Contos Minilua: No limite da amizade #45

E como sempre, contamos com a sua participação. O e-mail, como se sabe: [email protected]! Uma ótima leitura!




No limite da Amizade

Por: Waldenis Lopes

Eu não entendo estes sentimentos todos… É uma coisa que eu, não consigo explicar…Ontem, ele me beijou no banheiro da escola, uma coisa não tão comum quanto se parece. Afinal, não é nada educado um homem entrar no banheiro feminino.

Ele me disse que não podia mais aguentar, se segurar, e queria algo além de nossa forte amizade… Eu fiquei constrangida, sem saber o que dizer… Saí correndo do banheiro e fui depressa para a minha sala de aula. Ele não se atreveu a entrar, apenas disse que queria falar comigo depois da aula. Eu concordei e ele se foi.

Eu estava me sentindo muito estranha e ao mesmo tempo, feliz. Estranha em ter beijado um quase irmão pra mim, e feliz por saber dos seus sentimentos por mim. Adonnes era um garoto realmente bonito e extremamente simpático. Conhecemos-nos há pouco mais de um ano, num evento cultural que havia na cidade. Naquela época, eu realmente havia me interessado por ele, porém, ele tinha uma namorada. Então, nos tornamos conhecidos, depois colegas, amigos e enfim nasceu uma grande amizade entre nós.

Ele terminou o seu romance há alguns meses, ele me disse que ela o havia enganado, mostrado a ele que ela era outra pessoa, que ele não conhecia.

Isso acontece, às vezes… Nós nunca conhecemos tão bem uma pessoa. Mas é claro, toda regra há exceções. E minha amizade com Adonnes era esta exceção. Minha confusão se foi. Eu realmente queria subir mais um nível neste relacionamento. Um namoro. Quem sabe…?

Eu sempre sonhava com ele… Com seu sorriso e seu carisma. Seu rosto fino e delicado, seus olhos cor de mel, seus cabelos negros e sua voz suave. Mas eu o via só como um amigo… Agora, depois do que ele disse, um sentimento acordou dentro de mim.

O sinal da saída tocou e aquele beijo que ele me deu não saía do meu pensamento. Quando o vi me esperando no portão do colégio, meu peito queimou, e fui ao encontro dele.

- Já que amanhã não tem aula Andressa, gostaria que você fosse lá em casa. Assim, poderemos nos entender melhor.  -Adonnes dizia isso num tom de voz muito calmo. – Não se esqueça. Amanhã, às dez horas, na minha casa.

Confirmei com a cabeça e nos despedimos com um abraço. Só com um abraço.

Hoje, é o dia de colocarmos os pingos nos is.

Adonnes me esperava em frente à sua casa com um brilho no olhar. Seu rosto resplandecia de alegria.

- Que bom que você veio. Por favor, entre. Sinta-se a vontade.

Sentamos no sofá da sala. Uma sala grande e bem decorada. Já tinha ido diversas vezes à casa dele, mas desta vez, havia alguma coisa estranha naquele ambiente…

- Onde está a sua mãe?

-Ela saiu. Foi visitar uma tia minha e só volta à noite.

Suspeitei. Estávamos a sós. Sinal de perigo. Nunca tínhamos ficado sozinhos na casa dele. E aquilo me incomodava.

Então, Adonnes começou a falar. Dizia que estava apaixonado por mim, que cultivava este amor depois que nos conhecemos. E que quando terminou com sua ex-namorada, só pensava em mim. Ele fez uma verdadeira declaração de amor. Fiquei impressionada. Eu já esperava algo assim, parecido, mas ele me surpreendeu. Até que veio uma pergunta fatal:

-Andressa… Quer namorar comigo?

Aquilo caiu em cima de mim como uma bomba atômica. Eu pensei que seria mais fácil ouvir aquelas palavras, mas não foi. Vieram-me então diversos pensamentos. E se não desse certo? E se estragasse a nossa amizade? E se eu magoá-lo? Machucá-lo? Fiquei extremamente confusa! O que dizer? Eu sinto um amor fraterno ou romântico por Adonnes?

- Preciso pensar…

- Pensar pra quê, querida? Apenas diga que sim.

