O corpo humano em situações extremas #2

O corpo humano é uma poderosa máquina, capaz de resistir a diversos problemas e funcionar mesmo em situações precárias. Porém, em alguns casos extremos, nosso corpo sofre mais do que pode aguentar e o colapso se torna inevitável:




Fome

combate-a-fome

A fome, apesar de todos os avanços de produção da humanidade, ainda é um dos grandes males do mundo, sendo responsável pela morte de 3 milhões de crianças todos os anos. Apesar de uma grande queda no número de famintos nas últimas décadas, o total de desnutrido é de 800 milhões de seres humanos!

A verdade é que nós convivemos com a fome diariamente, mas essa “vontade de comer” se torna um monstro quando os períodos são prolongados. O primeiro sintoma da fome prolongada é o encolhimento do estomago, que se retrai, criando problemas até para a alimentação que iria ajuda-lo. Essa diminuição causa uma perda do sentimento de fome, pois o espaço livre dentro da barriga diminui. Muitas pessoas que passam longos períodos de fome chegam a perder a sede, o que causa também a desidratação.

Em seguida, o próprio coração se encolhe, para poupar nutrientes. Sem o açúcar necessário para gerar energia, o corpo começa a queimar gordura, liberando uma substância chamada Cetona, que causa mal hálito e uma sensação de fraqueza e tontura.

Contudo, o problema mais forte envolve nossa mente. Quando falta fósforo e potássio, que são essenciais para o bom funcionamento do cérebro, o corpo começa a perder massa cinzenta. Essa perda, em certa porcentagem, é irreversível. Por isso, crianças que passam fome tendem a ter mais dificuldade de aprendizado no futuro.

Nesse ambiente de fraquezas, o corpo se torna um bom hospedeiro para as mais diversas doenças, pois o sistema imunológico não tem mais energia. Fungos crescem em partes dele e, no final, quando tudo já se foi, o corpo fica tão fraco que a pessoa se quer consegue se alimentar, chegando a um estágio sem volta.




Altura

medodealt

A vasta maioria das pessoas sente um medo terrível quando está em algum lugar alto. Apesar de muitos não admitirem isso, ter fobia de altura é normal e faz parte da “programação” de nosso cérebro.

Para se situar e manter o equilíbrio, nosso corpo usa referências estacionárias (objetos, chão ou qualquer coisa na volta). Em alturas grandes, essa referência some, criando uma sensação de perda de equilíbrio e medo. Tudo piora ainda mais porque os prédios oscilam, mesmo que seja imperceptível de maneira consciente, isso afeta o subconsciente, dando aquela sensação de que uma queda é inevitável.

A acrofobia (medo de altura) é pior em pessoas que possuem problemas em mensurar distância, pois parece que elas ficam com ainda mais medo do que uma pessoa normal. Por isso, se você não é muito bom em interpretar distâncias, fique longe do topo dos prédios.




Radiação

D800D

A radiação é uma das piores coisas que podem afetar o corpo humano, pois ela pode ser fatal no curto e quase sempre péssima no longo prazo. Quando ficamos expostos a fontes de radiação ionizante, algo incrivelmente complexo ocorre em nosso corpo.

A radiação ionizante libera partículas de alta energia, que passam pelos átomos do corpo e arrancam elétrons nessa passagem, podendo matar células e, no pior dos casos, modificar o DNA. Isso gera os mais diversos efeitos degenerativos, podendo criar doenças e câncer no longo prazo.

Um dos sintomas primordiais da radiação são os vômitos, causados pela degeneração das células estomacais. Depois existem os sangramentos e a diminuição das células sanguíneas. Anemia é outro sintoma clássico, assim como a catarata.

No fim, resta o temido câncer, causada pelo mudanças nas células e no DNA.

  1. AnnieBitencourt

    8 de março de 2015 em 03:03

    Ótimo post!

  2. Gato Endiabrado

    31 de agosto de 2014 em 23:14

    ” Não tenho medo de altura, tenho medo de cair “.

  3. VanDrak SubZero

    19 de agosto de 2014 em 17:12

    A radiação pode te matar ou dar poderes :p

  4. Draghomyr Lithayff

    19 de agosto de 2014 em 12:53

    Eu nao tenho medo de altura,sou muito bom em compreender distancia

  5. Dr.V

    18 de agosto de 2014 em 14:33

    Ótima matéria.

  6. Adriano Saadeh

    18 de agosto de 2014 em 08:50

    Os efeitos da radiação são terríveis mesmo, além das consequências serem sentidas a longo prazo…

  7. bruno_k

    17 de agosto de 2014 em 22:40

    Matéria bem legal ,eu mesmo tenho bastante medo de altura

  8. Wagner

    17 de agosto de 2014 em 16:50

    Sou péssimo em mensurar distâncias, mas gosto bastante de altura ._.

