Minilua

Contos Minilua: O Príncipe Abutre #238

Suspense, mistério, terror, enfim. Vale a pena participar! O e-mail de contato: equipe@minilua.com! A todos, uma excelente diversão!

O Príncipe Abutre

Por: Lucas Vieira

Vivian sentava-se de frente a sua janela e se perdia em seus devaneios. Se sentia triste, há muito tempo não podia sair de casa. Não podia viver como uma garota de sua idade. A preocupação que a rodeava devido as suas más escolhas, fazia com que sua família temesse sempre o pior.

Com mangas compridas para esconder as marcas em seu braço, Vivian admirava a paisagem e escrevia poemas sobre ela mesma. O único meio de sair de seu quarto era através de sua imaginação. Seu quarto ficava no terceiro andar da casa, quase como uma torre que prendia uma princesa e esperando seu príncipe encantado.

Seus dias eram rotineiros e devorava livros um atrás do outro. Escrevia o que pensava para poder afastar a sua depressão. Por escolha própria, escolheu a solidão. Prometera nunca mais se machucar. O que era uma promessa difícil de se cumprir.

Sua vida andava a passos lentos e o tédio crescia cada vez mais. Certa manhã observava um abutre pousado em um poste. De alguma forma o animal prendeu sua atenção. Sem nada para fazer começou a criar uma história para seu novo amigo que o chamou de Andrew.

Andrew era um príncipe que foi amaldiçoado a viver de manhã no corpo de um abutre e a noite no seu corpo habitual de garoto. Voou por toda a Terra a procura de acabar com sua maldição. Em seu caminho encontrou outros iguais a ele, um lobo, um corvo e uma coruja. Ao viajar pela floresta negra para encontrar um sábio ele enfrenta uma serpente na qual deixa uma enorme cicatriz em sua asa direita.

O abutre conseguiu derrotar seu adversário e encontra o sábio, uma raposa. Na conversa descobriu que precisava de um amor verdadeiro para se livrar do abutre e voltar a ser Andrew. Voou além do céu e da terra, viu cada um de seus amigos voltarem ao normal. E terminou do mesmo jeito que começou sozinho.

Vivian terminou de escrever e foi dormir. Na madrugada escutou a janela abrir e com o barulho veio à água da chuva que molhou um pouco seu rosto. Sentado na janela um garoto bonito de olhos e cabelos escuros, ele sorria. Vivian suprimiu um grito, o garoto se apresentou como Andrew o príncipe de Surion, disse que há muito tempo a vigiava e via sua dor. E que por ela sentia um grande amor.

A garota que nunca tinha ouvido tais palavras começou a chorar. Era verdade? Sua fuga de um mundo de solidão e tristeza chegava ao fim? O príncipe falou que ela necessário que ela fosse com ele para seu reino para por fim em sua maldição.

Em seu coração Vivian sentia que aquilo era a forma que encontraria para se livrar de sua vida. Um novo começo, sem ninguém para julgá-la ou machucá-la. Andrew estende a mão e a convida para voar, voar para o povo de sua terra.

Vivian levanta-se pega na mão de Andrew e salta com ele pela janela. O vento forte balançava seus cabelos e a chuva a molhava. Fazia muito tempo que ela não ficava tão feliz. Para trás de sua janela deixou uma vida solitária e triste. Deixou falsos amigos e cicatrizes que só mostrava o quanto era frágil. Vivia finalmente encontrou a felicidade.