- Mas eu não tenho certeza…

- Não tem certeza…? Hum… Sei. Existe outro cara que você está gostando, por acaso?

- Não é nada disso, Adonnes… Só estou com medo. Medo de não dar certo. Uma amizade virar namoro. E se nos magoarmos?

- Garanto que isso não irá acontecer. E nosso namoro, se não der certo, não estragará a nossa amizade, disso eu tenho certeza.

- Ok. Tudo bem. Mas mesmo assim… Preciso de um tempo para analisar a situação.

- Ouça-me, Andressa. Eu gosto muito de você… Não! Eu te amo! Estou apaixonado por você! Quer mais prova de amor do que estas palavras? Diga-me que eu faço! – o tom de voz de Adonnes mudou. Ele parecia inquieto, desesperado em ouvir minha resposta. Ele estava muito estranho. Diante daquela postura, me calei e o observei com atenção.

- Eu dou tudo o que você quiser! Diga-me! O que quer? Joias? Dinheiro? Roupas? Passeios? Peça qualquer coisa que eu te darei! –Seu olhar pacífico se transformou num oceano com vastas ondas. Ondas turbulentas. Ondas violentas.

Ele começou a ficar impaciente. Eu conhecia pouco deste lado de sua personalidade. Da última vez que o vi assim, foi quando sua ex esqueceu-se de avisá-lo que estava indo viajar para outro estado. Quando ela voltou, eles discutiram.

Adonnes me segurou pelo braço, suavemente e começou a me beijar.

- Você não me quer? Diga que não quer este corpo aqui. Eu te desejo! Sonho com você todas as noites. E eu te quero!

O quê? Adonnes me beijava e me agarrava, passeava com seus lábios pelo meu pescoço e me alisava. Ele estava louco? Onde estava todo aquele respeito? Sentia-me abusada. Ele queria me possuir, me ter como um troféu, seu prêmio. Afastei-me dele e fiquei em pé.

- Eu não quero nada! Não vai me deixar pensar? Então essa é a minha resposta! Que abuso, Adonnes! Que atrevimento! – Eu estava escondendo o meu medo, minha insegurança, naquele momento tentei ser o mais firme possível.

- O que houve queridinha? Pensei que me desejava também… Tudo bem. Deixarei você pensar por alguns instantes… Enquanto isso eu vou ali ao meu quarto e já volto. – Um sorriso de malícia surgiu em seus lábios e Adonnes se afastou e saiu da sala.

Puxa vida… E agora? Eu não sabia o que dizer, não conseguia nem pensar direito. A única coisa que passava pela minha cabeça era a ideia de ir embora. Ai não… Adonnes havia trancado o portão… Estou prisioneira neste calabouço? O muro era muito alto, que droga… Nunca fui fã de educação física, e eu não tenho tanta audácia para pular qualquer muro. Como eu poderia sair daqui sem deixá-lo nervoso? Precisava inventar alguma desculpa… E depressa!

- Andressa! Andressa! – Sua voz cantarolava o meu nome. Ele estava armando alguma.

- O-oi… – respondi insegura. O leão estava se aproximando para abocanhar sua presa. Engoli em seco quando vi aquela imagem.

Adonnes estava seminu. De cueca vermelha e me encarando com intensidade. Seu corpo era lindo, admito. Um falso magro com os músculos pré-definidos. Sua pele branca era mais clara nas partes ocultas pelas roupas. Ele passou as mãos pelos cabelos lisos e negros e colocou as mãos na cintura.

- O que faz no quintal, Andressa? Procurando algo?

- Estava pensando aqui… Olhando para o céu, sabe…?

- Você fica tão linda quando mente… Seus olhos castanhos reviram-se e seu rosto fica rosado. Adoro isso. Vamos! Responda minha pergunta. Seja minha namorada e começaremos este relacionamento em grande estilo!

