Os estranhos estados da matéria

Na escola, um dos conhecimentos mais básicos sobre a ciência que aprendemos são os estados da matéria. Basicamente, três estados são citados: gasoso, líquido e sólido. Cada um deles é bem definido em suas características e acabam representando muito bem os materiais com os quais convivemos diariamente. Porém, na verdade, existem muitos outros estados bem estranhos:




Os estados “normais”

Boiling Water on Gas

Boiling Water on Gas

Definir o estado de um material parece não ser a coisa mais complexa do mundo a primeira vista. Sólidos são aqueles que possuem forma e volume definidos. Quando falamos de líquidos, nos referimos ao estado onde as moléculas que compõe a matéria estão unidas de maneira mais frágil e se adaptam ao seu meio, como a água em um copo. Por último, temos o estado gasoso, onde as moléculas não estão necessariamente unidas e se movem aleatoriamente no espaço.

Esse três estados da matéria são os mais comuns e conhecidos, porém, existem outros, como o plasma ou o Condensado de Bose-Einstein. Os outros são aqueles que representam a transição de um para o outro e um dos mais polêmicos e estranho é sólido amorfo.




O estado estranho

estruturas-cristalinas-e-defeitos-4-638

O vidro é uma substância bastante conhecida de todos. Durante muito tempo, houve uma grande discussão em torno desse material, pois ninguém sabia dizer se ele era um sólido ou um líquido. Muitos acreditavam que o vidro se deformava com o passar do tempo, como se fosse um líquido bem viscoso. Essa ideia surgiu devido as vitrais de igrejas medievais, onde muitos vidros tinham a base mais espessa do que a parte superior. Porém, essa diferença era causada pela fabricação tosca da época e não porque o vidro se deformava com o passar do tempo.

Mesmo sabendo disso, ainda existia um outro problema. Os materiais sólidos possuem uma característica marcante a nível atômico. Todo sólido possui estruturas atômicas definidas, ou seja, os átomos desses materiais se agrupam de um determinado jeito, que é importante para a solidez do mesmo. Contudo, o vidro é diferente. Se olharmos algum material como um aço no nível atômico, é possível ver claramente que seus átomos estão espalhados de maneria ordenada, porém no vidro, o que vemos é uma bagunça total.

Para quem não sabe, o vidro nada mais é que areia derretida a milhares de graus, que se solidifica rapidamente. Nesse processo de virar sólido, os átomos não tem tempo de se arrumar, ficando bagunçados. Dessa forma, a viscosidade do vidro aumenta até o ponto em que ele não “se move mais”, porém, sua estrutura continua sendo a de um material em estado líquido, com as moléculas bagunçadas. Por isso, esse tipo de sólido possui um nome: Sólido amorfo.

  1. Li Syaoran

    10 de agosto de 2015 em 19:41

    Seria mais prudente então classificar o vidro como uma mistura de natureza variável de acordo com os seus constituintes e condições de fundição, resfriamento, etc.

  2. chapolim do mal

    8 de agosto de 2015 em 21:45

    Penso eu que, se não houver, deveria ter uma continuação explicando essas outras matérias e incluir as cósmicas.

    • Frank the Rabbit

      9 de agosto de 2015 em 09:46

      Também acho, foi legal a matéria, mas cheguei no final e fiquei tipo: cadê o resto? Parece que ficou incompleta, sei lá…

      • Blue

        9 de agosto de 2015 em 15:36

        Verdade, parece que terminou no meio, foi legal, mas podia ter mais coisas

  3. Emmanov Kozövisck

    8 de agosto de 2015 em 18:24

    Um ótimo texto, mas deixo aqui meu complemento:
    – Definição (simplista) de líquido: forma variável e volume definido.
    – Definição (simplista) de gasoso: forma e volume variáveis.

  4. Lenyyfla lenyy

    8 de agosto de 2015 em 16:26

    buguei a mente :S

6 Comentários
mais Posts
Topo