Minilua

Costumes de uma época #102

E quem diria, não é mesmo? Já são mais de 100 edições diferentes! A todos, o meu muito obrigado.

1059: Alugar uma casa na praia: E olha que não apenas casas. Em alguns casos, prédios, pousadas, quitinetes… Eu por exemplo, não gostava nem um pouco. Ou melhor, até gostava, do videogame, da TV, do som…

1060: Comer um pastel especial: Pois é, e no passado pelo menos, muita gente fazia isso. Os condimentos então, alguns dos mais conhecidos: ovos, tomate, azeitona… Há quem inclusive, colocasse presunto ou goiabada.

1061:Tomar cerveja com os amigos: E sabe como é, né? Churrasco, calor, mulheres. Se pudessem aliás, faziam festa a semana inteira. Ou melhor, os solteiros, pelo menos.

1062: Gabaritar em matemática: E antes que perguntem, não! Eu nunca consegui fazer isso. Quando muito, tirava 7 ou 8 em matemática. Pior ainda: 5 ou 6 em física!

1063: Deixar o cabelo crescer: E se é um desejo seu por que não fazer, não é o mesmo? Mais do que estética, um dos costumes mais adotados em todo o mundo.

1064: Dormir ou cochilar no cinema: E dez, ou quinze minutos, ainda vai. Agora, trinta, ou duas horas seguidas? Vai entender!

1065: Sentar no banco alto: E sim, uma vez no ônibus, todos corriam para eles. Melhor ainda, quando ficavam na janelinha…

1066: Fazer a compra do mês: É, e no passado, acredite, não era tão fácil como hoje. Imagine só: montar uma lista, conferir produtos, e detalhe: colocar crianças em carrinhos.

1067: Pintar a casa de branco: E esta foi durante anos, uma das maiores tendências no país. E olha, não apenas a fachada, mas sim, os quartos, a sala, os banheiros…

1068: Levar os docinhos da festa: Beijinhos, brigadeiros, canapês… Eu mesmo, adorava os docinhos, em especial, os chamados “canudinhos”.

1069: Colocar obturação nos dentes: E antes isso, do que ficar horas e horas “se matando”. Pior ainda, buscando ou caçando remédios.

1070: Aprender a varrer o lixo: É, e cá entre nós, quem nunca passou por isso? Filho, pega a pazinha? Filho, pega a vassoura…

1071: Deixar tudo pra última hora: E este sim, um dos costumes mais presentes. Acrescido, talvez, pelo famoso jeitinho brasileiro.