Meu Deus! O que ele tá pensando? Que pecado! Que falta de moral! Cadê a castidade nisso tudo? Sou de uma família cristã! Apesar de eu não ser lá essas coisas… E tem as minhas “ficadas” na escola… Mas isso era demais! É o cúmulo do absurdo! Sexo?! Antes do casamento?! Eu não podia acreditar… Os relacionamentos anteriores de Adonnes possuíam tal ato? Ele nunca me contara nada sobre isso! Ele mentia para não discordar comigo? Ele sempre dizia que só faria amor quando encontrasse sua alma gêmea, com aliança no dedo… Nunca por diversão! Eu fiquei embasbacada.

- Eu tranquei as duas saídas para a rua existentes nesta casa… Você está sozinha comigo… Nós dois… E você será minha. Quero você, Andressa. Agora!

Eu segurava as minhas lágrimas que tentavam escapar dos meus olhos. Ele queria se aproveitar de mim? Quem era aquela criatura? Aquela simpatia que eu admirava nele se desfez. A sua beleza estonteante se tornou feiura. Não era o Adonnes que eu conhecia na minha frente, mas alguém dominado pelo desejo da cobiça.

Ele me chamou gentilmente. Eu não poderia resistir. Ele é mais forte, mais alto, e está no controle. O jeito era entrar no jogo do inimigo. E esperar um milagre, ou um jeito de sair dali. O acompanhei até seu quarto. Ele se deitou na cama e pediu que eu respondesse a tal pergunta.

- Tudo bem, Adonnes. Já que você insiste. Aceito ser sua namorada. Só me dê uns instantes para eu tirar minha roupa… Onde fica o banheiro?

- No final do corredor. Não demore. Quero comemorar minha conquista.

Conquista? Estava certa! Eu era o troféu! Algum tipo de aposta que ele deve ter feito com seus amigos babacas. Pensava em gritar, a plenos pulmões. Mas isso mancharia a minha imagem e a dele. Todos os vizinhos me conheciam. A melhor amiga do “Donnes”. O jeito era fingir… Botar o meu lado atriz em prática e quem sabe, escapar. Mas eu precisava de uma coisa… Onde será que Adonnes escondeu as chaves do portão?

Eu estava envergonhada… De calcinha e sutiã. Demorei um pouco para voltar ao quarto dele, pois eu estava vasculhando a casa. Não encontrei as chaves da minha salvação. E Adonnes estava sentado na beirada da cama me esperando…

- Você é tão linda. Seu corpo é tão perfeito. Sempre o quis. Sempre. Permita-me começar o nosso momento romântico…

Ele colocou suas mãos na minha cintura e começou a beijar minha barriga e desbravar minhas curvas com seus lábios. Eu não estava sentindo prazer, muito pelo contrário, muita repulsa. Parecia um animal a me lamber, um vira-lata que não se alimentava há dias. Que merda… Comecei a acariciar seus cabelos, para que ele não pensasse que eu não estava gostando…

Visualizei o seu quarto… As chaves não estavam em nenhum lugar aparente.

Adonnes me jogou na cama. E já queria me despir completamente. Eu o interrompi.

-Espera! Aproveita mais um pouco… E pode deixar que eu mesma tiro minhas peças íntimas.

Tô num abismo sem ponte! Ele realmente vai querer sexo! Se eu o empurrasse, batesse, não iria adiantar, pois se eu fizesse isso, continuaria trancada.

Deitada de costas na cama, Adonnes se pôs de joelho e se despiu… Que droga! Ele estava nu na minha frente! E “animado” ainda por cima. Que medo! Mas… Espera aí… Havia algo reluzente na cueca que ele acabara de tirar… Não acredito! As chaves estavam lá! Minha chance de fuga…

Levantei e fiquei de pé na cama. O chutei de brincadeira e o joguei de bruços nela. Eu estava bancando a “policial malvada”… Que ridículo.

- Uohoho! Andressa! Não conhecia este seu lado malvado! Miau, meu amor!

Colocando o pé na cabeça dele, eu disse:

- Você agora é o meu prisioneiro queridinho… Você quer sexo? Quer fazer amor? Prepare-se para ir às alturas com esta malvada aqui!

-É assim que eu gosto! Vamos lá, meu bem! Castigue-me! Tem umas cordas em baixo da minha cama. Amarra-me, vai! Vamos deixar isso aqui divertido.

