Crimes com estranhas coincidências

Investigar um crime nem sempre é uma tarefa simples. Muitas vezes, as evidências não são bem claras e uma simples coincidência pode transformar um inocente em culpado.




O caso de Dennis Maher

7-knife-e1422396871872

Na noite de 16 de Novembro de 1983, uma mulher foi estuprada por um homem na cidade de Lowell, Massachusetts. O mesmo crime ocorreu novamente na noite seguinte, mas a vítima conseguiu fugir e ir até a polícia. Mais tarde, naquela noite, Dennis Maher foi preso e acusado. As duas mulheres que sofreram o ataque confirmaram Dennis como sendo o estuprador.

Para piorar a situação de Dennis, ele foi acusado de outro estupro ocorrido um ano antes. Assim, com duas testemunhas e acusações fortes, o suposto estuprador foi sentenciado à prisão perpétua.

Anos mais tarde, Dennis procurou uma organização chamada “The Innocence Project”, que trabalha para ajudar pessoas inocentes que foram condenadas a crimes que nunca cometeram. Com sua influência, a ONG conseguiu que o teste de DNA fosse feito em objetos relacionados com o crime, o que revelou que Dennis não era o culpado. Após 19 anos, ele foi liberado da prisão.

Toda a confusão ocorreu devido a uma trágica e improvável coincidência. O estuprador, na noite do crime, estava usando um casaco vermelho com capuz e uma jaqueta estilo militar, além disso, ele carregava uma faca no cinto. Horas após a polícia ter recebido a denúncia do estupro da segunda mulher, Dennis estava em um bar nas redondezas, vestindo um casaco vermelho com capuz e uma jaqueta do estilo militar. Em seu carro foi encontrada uma faca…

Com tais circunstâncias, Dennis se tornou o principal suspeito dos crimes. O fato dele estar usando a mesma roupa do bandido pesou muito. Contudo, Maher era Sargento do Exército naquela época, o que explica facilmente a roupa militar e faca, mas infelizmente essa explicação não foi o bastante para desacreditar o juri. Dennis ficou preso por 19 anos, sendo totalmente inocente, e o verdadeiro estuprador nunca foi encontrado.




O caso de Lucia De Berk

rbma_0019

Em setembro de 2001, Lucia De Berk, uma holandesa que trabalhava em hospitais no setor de maternidade, presenciou a morte de uma criança em seu turno. Aquilo despertou uma certa desconfiança em alguns colegas, pois não era a primeira vez que a mulher estava cuidando de uma criança no momento em que morreu.

Após uma investigação feita pelo hospital, ficou concluído que muitas das mortes em que De Berk estava por perto eram consideradas suspeitas e ela acabou sendo indiciada criminalmente. Em Março de 2003, ela foi condenada a prisão perpétua, pela morte de 4 bebês.

Contudo, a acusação sofria com sérios problemas, pois não haviam testemunhas, nem evidências físicas de que a mulher realmente tivesse assassinado as crianças. A única coisa que sustentava a promotoria era um cálculo matemático, que dizia que as chances da mulher ter estado presente em todas aquelas mortes eram de 1 em 342 milhões. Ou seja, era uma coincidência praticamente impossível. Mesmo com essa evidência fraca, a acusação conseguiu o que desejava.

Apesar de ter sido considerada culpada, muitas pessoas não acreditavam que a mulher era uma assassina. Diversas apelações foram feitas, até que perante a Suprema Corte da Holanda a acusação perdeu o caso. O profissional matemático que havia feito os cálculos contra De Berk não parecia ser qualificado o bastante, pois um dos melhores professores de estatística do país refez as contas e descobriu que a chance da mulher ter estado em todas aquelas cenas de morte era de 1 em 48, ou seja, não tão inexplicável assim. Na verdade, qualquer pessoa com uma pequena dose de azar poderia acabar na mesma situação.

Por isso uma nova investigação das mortes foi realizada, revelando que elas foram naturais. Em abril de 2012, De Berk foi considerada inocente e libertada.

  1. Gabriel Frigini

    8 de março de 2015 em 12:25

    mandou bem Diego!

  2. Greg

    6 de março de 2015 em 09:44

    Deve ser muito triste ser preso por algo que não cometeu, po, 19 anos preso? isso e´ terrivel… na minha opiniao tem que ter provas muito concretas para prender uma pessoa… não só uma roupa , ah pelo amor de Deus…. e essa última aí, presa só pelas contas… foda hein…

  3. Jean Pedro

    6 de março de 2015 em 09:30

    A justiça é falha, por isso a indústria de quadrinhos e filmes cria tantos vigilantes que viram heróis, pois todo mundo se identifica com alguém que promove o bem contra os erros da justiça.

