRÉGUA NÃO EXISTEM INIMIGOS, APENAS PONTOS DE VISTA DIFERENTES, TAMBÉM NÃO SERÁ TOLERADO O PRECONCEITO POR RAÇA OU GRAU DE HIERARQUIA ENQUANTO DURAR ESTE TRATADO, AQUELE QUE O DESOBEDECER, A ESTAS ESCRITURAS ENTREGARÁ A SUA VIDA”.

O tratado foi denominado “As Escrituras Das Cem Mil Almas”, isto por ter sido selado com as almas de 50,000 anjos, e a mesma quantidade de decaídos (anjos expulsos do paraíso, com grau de hierarquia equivalente ao de um comandante no submundo). Para validar o tratado fora gerada uma criança, criada a partir das gotas de sangue de cada um que havia colocado a sua alma naquele tratado, esta criança teve seu corpo moldada e treinado, a criança era o símbolo e o guardião da trégua, seria ela responsável pela paz dentre os dois lados e a terra.

A criança recebeu o nome de “Zabediel a Paz Na Guerra”, Zabediel recebeu ensinamento de ambos os lados, e foi lhe ensinado o controle, dos que eles chamavam de as quatro artes, que consistia nas técnicas de artes marciais, artes místicas, artes alquímicas, e artes cientificas.A criança foi ensinada, até virar um menino, o menino foi treinado, até virar seu próprio mestre, sempre tendo como professores, mestres e conselheiros, os oficiais, cujos nomes entregaram as escrituras.

Ao completar 16 anos de idade Zabediel, por algum motivo começou a pensar que era o mais forte que caminhava sobre a terra, com isto em mente não demorou muito para que, o agora traidor tentasse dominar a terra, em segredo seus mestres e agora escravos, descobriram uma maneira de extrair a maior parte de seu poder, porém havia um preço alto a se pagar por um ato tão heroíco, esse método se baseava em pura alquimia, e a alquimia tem uma regra, uma lei, “para receber ou recriar algo, e necessário algo de valor semelhante ao mesmo”, e um ritual de tamanho poder não poderia ser realizado de maneira tão simples, não pela alquimia, o ritual exigia algo justo pelo seu resultado, a alma de seus realizadores como fonte de energia e espécie de selo para o que seria aprisionado.

Continua…