Minilua

As doenças mais loucas que a ciência não consegue explicar #1

A ciência tem feito grandes avanços na medicina para lidar com vários tipos de doenças. No entanto, ainda existem algumas doenças lá fora, que nos deixam completamente perplexos. Algumas dessas doenças têm origens misteriosas e afetam o corpo de maneiras completamente bizarras e inexplicáveis. Talvez um dia estas doenças malucas possam ser explicadas e tratadas, mas por enquanto eles permanecem misteriosas.
Confira:

Encefalite letárgica

Também conhecida como “doença do sono”, foi primeiramente descrito pelo neurologista Constantin von Economo em 1917. A doença ataca o cérebro, deixando algumas vítimas como uma estátua, sem palavras e imóvel. Entre 1915 e 1926, uma epidemia de encefalite letárgica foi espalhada ao redor do mundo; desde então não tem sido relatada nenhuma recorrência da epidemia, embora casos isolados continuem a ocorrer. A causa de encefalite letárgica não é conhecida.

Mielite flácida aguda

Os primeiros 12 casos ocorreram em agosto de 2014, no Hospital Infantil Colorado em Aurora, no Estado americano do Colorado, os sintomas são debilidade repentina em uma ou várias extremidades do corpo e a perda da mobilidade. A partir daí foram 111 casos relatados em 34 Estados americanos. A idade das crianças afetadas por este surto era de, em média, sete anos. Quase todas as crianças foram hospitalizadas e algumas tiveram que ser ligadas a aparelhos para ajudar na respiração, mas todas já estão em casa, recebendo terapia de reabilitação.

A maior parte dos pacientes também apresentava febre e problemas respiratórios antes da aparição dos sintomas neurológicos. Cerca de dois terços das crianças em observação melhoraram em uma média de 19 dias e apenas uma delas se recuperou totalmente. As causas específicas da mielite flácida aguda ainda não são conhecidas.

Síndrome da cabeça explodindo

Os pacientes que sofrem com esse distúrbio relatam que ouvem barulhos extremamente fortes, irritantes e perturbadores, como se fossem explosões, barulhos de tiros, gritos, vozes e ruídos elétricos. Detalhe: esses barulhos aparecem geralmente assim que as pessoas caem no sono e a sensação é a de que eles estão dentro da cabeça de quem os ouve.

Ainda não há cura ou tratamento para essa síndrome. Acredita-se que ela está relacionada a algum outro problema de sono e até o momento é ligada a altos níveis de estresse e cansaço.

Vírus de Marburg

A febre hemorrágica de Marburg é uma das doenças mais poderosas e terríveis do mundo. Ela apareceu pela primeira vez em 1967, tendo surtos de tempos em tempos, com o último registrado em 2005.

A doença é pouco estudada, pois houveram apenas mil casos em toda a história, porém não deixa de ser fatal e terrível. Acredita-se que ela venha de um morcego, contudo ninguém tem certeza.

Devido ao pouco conhecimento da doença de Marburg, seu diagnóstico é complicado. Muitas vezes ela acaba sendo confundida com a malária, porém, mesmo assim, quando a doença é encontrada, não existe muito o que se pode fazer, além de transfusões de plasma e proteínas do sangue. Os sangramentos por “todos os buracos” do corpo são terríveis e ainda existem problemas neurológicos desencadeados por esse vírus. Sua taxa e mortalidade chega aos 90%.

SIDS

A principal causa de morte entre crianças de 1 mês a 1 ano de idade, é também conhecida como morte no berço, porque as crianças normalmente morrem em seu sono. As causas são desconhecidas.

Urticária aquagênica

Conhecida como Urticária aquagênica, essa condição causa vermelhidão e coceira em excesso em pessoas que a possuem e tem contato com água. Este é um tipo de urticária extremamente raro e que atinge uma pequena massa da população comparados a outros tipos de urticárias.

Dermatologistas apontam que esta seria uma hipersensibilidade à íons encontrados em água não-destilada. Apesar disso, outros casos de pessoas com reações à água destilada também já foram registrados.

Diarreia de Brainerd

Essa disfunção intestinal é uma síndrome aguda de diarreia aquosa com duração de 4 semanas ou mais, e geralmente ocorre em surtos esporádicos ou em casos isolados. Possui esse nome, pois foi na cidade de Brainerd, Minnesota, que foi documentado o primeiro surto, em 1983.

Os pacientes geralmente experimentam de 10 a 20 vezes por dia de diarreia aquosa, caracterizada pela urgência e muitas vezes pela incontinência fecal. Sintomas que acompanham geralmente são gases, cólicas abdominais leves e fadiga. Náuseas, vômitos e sintomas sistêmicos, como febre, são raros, embora muitos pacientes sofrem ligeira perda de peso.

Apesar de extensas investigações clínicas e laboratoriais, a causa da diarreia Brainerd ainda não foi identificada. Embora pensem que é oriunda de um agente infeccioso, pesquisas intensivas em patógenos bacterianos, parasitários e virais têm sido inúteis até agora. Existe uma possibilidade de que essa diarreia seja causada por uma toxina química, mas nada ainda foi encontrado.

Doença da vaca louca

Esta enfermidade foi diagnosticada pela primeira vez, no ano de 1986, quando houve a morte de diversos bovinos em consequência de uma doença neurológica desconhecida. Desde então, foram descritos 160.000 casos da BSE. No ano de 1990, esta doença virou uma epidemia entre no rebanho bovino, passando a afetar os seres humanos.

A principal causa da ocorrência da BSE está relacionada com utilização de alimentos expostos ao príon, que são fornecidos aos bovinos. O período de incubação pode varia de 1 até 8 anos para que haja o início da degeneração cerebral. Suas causas não estão esclarecidas, no entanto, existem teorias de que após a ingestão do príon, o agente replica-se no sistema linforreticular, migrando, em seguida, para o sistema nervoso central, através dos nervos periféricos.

Síndrome de Vômito Cíclico

Foi descrita pela primeira vez no ano de 1861 por HC Lombard, em Paris, e por Samuel Gee, em Londres. Embora esta síndrome possa acometer indivíduos de todas as idades e ambos os sexos, ela é mais frequente em mulheres e em crianças.

A causa dela não é conhecida apesar de pesquisadores acreditarem que ela seja multifatorial. Seu principal sintoma é o vômito repetitivo durante o dia, com episódios que duram até uma semana, doentes tendem a vomitar em média uma vez a cada cinco. Ao contrário da incidência da síndrome, sua principal característica é tão comum que faz com que pessoas sejam erroneamente diagnosticadas

Doença do suor

A doença do Suor teve início em 1485 quando se espalhou em Londres matando muitas pessoas. Ficou conhecida como doença do suor porque as pessoas morriam rapidamente após a crise de suor. Alguns dizem que a doença veio por causa do clima inglês, sua umidade e brumas, ou aos hábitos destemperados do povo inglês, como a assustadora falta de limpeza em suas casas e arredores.
Fonte: Jornalciencia