Não acredito! Ele realmente queria que eu o amarrasse? Minha chance. Nem deve ter passado pela cabeça dele as minhas verdadeiras intenções. Peguei as cordas, ele ficou de costas na cama, e eu o amarrei. Seus pulsos em cada lado da cabeceira. Seu olhar era de prazer. E ele estava esperando que eu começasse. Que confabulasse com sua fantasia doentia…

Daí, vesti toda a minha roupa.

- O que está fazendo, Andressa?

- Não ficaria mais excitante com um showzinho de “strip-tease”?

- Opa! Mas é claro! Vamos! Comece!

Disfarçadamente peguei a cueca dele e a escondendo nas minhas costas peguei a chave. Joguei a cueca em sua direção. Ele, num urro de alegria e energia, começou a se remexer na cama, impossibilitado de movimentar as mãos.

- Andressa, começa logo! Estou doidinho!

Que cego! Olha só o que o prazer da carne faz com uma pessoa… Eu estava a um passo da minha liberdade. Era só sair de lá sem que ele o notasse. Aproximei-me dele e beijei sua testa.

- Espera só um pouquinho, Adonnes. Eu vou ali pegar um som para colocar uma música para nos animar, beleza? Onde posso encontrá-lo?

- O meu celular tem mp3 e tá na sala, em cima da mesa de centro. Pega ele e põe no alto-falante!

- Tudo bem, amorzinho… Volto já.

Saindo do quarto dele e passando pela cozinha, logo depois pela sala, fui ao encontro do quintal e ao portão. Procurando a chave certa naquele molho, testei algumas no portão e consegui destrancá-lo. Voltando até o quarto dele, decidi jogar umas verdades na sua cara.

Mas… Ele havia se soltado.

Como? Ouvi uma porta fechando. E Adonnes surgira atrás de mim… Vestindo suas calças jeans e me encarando com desprezo…

- Que bonito, hein? Tentando fugir… Pensa que eu não vi você olhando para a minha cueca, doida para pegar as chaves? Eu não sou tonto, Andressinha. Agora, você não sai mais daqui. Se não quer fazer por bem… Irá fazer por mal!

Ele tá falando de estupro?! Eu to no sal!

Adonnes me agarrou com violência. E me sacudiu como se eu fosse uma boneca de pano. Falava com voz alta e alterada.

- TIRA LOGO A SUA ROUPA!

-NÃO! SEU MALUCO PERVERTIDO! EU NÃO VOU TIRAR! E EU NÃO TE QUERO! VOCÊ É LOUCO!

-O que houve com você, garota? Pensei que você tinha uma queda por mim!

-Essa queda não existe mais! Por você eu não caio nem com rasteira!- e continuei - O que aconteceu, Adonnes? Ama-me tanto assim que me quer de qualquer jeito? E ainda assim? Desrespeitando-me? QUEM É VOCÊ?

- Apenas me obedeça… E ficará tudo bem…

- O quê? Você acha mesmo que eu vou perder minha pureza desta forma? Eu sou cristã, meu filho! E sem aliança no dedo, nada feito meu bem!

Adonnes me segurou pelo braço.

- Eu te quero…  E EU VOU TE TER… AGORA! VOCÊ É MINHA!

A adrenalina tomou conta do meu corpo, e sem nem pestanejar, chutei a parte mais vulnerável do homem, bem entre as pernas, ele gemeu e caiu no chão, contorcendo-se de dor. Pulei a janela do quarto como uma ninja e fui de encontro ao portão. Lá dentro, Adonnes soltou um grito que me apavorou:

- Amanhã tem aula, Andressa! E amanhã… Você não me escapa!!!

OUVIU??!

Aquelas palavras chegaram ao meu ouvido como um tsunami, arrasador, destruidor. Estremeci nas bases, gelei, mal conseguia caminhar. Livrei-me das chaves de sua casa. Reuni forças e saí correndo a todo vapor para um lugar seguro. Mas que coisa… O que eu iria fazer? Como eu iria fugir? Adonnes, de agora em diante, era o pior psicopata que poderia existir. E eu era a sua caça. Sua vítima predileta. O seu próximo alvo. Preciso de um plano… Urgente!

