Minilua

Costumes de uma época #70

Pois é, e desde já, contamos com a sua participação. Para tal, desça até os comentários, e participe! A todos, uma excelente leitura!

666: Ter uma conta no Orkut: Sim, e antes que me perguntem, não! Este não era um site demoníaco. Ou melhor, só algumas vezes. Dependendo das fotos, das comunidades, do “Bad Server”… (risos)

667: Usar um relógio a prova d’água: Bem, e ainda hoje, um dos itens mais cobiçados. Nas feiras então, um dos mais vendidos.

668: Passar o domingo no parque: E sabe como é, né? Um churrasquinho aqui, um piquenique ali, humm, não faz mal a ninguém.

669: Ligar para o Walter Mercado: Bastante famoso, ele emplacaria uma série de bordões. O mais conhecido, no caso: Pegue su teléfono, e ligue djá”.

670: Dançar a dança do bumbum: E cá entre nós, uma das mais bizarras. Não obstante, a do “thaco”, do “ET”, do “Azulão”…

671: Colocar talco no tênis: Talcos, perfumes, absorventes…Enfim, valia de tudo nessa hora. E o pior: para os odores mais fétidos possíveis.

672: Baixar séries na Internet: E com tantos sites, não é difícil fazer isso. O mais importante, é claro, a diversidade de conteúdo.

673: Comer um quebra queixo: E sem dúvida, um dos mais saborosos. Em sua base, um dos produtos mais comuns de nossa terra: o coco.

674: Passar debaixo da roleta: Uma das mais clássicas: “motorista, eu fui assaltado”, “cobrador, eu não tenho dinheiro!”….