Minilua

As estranhas terapias da Medicina Tradicional Chinesa

A Medicina Tradicional Chinesa (MCT) é composta por um conjunto de práticas de medicina tradicional em uso na China, desenvolvidas no curso de sua história. A MCT é utilizada principalmente como medicina alternativa, com caráter complementar.
Ela tem por princípio básico a teoria da energia vital que circula pelo corpo através de canais, chamados de meridianos, os quais teriam ramificações que os conectariam aos órgãos.

É importante lembrar que a teoria e a prática da Medicina Tradicional Chinesa não são baseadas em conhecimento científicos e a eficácia da medicina fitoterápica chinesa continua pouco pesquisada e documentada. Todas as práticas e terapias baseiam-se na crença popular e não possuem fundamentação médica convencional válida, sendo consideradas pseudociência.

Algumas dessas terapias são bastante conhecidas e praticadas no Brasil, como a Acupuntura por exemplo, que consiste da aplicação de agulhas em pontos definidos do corpo. No entanto, apesar de serem amplamente praticadas em países Asiáticos, algumas técnicas causam estranheza ao nossos olhos ocidentais.

Moxabustão

Moxabustão é um técnica milenar, originária do norte da China que significa, literalmente, “longo tempo de aplicação do fogo”. A técnica é uma espécie de acupuntura térmica, feita pela combustão de ervas com efeitos analgésico e antiespasmódicos. É um tratamento terapêutico que baseia-se nos mesmos princípios e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na acupuntura, sendo amplamente utilizada nos sistemas de medicina tradicional da China, Japão, Coreia, Vietnam, Tibete, e Mongólia.

Acredita-se que a moxabustão trata e previne doenças através da aplicação de calor em certas regiões do corpo humano. A técnica é conhecida no Brasil como Cone Chinês e aqui é aplicada principalmente no ouvido e nas vias respiratórias. A aplicação promete estimular a limpeza natural de mucosas em excesso ou solidificadas ajudando no combate a inflamações e infecções.

Ventosaterapia

Ventosaterapia é uma forma milenar de medicina alternativa que emprega ventosas. Esta forma de terapia é utilizada desde tempos remotos em diversas civilizações. Baseia-se no princípio da sucção de espécies de copos redondos de vidro, que são aquecidos internamente com fogo. Após aplicação numa área da pele, o ar aquecido começa a esfriar, formando um vácuo parcial no interior do copo. A diferença de pressão entre o ar interior e o exterior acaba por gerar uma força de sucção.

Seus praticantes alegam que seu uso é indicado para tratar diversos problemas de saúde, incluindo dores, gastrite, artrite, resfriados e gripe. Não há comprovação científica de seus supostos efeitos benéficos, além disso, pode ser nociva à saúde do paciente, causando queimaduras e irritação da pele.

Gua Sha e Tuiná

O Gua Sha é uma técnica milenar chinesa que promete melhorar a circulação e a oxigenação sanguínea para restaurar a beleza e a saúde. Ela geralmente é associada com a técnica do Tuiná, que é uma forma de massagem chinesa que visa estimular ou sedar os pontos dos meridianos do paciente, visando o equilíbrio do fluxo de energia por estes canais.

Para aplicar a técnica do Gua Sha, o terapeuta utiliza uma espátula feita de jade, chifre de boi, búfalo entre outros materiais, realizando uma raspagem da pele. Acredita-se que essa raspagem se realizada em áreas específicas do corpo também ajuda a prevenir doenças, além de rejuvenescer a pele e reativar o metabolismo dos músculos.