Continua…

  1. Andressa Hudwhen

    4 de abril de 2014 em 09:08

    Aiii q lindo ela chama Andressa, q nome perfeito kkkk

    • Waldenis Angélico (Like a angel)

      29 de maio de 2014 em 23:46

      Também gosto muito deste nome!! xD Que bom que gostou do conto!!

  2. Marcelline

    6 de setembro de 2013 em 19:52

    Cadê a continuação?? eu adorei!!

  3. Nosferatu Capeta

    12 de janeiro de 2013 em 23:07

    Muito show vei , parabens waldenis

    mas que porra foi essa que eu li : ”Eu estava me sentindo muito estranha e ao mesmo tempo, feliz. Estranha em ter beijado um quase irmão pra mim, e feliz por saber dos seus sentimentos por mim. Adonnes era um garoto realmente bonito e extremamente simpático. Conhecemos-nos a pouco mais de um ano, num evento cultural que havia na cidade. Naquela época, eu realmente havia me interessado por ele, porém, ele tinha uma namorada. Então, nos tornamos conhecidos, depois colegas, amigos e enfim nasceu uma grande amizade entre nós.”
    • Waldenis Angélico

      19 de janeiro de 2013 em 19:26

      Mulheres, capeta! São extremamente confusas xD Kkkkkkkkkkkkkkkkkk’

  4. Douglas Cunha

    11 de janeiro de 2013 em 18:24

    Nem fudendo vou ler essa coisa

  5. Lady Of Darkness

    27 de outubro de 2012 em 14:14

    Gostei (=

  6. Near Nate River (Inteligencia Artificial da Minitsuki Zero)

    24 de outubro de 2012 em 20:36

    comecei a ler isso no inicio tava quase durmindo de chatice mais dai virou uma especie de psicopata louco por ela.

    legal hein!!!
    • Waldenis Angélico

      24 de outubro de 2012 em 22:41

      A ação começou no meio da história pra puxar até o fim ^^

  7. rodrigo inoe

    22 de outubro de 2012 em 13:51

    Que merda de história

  8. Dailson Melo

    17 de outubro de 2012 em 17:19

    é uma animal mesmo.. deveria ir pra casa dela…

  9. Pâmela Rosa

    16 de outubro de 2012 em 17:00

    “- O meu celular tem mp3 e tá na sala, em cima da mesa de centro. Pega ele e põe no alto-falante!”
    Que deselegante! kkk

  10. Léo Monteiro

    15 de outubro de 2012 em 19:26

    gostei, desenvolvimento da história muito bom…..
    esperando a continuaçao

  11. John Lennon

    14 de outubro de 2012 em 21:47

    Ficou legal!

  12. Jessica Vasconcelos

    13 de outubro de 2012 em 19:33

    Cadecadecadecadecadecade a continuação ???

    • Waldenis Angélico

      13 de outubro de 2012 em 19:44

      Acho que só semana que vem a continuação =)

  13. Lelouch Lamperouge

    13 de outubro de 2012 em 01:57

    . Olá,meu nome é Adonnes.

  14. Samuel Letzow Silva Becker

    12 de outubro de 2012 em 23:12

    eh o q acontece qando alguem decidi sair da friendzone!!!!!

  15. Ricardo Laurentino

    12 de outubro de 2012 em 20:29

    Alguém me passa a link da continuação, não achei

    • Waldenis Angélico

      12 de outubro de 2012 em 21:06

      Segundo o Jeff, a continuação será postada semana que vem dependendo dos posts.

  16. Joao Gustavo

    12 de outubro de 2012 em 17:08

    Eu li a primeira frase e me deu sono. 

  17. Waldenis Angélico

    12 de outubro de 2012 em 13:23

    Opa! Valeu galera! Posso garantir que o futuro da história promete!! >.<

  18. Macarrão no Pão

    12 de outubro de 2012 em 10:30

    Ela devia pegar uma faca e castrar ele.

  19. Sanyme Kazami

    12 de outubro de 2012 em 08:40

    Amei!! Eu quero ler mais!! 

  20. Vinicius Lisboa

    12 de outubro de 2012 em 03:53

    Muito bom esse conto,e espero pela continuação.