    • Adriano Saadeh

      18 de agosto de 2014 em 08:51

      Eu gosto muito também, sou louco por fazer Paraquedismo. Em compensação, tenho verdadeira aversão ao Bungee jumping

      • Wagner

        18 de agosto de 2014 em 21:16

        Tenho vontade de fazer esses trem tudo, mas tenho o receio de tipo que desmaiar igual acontece com algumas pessoas e perder toda a emoção :/

  9. Rowling

    17 de agosto de 2014 em 03:21

    “Em alturas grandes, essa referência some, criando uma sensação de perda de equilíbrio e medo. Tudo piora ainda mais porque os prédios oscilam, mesmo que seja imperceptível de maneira consciente, isso afeta o subconsciente, dando aquela sensação de que uma queda é inevitável.”

    Por isso que em lugares altos,temos aquela enorme vontade de se jogar de uma vez ( ao menos eu tenho).

  10. Luís Felipe

    16 de agosto de 2014 em 23:12

    Nervosismo, ansiedade e medo.

  11. cara anonimo

    16 de agosto de 2014 em 22:02

    Tomar banho com aguá gelada. Isso sim é uma situação extrema ! -_-

    • Marvelunatico

      16 de agosto de 2014 em 22:32

      Tem que ser muito v1d4 l0k4

      • Doge

        16 de agosto de 2014 em 22:41

        Quando eu era pequeno eu achava isso normal porque eu nunca tinha experimentado banho quente. Agora…

        • Marvelunatico

          16 de agosto de 2014 em 22:43

          Tomo banho quente até no calor de 40º 😀

          • Nol

            16 de agosto de 2014 em 22:57

            Tomo calor quente até no 😀 de banho 40º

          • Marvelunatico

            16 de agosto de 2014 em 23:05

            [img]https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/t1.0-9/p526x296/483273_358605247541553_859837506_n.jpg[/img]

  12. ErlyJy

    16 de agosto de 2014 em 21:58

    Ouvir Funk…isso sim é situação extrema.

    • ArtAdicto

      8 de janeiro de 2015 em 19:16

      Slipknot também

    • Marvelunatico

      16 de agosto de 2014 em 22:31

      Isso é uma situação deplorável.

    • Nol

      16 de agosto de 2014 em 22:22

      Não, na verdade não.

      • ErlyJy

        16 de agosto de 2014 em 22:54

        sinta-se a vontade a fazer de seu ouvido penico..

  13. André Silva

    16 de agosto de 2014 em 20:48

    Eu tenho um grande medo de altura, mesmo em lugares não muito altos eu me sinto desequilibrado, tonto…

    • Jeff Dantas

      16 de agosto de 2014 em 20:54

      Então, né? Nada q esse brinquedo não resolva… 🙂 http://www.tocadacotia.com/wp-content/gallery/playcenter_1/playcenter-3.jpg

      • chapolim do mal

        16 de agosto de 2014 em 21:12

        Eu tambem tenho medo de altura e uma vez eu fui num kamikaze:

        [img]http://http://i207.photobucket.com/albums/bb102/mari_sm/Midway-night-kamikaze-2006WinCE.jpg[/img]
        E senti mas medo ainda lá.

        • Nol

          16 de agosto de 2014 em 22:30

          Kamikaze é pros fraco, os forti sonha que está caindo.

        • André Silva

          16 de agosto de 2014 em 21:47

          Eu já tive várias oportunidades de ir no kamikase mas nunca tive coragem, o mais radical que já fui foi no tapete mágico 🙂

  14. Mutley

    16 de agosto de 2014 em 20:47

    os prédios oscilam quando se esta lá no alto ? poderia explicar por favor ?

    • Diego Martins

      17 de agosto de 2014 em 10:46

      Simples. Os prédios são muitos altos e sofrem com forças do vento, balanço da passagem de veículos e coisas assim. Caso eles fossem 100% rígidos, eles quebrariam devido a isso. Assim, eles são maleáveis e se movimentam, oscilando e liberando a energia recebida por essas fontes externas.

      O maior prédio do mundo chega a “balançar” um metro para o lado.

    • Luís Felipe

      16 de agosto de 2014 em 23:09

      Os prédios balançam, msm q isso n seja percebido por nós conscientemente, mas nosso subconsciente percebe isso e “liga um alerta”.

    • Thanatos

      16 de agosto de 2014 em 22:04

      os prédios oscilam quando se esta lá no alto ? poderia explicar por favor ?(2)

  15. Terrorista

    16 de agosto de 2014 em 20:40

    Os negrinho quando são pequenos dá dó deles. Mas daí quando crescem e ficam fortes eles querem começar as mulheres brancas. Toma no cu né.

    • Terrorista

      17 de agosto de 2014 em 21:50

      Eu tenho quase certeza que de havia digitado comer e não começar.

  16. Carlos Souza

    16 de agosto de 2014 em 20:16

    Depois do humor esse tipo de matéria é minha preferida

  17. Garota Infernal

    16 de agosto de 2014 em 20:07

    La agonia de Omayra… 🙁
    [img]http://www.abc.es/Media/201011/13/OMAIRA–478×270.jpg[/img]

  18. Lobo Alfa

    16 de agosto de 2014 em 19:58

    Muito legal a matéria,na próxima poderia colocar a respeito de diferenças de pressão.

37 Comentários
Topo