Minilua

Os erros médicos mais bizarros de todos os tempos

A medicina tem avançado demais nos últimos anos, mas isso não quer dizer que ela é impecável, ainda existem muitos erros a serem consertados, tanto que certos estudos afirmam que apenas conferir os dados antes das cirurgias pode evitar situações bem constrangedoras para a área médica.

Mesmo sendo uma área responsável por cuidar da vida, os casos a seguir comprovam que essa regra não foi muito bem seguida…

Confira:

Cirurgia cardíaca em outro paciente

Isso mesmo, trata-se de uma cirurgia feita por engano: Uma senhora de 67 precisava fazer uma cirurgia no cérebro, mas, ao invés disso, recebeu uma no coração para um estudo de eletrofisiologia. Durante a cirurgia, o médico maluco recebeu um telefonema de um colega de trabalho perguntado o que ele está fazendo com sua paciente… Só aí que o Doutor percebeu o erro e parou a cirurgia.

 

Perna errada amputada

Perder uma de suas pernas já é algo bem traumático, agora imagine perde-la por causa de um erro! O caso ocorreu em 1995, nos EUA, quando uma equipe de médicos começou a retirar uma perna de Willie King e depois, no meio da remoção, percebeu que haviam começado pela perna errada, infelizmente, já era tarde demais. O duro é que a outra perna ainda precisava ser amputada e Willie acabou ficando sem ambas as pernas. O médico foi multado e afastado por seis meses e King ainda recebeu uma indenização de mais de um milhão de dólares.

 

Objeto esquecido dentro do paciente

Nenhum objeto deve ser esquecido dentro do paciente, ainda mais quando o mesmo tem o tamanho de uma régua! Isso aconteceu durante uma cirurgia de remoção de um tumor e não foi o único caso, ainda existiram outros quatro.

A boa notícia é que o tumor de Donald Church foi removido, mas a ruim é que ele ganhou de presente, em seu abdômen, um afastador de 33 centímetros de comprimento.

 

Recepção de órgãos incompatíveis

Não sei se você sabe, mas, para haver sucesso em um transplante, é necessário que vários fatores – dentre eles o tipo de sangue – seja compatível, caso contrário, o próprio corpo humano rejeita o órgão. Sabendo disso, agora você pode entender porque Jésica Santillián veio a falecer: ela precisava de um pulmão e de um coração novo, mas acabou recebendo os dois de um doador de sangue tipo “A” quando ela era “O”. Depois do ocorrido, o hospital reconheceu seu erro e acabou fazendo um acordo financeiro para com a família de Jésica.

Clínica que usou o esperma errado

Um casal foi em uma clínica de fertilização e pagaram caríssimo pelo tratamento que seria a solução de seus problemas. Mas algo estranho aconteceu pois, quando a criança que nasceu era negra, sendo que os pais eram caucasianos. Quando fizeram um exame de DNA os médicos perceberam que haviam usado o esperma errado para inseminar os óvulos da mulher…

A clínica está sendo processada, mas até agora a família não conseguiu uma indenização.

A medicina está cada vez mais maluca….

Me adicione no Facebook: Nandy Martins

E faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/