  21. Patolino

    12 de outubro de 2012 em 00:54

    Esse conto aí foi bem Top. Parabéns para o autor

  22. ~Le Slender

    12 de outubro de 2012 em 00:10

    Ê caralio Oo 

  23. Nameless

    11 de outubro de 2012 em 23:57

    Let it never be said

    That romance is dead

    Cause there’s so little else

    Occupying my head

    There is nothing I need

    Except the function to breathe

    But I’m not really fussed

    Doesn’t matter to me

     

    Ruby, Ruby, Ruby, Ruby

    Do you, do you, do you, do you?

    Know what you’re doing (doing) to me?

    Ruby, Ruby, Ruby, Ruby

     

    Due to lack of interest

    Tomorrow is cancelled

    Let the clocks be reset

    And the pendulums held

    Cause there’s nothing at all

    Except the space in between

    Finding out what you’re called

    And repeating your name

     

    Ruby, Ruby, Ruby, Ruby

    Do you, do you, do you, do you?

    Know what you’re doing (doing) to me?

    Ruby, Ruby, Ruby, Ruby

     

    Could it be, could it be

    That you’re joking with me

    And you don’t really see

    You and me

     

    Could it be, could it be

    That you’re joking with me

    And you don’t really see

    You with me

     

    Ruby, Ruby, Ruby, Ruby

    Do you, do you, do you, do you?

    Know what you’re doing (doing) to me?

    Ruby, Ruby, Ruby, Ruby

    Do you, do you, do you, do you?

    Know what you’re doing (doing) to me?

    • Jeff Dantas

      12 de outubro de 2012 em 00:53

      Aeeeeeeeeeeeeeeeeee, adoro essa músicaaaaaaaaaaaaaaa^^ Kaiser Chiefssssssssssssssss 🙂

      • Nameless

        12 de outubro de 2012 em 01:16

        Acho que é o melhor hit da banda. A história me fez lembrar a música, não sei por que.

  24. Allan Cordeiro

    11 de outubro de 2012 em 23:50

    Eu goso de contos e gosei da sua estória.

  25. Greg

    11 de outubro de 2012 em 23:35

    o cara era forever alone … e não queria mais continuar assim nem a pau …rsrs
    to ansioso pra ver a continuação…

  26. VASCAINO (level 100 NO BF3 o/)

    11 de outubro de 2012 em 23:34

    NUNCA LEIO CONTOS,NÃO É ATOA QUE NÃO LEIO LIVROS KKKKK

  27. Make Kaiye

    11 de outubro de 2012 em 23:34

    serio esse garoto parece ser o jistin biba

    • John Lennon

      14 de outubro de 2012 em 21:45

      Kkkkkkk…também achei.

      • Waldenis Angélico

        14 de outubro de 2012 em 22:20

        Ah, o “Safadonnes” nem é assim. =P

    • Make Kaiye

      11 de outubro de 2012 em 23:34

      justin*

  28. Pensador Alternativo

    11 de outubro de 2012 em 23:27

    Ótimo conto, surpreendente :DD 

  29. 3 Hits

    11 de outubro de 2012 em 23:18

    muito bom o conto

    • VASCAINO (level 100 NO BF3 o/)

      11 de outubro de 2012 em 23:36

      RUIM PRA CACETE KKKKKK

  30. Link Yuzuki

    11 de outubro de 2012 em 23:07

    Véi, vai ser obcecado assim lá na pqp, nem eu sou assim ._.

  31. Eduardo (Edward Mãos de Tesoura)

    11 de outubro de 2012 em 22:54

    aff que mina burra dava uns chutes no saco dele(eu sei que doí) ¬¬

    • Eduardo (Edward Mãos de Tesoura)

      11 de outubro de 2012 em 23:00

      ele é meio obcecado por ela né?…

  32. Chris Brandao

    11 de outubro de 2012 em 22:41

    É nessas horas em que se deve pôr em prática a seguinte lição: “A amizade verdadeira está no apoio. Um amigo de verdade te ajuda, te apoia. Quem não te ajuda ou te apoia, que é cruel ou psicopata em ao menos um aspecto não é digno de amizade.” Acredito que o Adonnes foi tentado pela beleza. Deve-se ter controle. Não pode querer o prazer carnal vindo de uma quase irmã. Quem opta por tais atos, está sendo cruel e JAMAIS merecerá perdão pelo que fez.