  4. Andrew Rox

    5 de março de 2015 em 23:04

    Essa é a única razão que não me faz apoiar a pena de morte.

  5. André Silva

    5 de março de 2015 em 22:15

    Esse Dennis pelo menos recebeu uma boa grana ou outra coisa pra compensar esses 19 anos preso injustamente? Já é muita palhaçada passar todo esse tempo vendo o sol nascer quadrado sem ter feito nada, pior ainda é sair de lá e a justiça fingir que nada aconteceu.

    • Greengineer

      6 de março de 2015 em 08:32

      Nada que ele recebesse fecharia o buraco deixado por estes 19 anos de prisão. Ele foi preso por estupro cara, o “toba” dele deve ter virado uma cratera.

  6. Blue

    5 de março de 2015 em 20:40

    É triste ver uma pessoa inocente sendo punida por algo que nunca fez, muitas vezes, o culpado escapa, ou um inocente é preso por causa de um erro, se bem que nesse caso parece preguiça, não investigaram nada simplesmente porque o cara estava vestindo a mesma roupa, é nisso que dá fazer o trabalho pela metade.
    Ê azar, ainda bem que Lucia conseguiu provar a inocência, mas Dennis não teve a mesma “sorte”.

  7. Joel Alvarenga

    5 de março de 2015 em 20:36

    Por estes e outros erros que a pena de morte é um caso muito sério, estas pessoas foram condenadas injustamente e chegaram a passar 19 anos na prisão, mas estão vivas.

    • André Silva

      6 de março de 2015 em 00:21

      Mas a pena de morte é algo necessário pra ver se esses bandidos tomam jeito, pois tem cada barbaridade sendo cometida por aí e o cara logo entra com um monte de recurso e logo sai da cadeia como se não tivesse feito nada, imagina que um cara entra na sua casa, estupra sua mãe, tortura ela e depois mata, o que tu faria vendo ele ser preso e logo depois sair da cadeia? Nem sei o que eu faria! pelo menos a pena de morte poderia meter mais medo nesses desgraçados. Veja só naquele país que eu esqueci o nome mas que não importa o que os outros países digam, eles matam traficantes de drogas. Quantos traficantes você acha que passam longe de lá por medo de serem mortos? Os caras nem pisam lá (só os doidos), vem tudo aqui pro Brasil vender droga, terra de gente trouxa que defende bandido!

      • Joel Alvarenga

        6 de março de 2015 em 01:32

        Então amigo, como aqui no Brasil a justiça é falha, eu tenho medo que se isto ocorrer meu pai possa ser condenado a pena de morte em vez do bandido.

  8. chapolim do mal

    5 de março de 2015 em 19:43

    Mais outra vez essa história de juri cagando para provas ou testemunhas e julgando a partir de sentimentos, eu sou a favor do fim do juri popular e apenas se julgar culpado com provas concretas e as penas serem mais duras por causa das provas, erros existirão mas muitos outros erros serão extinguidos.

    • Joel Alvarenga

      5 de março de 2015 em 20:37

      Concordo, um júri popular pode ser levado facilmente por um advogado com um “bom papo” ou por simples preconceito.

      • Jeff Dantas

        6 de março de 2015 em 00:37

        Né? Pior, que acontece bastante. Tanto aqui, como fora do Brasil… 🙂

  9. Raul Seixas

    5 de março de 2015 em 19:38

    Vim aqui dar um oi apos 3 meses e dizer que tô vivo e.e

    • LorD Cazalbé

      6 de março de 2015 em 01:10

      Digo o mesmo, porque, depois de tanto tempo sem acessar esse site eu vi que ele ainda não mudou nada

    • Tolerância Zero

      6 de março de 2015 em 01:10

      Comprei um celular e…
      ninguém liga.

  10. Kuzan

    5 de março de 2015 em 19:16

    Caralho! Pessoas inocentes ficaram presas mais que bandidos, realmente culpados, no Brasil.

    • Jeff Dantas

      6 de março de 2015 em 00:37

      Simmmm, do jeito q estamos, eu não duvido disso! ^^

18 Comentários
mais Posts
Topo