Minilua

Empregos que deixaram de existir

O mundo vai avançando em diversas áreas e, muitas vezes, o que era indispensável em um momento, acaba se tornando obsoleto e totalmente descartável. Esse tipo de mudança, além de afetar os objetos a nossa volta, acaba afetando também o emprego de muita gente.

Relógio humano

Muito antigamente, no tempo em que a eletricidade ainda era novidade, nem todas as pessoas possuíam relógios em casa. Por isso, existia a profissão de despertador humano, que ia de casa em casa, batendo na janelas das pessoas na hora desejada.

Ouvidor de radares

Logo que os aviões surgiram, os radares ainda não haviam ganho espaço no mundo. Porém, mesmo assim, todo mundo queria se defender de possíveis ataques e foi nessa onda que surgiram os radares humanos. Usando refletores de som e outras artimanhas, seres humanos eram colocados no meio de estranhas engenhocas e ficavam por lá apenas ouvindo, até que um motor de avião fosse captado a distância.

Caçador de ratos

Os ratos são famosos transmissores de doenças. E no passado, quando ainda não possuíamos as vacinas e remédios eficazes, exterminar a população de ratos era uma das melhores maneiras de vencer as doenças. Por isso, muitos homens ganhavam a vida em buracos pela cidade, caçando os indesejados animais. Essa profissão era extremamente perigosa e matava muitos dos que a faziam seu ganha pão.

Acendedor de luz

Hoje em dia vivemos com a facilidade de acender uma lâmpada apenas com o toque do dedos, mas, no passado, quando a eletricidade era coisa rara, os postes da rua usavam o bom e velho fogo para iluminar. Só que cada poste precisava ser acendido e apagado todos os dias, o que gerou emprego para milhares, até a popularização da eletricidade.

Telefonista

“Por favor telefonista, me ligue com o prefeito”. Hoje em dia ninguém mais fala com a telefonista para ter sua ligação completada, mas antigamente o trabalho era feito manualmente e por isso muitas pessoas ganhavam a vida apenas redirecionando ligações.