Minilua

Esqueça os 300, os 21 são os verdadeiros heróis de guerra

Em 1897, uma das batalhas mais épicas de todos os tempos foi travada na fronteira da Índia. De um lado estavam os indianos, sob o comando inglês—que na época ainda mantinha o país como sua colônia—e do outro lado estavam os rebeldes afegãos, tentando tomar algum terreno para si. No meio dessa guerra de interesses, um pequeno regimento entrou para a história:

Batalha de Saragarhi

Na época, Saragarhi era um pequeno distrito na fronteira da Índia. A posição estratégica do lugar fazia com que ele se tornasse um ponto importante. Por isso, os ingleses, assim que tomaram o local de maneira mais definitiva, posicionaram seus homens em duas fortalezas locais, mas como elas não tinham contato visual direto entre si, uma nova base foi construída entre elas. O forte Saragarhi foi feito em cima de um morro rochoso e tinha a missão de fazer a comunicação entre as outras fortalezas, usando fogo e sinais de fumaça.

Tudo ocorria bem, até que, no dia 12 de setembro de 1897, o pequeno grupamento britânico, que defendia o forte Saragarhi, viu o inimigo se aproximar. Os defensores da torre eram 21 soldados de origem indiana do batalhão Sikhs 36. Imediatamente um sinal de ajuda foi enviado para o forte seguinte, solicitando o envio de mais tropas, porém o local não possuía homens para enviar em ajuda dos 21.

Sem muita escolha, os 21 homens resolveram fazer um pacto de luta até a morte. O problema era que a força atacante contava com 10 mil homens! Mesmo assim, os defensores seguraram a posição. 

As nove horas da manhã, do dia 12 de setembro de 1897, o ataque se iniciou. Em pouco tempo, dois soldados do Sikhs 36 estavam gravemente feridos, mas nenhum inimigo havia rompido as defesas. Ofertas de rendição foram enviadas, porém nenhuma foi aceita. Os ataques continuaram, com duas grandes tentativas de derrubada dos portões.

Com o passar do tempo, o poderio inimigo fez um pedaço da muralha ceder, abrindo espaço para uma grande invasão, que deveria dar fim a batalha. Porém, os ferozes indianos partiram para a batalha corpo a corpo, em uma desesperada defesa. Enquanto a luta se desenrolava nas partes mais exteriores do forte, os indianos recuam para a parte interna, enquanto o capitão deles se sacrifica para dar o tempo necessário para a mudança de posição. Depois de algumas horas, os invasores tomaram totalmente o forte, matando os 21 bravos soldados.

O atraso gerado pelos 21 guerreiros deu a chance para que o outro forte pedisse ajuda e preparasse uma defesa mais forte. Graças a isso, os rebeldes foram derrotados.

Ao final da segunda batalha, o forte defendido pelos 21 foi retomado, mostrando que eles haviam derrubado, pelo menos, 180 inimigos, mas alguns números chegam a falar de 600. O ato de bravura desses homens entrou para história e todos eles receberam a “Honra ao Mérito”, maior condecoração que um soldado indiano pode receber. 

Os soldados também ganharam uma placa no local, que lembra da bravura deles e mostra o nome de todos esses grandes guerreiros:

“O Governo da Índia ergue essa placa em memória aos 21 homens do Sikhs 36, cujo os nomes estão gravados abaixo nesse registro perpétuo do heroísmo demonstrando por esses galantes soldados, que morreram em seus postos na defesa do forte Saragarhi, no dia 12 de setembro de 1897, lutando contra um número esmagador de inimigos. Seus atos foram provas de sua lealdade e devoção a sua terra natal, a Índia, e mantém a reputação do Sikhs em campo de batalha.”