    Eu não sei a respeito de vocês, mas imagino que que este conto mostra como pode ter gente que se submete a truques e gente que só quer o prazer carnal.
    • Waldenis Angélico

      12 de outubro de 2012 em 13:49

      Feliz por seu comentário! Isso mesmo! 

  33. Erza Scarlet

    11 de outubro de 2012 em 22:23

    Lol de amigo ele não tem nada 

    essa andressa é tonta mesmo yosh…
  34. Fai(sAkuRa)

    11 de outubro de 2012 em 22:14

    quando vi:  nao lerei muito grade preguiça danada.. Ahh nada pra fazer vou ler.
    Depois da leitura: #Filodasuamamaiquerida, safadhenho, querendo acabar com minina, se eu te pego arranco teu pintinho tarado..

  35. Darkside

    11 de outubro de 2012 em 21:59

    sem tela preta, darkside não lê.

  36. Carol Nukenin

    11 de outubro de 2012 em 21:31

    Cara… como uma pessoa tem a chance de fugir e não foge??? E como ele se desamarrou? Era o Magaiver? Ou um Winchester??

    Não sabemos…
    33
    • Little Uchiha™

      11 de outubro de 2012 em 22:46

      Ela seguiu a sugestão do fã dos livros Supernatural, sabe, aquela parada de amarrar as armas com uma cordinha para não cairem longe.

    • Jeff Dantas

      11 de outubro de 2012 em 21:50

      Que nada, ele contou com a ajuda do Issao Imamura ^^

      • Carol Nukenin

        11 de outubro de 2012 em 21:54

        kkkkkkkkkkkkkkkkk Só pode né…rsrsrsrs

        O Issao tava no armário…rsrsrs
    • Altair Ibn-La'Ahad

      11 de outubro de 2012 em 21:42

      kkkkkkkkk magaiver ou winchester? ri mto (y)

  37. Carol Nukenin

    11 de outubro de 2012 em 21:26

    “Aquelas palavras chegaram ao meu ouvido como um tsunami, arrasador, destruidor. Estremeci nas bases, gelei, mal conseguia caminhar. sacudi a cabeça pra tirar a água a tsunami do ouvido e dei muita sorte que o Adonnes se afogou. FIM”

  38. Gustavo Thegame

    11 de outubro de 2012 em 21:26

    esquisito mais foda demais o cara é o filho da p#ta era só enfiar um bastão no c* dele e ele fica satisfeito kkk

  39. Carol Nukenin

    11 de outubro de 2012 em 21:25

    Minhas reações lendo o texto:

    parágrafo 5: pessoa confusa…
    Paragrafo 6: Vai nessa sua boba… ninguém conhece ninguém…
    Paragrafo 8: E ainda achava que era só amigo??? 
    Paragrafo 10:  hummm… sei… não vai prestar…
    Paragrafo 18: eu disse…
    outros parágrafos: Que mina burra…¬¬
    a chave na cueca: kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    • FINADO IMPRESTAVEL USUARIO

      12 de outubro de 2012 em 17:14

      Minhas Reacoes

      1-Não Lerei
      2-Não Lerei
      3-Juro Que Não Lerei
      4-Não Vou Ler
      5-Não Vou Ler
      6-Não Li….
    • Shun

      11 de outubro de 2012 em 21:36

      kkkkkkkk isso mesmo

  40. Super

    11 de outubro de 2012 em 21:23

    nada  haver pop que ela era cristã.. 

    inesperado o desenvolvimento gostei.. 
  41. Altair Ibn-La'Ahad

    11 de outubro de 2012 em 21:00

    Mucho loooco.. comprido, mas mto bacana.. Adonnes seu ssafadjénhoo.. qndo um kra naum tem capacidade de pegar mulher, ou ele muda de lado ou ele vira psicopatas estupradórius

