Minilua

Deuses e Deusas da bruxaria ao redor do mundo #3

Wicca, como qualquer outra religião, tem mito e folclore em abundância. Durante séculos, os deuses e deusas da bruxaria tiveram seus contos espalhados por seus adoradores. Algumas dessas divindades são benevolentes, outros, nem tanto.

Cernunnos

Cernunnos (que é termo Celta para “Único Chifrudo”) é o aspecto masculino da natureza. Ele é conhecido como o “senhor das coisas selvagens”- associado com animais, boa sorte, abundância, riqueza material (como simbolizado por uma bolsa de moedas que ele carrega), e virilidade.

Ele é descrito sendo acompanhado por um veado. As primeiras representações dele foram encontradas no norte da Itália, mas ele era adorado principalmente por toda a Gália por nomes agora perdidos, se espalhando por toda a Grã-Bretanha Celta e na Irlanda.

Acredita-se que os cultos dedicados a ele existiram na pré-história, juntamente com as primeiras figuras de deusas da mitologia celta.

Em seus esforços para acabar com o paganismo, os romanos primeiro associaram ele com seu deus Mercúrio. Mais tarde, a Herne, um malandro de lendas medievais. Quando isso não funcionou, eles transformaram sua aparência em um símbolo do mal puro -alguns alegam que seu olhar foi a inspiração para o diabo cristão, Satanás.

O neopaganismo e crenças da Wicca alegam que ele “nasceu” no solstício de inverno, casou-se com a deusa-lua Beltane, e morreu no solstício de verão em um ciclo interminável de morte e renovação. Por causa disso, ele é considerado uma parte importante da bruxaria moderna.