Minilua

Desmentindo mitos famosos #1

“Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”, já dizia Goebbels, famoso Ministro da Propaganda de Hitler, um gênio do mal que conseguiu enganar todo o povo de um país usando as mais variadas artimanhas. E sua frase emblemática tem um grande fundo de verdade, pois muitas coisas que nós ouvimos as pessoas falando por aí acabam virando verdades, mas não são:

Napoleão anão

A história sempre relata Napoleão como sendo uma pessoa muito baixinha, mas essa lenda é papo furado. O gênio militar francês, na verdade, era mais alto do que a média dos seus conterrâneos da época. Com seus 1,69 de altura, ele não fica muito longe da média brasileira atual, que é 1,75 metros.

O mito de seu tamanho é fruto do apelido dado pelo povo, que lhe chamava de le Petit (O Pequeno), e também pelo fato de viver cercado por homens mais altos. Os homens da guarda imperial de Napoleão tinham como pré-requisito serem mais altos do que ele, para ajudar na proteção. Isso fazia com que o chefe francês sempre fosse visto como o menor do grupo, o que reforçou ainda mais a lenda.

Apostar no outro

Digamos que você está jogando o jogo da roleta e em três jogadas seguidas a bolinha cai no preto. Sendo assim, qual a cor mais provável dela parar na próxima jogada?

Muitas pessoas pensam que quanto mais vezes a bolinha cair na cor preta, mais chances ela terá de cair na vermelha na próxima jogada, porém isso é totalmente irreal. A cada nova jogada, as probabilidades são zeradas, afinal a bolinha não tem memória. Por isso, não adianta ficar mudando a cor, as chances sempre serão 50% a 50%.

Maria Madalena prostituta

Maria Madalena é a mulher mais famosa do Novo Testamento, tanto que é citada 12 vezes, mais do que qualquer outra. Porém, ao contrário do conhecimento popular, não há nada que indique que ela tenha sido uma prostituta antes de conhecer Jesus.

A Bíblia nunca a cita como a tal e nem mesmo os evangelhos que não foram escolhidos para entrar no livro sagrados dos cristãos a descrevem como prostituta. A única sugestão de que ela fosse uma dama de prazeres vem do Livro de Lucas, onde fala-se de uma prostituta e logo em seguida entra Maria Madalena na história, porém essas duas mulheres não são a mesma.

A verdade é que a própria Igreja Católica durante muito tempo alardeou esse fato, porém acabou mudando de ideia nos últimos anos, parando de relatar as duas histórias como se fossem a mesma.