  42. Shun

    11 de outubro de 2012 em 21:00

    Depois eu leio

  43. Mime

    11 de outubro de 2012 em 20:58

    gostei desse conto, gosto desse tema

    vou enviar meu conto tbem! =D

  44. Fernando Litre

    11 de outubro de 2012 em 20:44

    psicopatas onde eles vivem, como se procriam, onde podemos encontrar acompanhe no Minilua 

    • Shun

      11 de outubro de 2012 em 21:02

      Não sou animal mas minhas patas estão loucas WOW Pisico Patas

  45. Sheldon cooper

    11 de outubro de 2012 em 20:35

    Tó com preguiça de ler

    • Sheldon cooper

      11 de outubro de 2012 em 20:37

      Depois eu leio 

  46. Perry

    11 de outubro de 2012 em 20:21

    Esse foi um dos únicos que gostei =]

    • Fernando Litre

      11 de outubro de 2012 em 20:41

      hnn se gosta de um cara louco por te né

      • Perry

        11 de outubro de 2012 em 22:09

        Kkkkkkkk depende do grau de loucura 

  47. Jeff Dantas

    11 de outubro de 2012 em 20:20

    Dependendo da garota, é mesmo difícil resistir. hehehe
  48. DeadPool

    11 de outubro de 2012 em 20:19

  49. Carolina Monteiro

    11 de outubro de 2012 em 20:18

    Muito irado esse conto to louca pra ver a continuação ^^

    • Jeff Dantas

      11 de outubro de 2012 em 20:22

      Em breve, eu prometo. ^^

  50. Little Uchiha™

    11 de outubro de 2012 em 20:17

    Nunca confie em um cara que se chama Adonnes, hmm.

    • Macarrão no Pão

      12 de outubro de 2012 em 10:28

      Prazer, meu nome é Adonnes, quer ser meu “amiguinho”?

      Poderemos brincar de policial.
      • Little Uchiha™

        12 de outubro de 2012 em 12:54

        não, vlw.

  51. Fernanda

    11 de outubro de 2012 em 20:05

    Gostei desse conto ^^ vim aqui na menor das expectativas pensando que era romance e me surpreendi.Adoro histórias com psicopatas.

  52. Marcox(Minitsuki Zero)

    11 de outubro de 2012 em 20:04

    friendzone?

    • Waldenis Angélico

      12 de outubro de 2012 em 14:25

      Ele cansou da friendzone! Kkkkkkk’

  53. Nosferatu Alucard

    11 de outubro de 2012 em 19:52

    Nota 8, muito bem elaborado!

    #vampirobebao 
    • Jeff Dantas

      11 de outubro de 2012 em 19:53

      Essa foi só a primeira parte! Promete!!!! ^^

      • Nosferatu Alucard

        11 de outubro de 2012 em 19:54

        vai postar quando a segunda?

        #vampirobebao 
        • Jeff Dantas

          11 de outubro de 2012 em 19:55

          Acho que na semana que vem…Vai depender das atualizações. 🙂

  54. Um qualquer

    11 de outubro de 2012 em 19:51

    Puxa, interessante, gostei!

  55. Ichigo Hollow

    11 de outubro de 2012 em 19:50

  56. Elyane

    11 de outubro de 2012 em 19:49

    Interessante …

  57. Lucas

    11 de outubro de 2012 em 19:49

    Me gusta contos *–*

  58. Charlotte Scarlet

    11 de outubro de 2012 em 19:49

    Romance… não lerei

  59. Jeff Dantas

    11 de outubro de 2012 em 19:47

    O texto é meio longo, concordo, mas vcs vão curtir. ^^

    • Macarrão no Pão

      12 de outubro de 2012 em 10:26

      gostei e curti

    • CleitoN DantaS

      12 de outubro de 2012 em 01:51

      Curti. 🙂

    • Super

      11 de outubro de 2012 em 21:25

      gostei.. 

  60. Bruno Domingues

    11 de outubro de 2012 em 19:45

    rçrçrçrç

  61. Courtiney Love

    11 de outubro de 2012 em 19:44

    legal *-*

    • Ricardo Laurentino

      12 de outubro de 2012 em 20:29

      cadê a continuação ?

  62. Hisoka

    11 de outubro de 2012 em 19:44

    Me gusta contos

96 Comentários
mais Posts
Topo