Minilua

Os empregos mais estranhos do mundo

Muita gente sonha em ser médico, advogado, engenheiro, mas algumas pessoas resolveram seguir um caminho um pouco diferente:

Família de aluguel

Casas de luxo são um problema para os donos enquanto não são vendidas, afinal elas precisam se manter arrumadas para que os compradores tenham uma boa impressão e fechem negócio. Por isso, nos EUA, uma nova espécie de aluguel acabou surgindo.

Por lá existem casas que custam milhões sendo alugadas por poucos trocados. Isso não chega a ser um emprego, mas dá muito trabalho. Essas mansões são alugadas para pessoas de classe média, que pagam pouco, mas em troca precisam fazer algo: Criar um lar.

A ideia desse tipo de negócio é que os inquilinos mantenham o imóvel limpo 100% do tempo, sumam quando algum comprador for visitar o local e deixem tudo na mais perfeita ordem. Ou seja, em troca de viver em uma casa perfeita, eles precisam mantê-la bem ajeitada e com cara de lar para que os compradores fiquem contentes.

Esse tipo de negócio parece loucura, mas faz com que os donos das casas vendam elas por preços maiores e evita que eles gastem com empregados na limpeza.

Movedor de iceberg

Desde o afundamento do Titanic, nós descobrimos que os icebergs podem ser perigosos, por isso uma organização internacional, chamada International Ice Patrol, foi criada para tomar conta desses pedaços de gelo flutuante.

A ideia é que eles usem imagens de satélite para localizar icebergs em rotas perigosas e os desviem, evitando acidentes. Uma das principais preocupações desses homens é não permitir que algum iceberg bata em uma plataforma de petróleo, o que poderia ser catastrófico.

A organização, que completa 100 anos em 2014, possui uma base de dados com todos os icebergs circulando no Atlântico Norte e disponibiliza as informações sobre a posição gratuitamente na internet, evitando que qualquer navio possa colidir e repetir a tragédia do Titanic.

Observador de tinta secando

Não é piada, isso é um emprego de verdade. Dr. Thomas Curwen é um cientista que trabalha para a empresa Dulux, uma grande produtora de tinta. Seu trabalho é observar atentamente a tinta secando, notando a diferença na cor e o jeito que ela se comporta durante o processo.

Usando isso e observações em um microscópio, ele pode ajudar a desenvolver produtos mais duráveis e com cores mais precisas.

“Chorador” profissional

Em Taiwan existe uma antiga tradição na qual os parentes de um morto precisam mostrar toda sua tristeza com acontecimento. Com o passar do tempo, as pessoas acabaram ficando sem paciência para toda a cena e resolveram contratar outras pessoas para fazerem a choradeira no lugar. Foi assim que isso virou profissão.

A coisa ficou tão profissionalizada, que as choradeiras também cantam, dançam e fazem tudo que for possível para demonstrar uma grande tristeza. Felizmente essa tradição anda morrendo por lá e até já foi proibida em alguns lugares do país.