Minilua

Curiosidades mórbidas sobre a pena de morte #2

A pena de morte é um dos modos de justiça mais antigos do mundo, usado pelo homem desde muito antes de existirem tribunais e toda a burocracia que é nossa justiça atualmente. Essa longa história é cheia de fatos bizarros e acontecimentos macabros:

Morte a domicílio

A China é o país que mais mata no mundo, tanto que, se somarmos todas as mortes oficiais do planeta, o número fica longe do que os chineses fazem. Acredita-se que o país condene três mil pessoas a morte todos os anos, contudo os boatos falam de um número três vezes maior.

Antigamente a pena de morte era trabalho do pelotão de fuzilamento, mas a modernidade chegou e as injeções letais viraram o padrão. Como a China é muito grande e as zonas rurais ficam bem afastadas das metrópoles, o governo, para cumprir o rigor da lei, criou vans mortais, que carregam consigo tudo que é necessário para que a pena seja cumprida. Dessa maneira o bandido não precisar ser transferido para a morte, a morte vai até ele.

Outra coisa muito louca por lá é o fato de que é fácil ser morto pelo governo. A lei local tem algumas dezenas de crimes com pena de morte, indo desde tráfico de drogas até sonegação de imposto, além de assassinato e falsificação. Até 1997, uma pessoa podia ser condenada à morte por matar um panda.

 

A morte custa caro

A primeira vista, a pena de morte é algo barato, afinal dar uma injeção em uma pessoa gera menos gastos do que sustentá-la para sempre, só que, na verdade, a coisa não é bem assim.

Quando uma pessoa é sentenciada a morte, pelo menos em países onde os direitos humanos funcionam, ela ganha a chance de recorrer várias vezes, afinal uma pena dessas não pode ser revertida. Por isso, desde o momento da condenação até o segundo em que senta na cadeira, o prisioneiro tem mil chances de mudar o rumo do processo.

Cada batalha judicial envolvendo pena de morte custa milhões aos cofres públicos, devido aos gastos do poder judiciário. Assim, no final das contas, a pena de morte acaba sendo mais cara do que sustentar o bandido na prisão.

Vários tipos

A pena de morte é tão velha quanto a humanidade e durante toda sua história vários métodos foram adotados. Espancamento e apedrejamento são alguns dos mais antigos. Depois, com o surgimento das armas brancas de aço, as pessoas começaram a ser degoladas ou decapitadas, seja por espada, machado ou guilhotina. As armas de fogo trouxeram o fuzilamento e nessa época também surgiram as câmaras de gás.

Hoje em dia, a injeção letal e a cadeira elétrica são os métodos mais usados no mundo, por serem eficientes e indolores. Só que alguns países gostam da tradição, que é o caso do Uzbequistão. Lá os direitos humanos não servem para muita coisa, por isso uma pessoa criminosa pode acabar sendo condenada à morte e ser, literalmente, cozinhada em água fervente.

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/