Minilua

Estreias dos cinemas 05/06

Confira os filmes que entraram em cartaz nessa quinta-feira nos cinemas:

A Culpa É das Estrelas


Sinopse:
A história gira em torno de Hazel e Gus, dois adolescentes que se conhecem em um grupo de apoio a pacientes com câncer, e compartilham, além do humor ácido e do desdém por tudo o que é convencional, uma história de amor que os faz embarcar em uma jornada inesquecível.

 

Oldboy – Dias de Vingança


Sinopse:
Homem comum é raptado na rua e passa 15 anos em cativeiro sem saber os motivos. Quando libertado, ele irá atrás das pessoas responsáveis pelo sequestro em busca de uma sangrenta vingança.

 

O Lobo Atrás da Porta


Sinopse:
Numa delegacia, um homem (Milhem Cortaz), sua mulher (Fabíula Nascimento) e a amante dele (Leandra Leal) são interrogados. Arrancados pacientemente pelo detetive (Juliano Cazarré), um após o outro, seus depoimentos vão tecendo uma trama de amor passional, obsessão e mentiras que levará a um final completamente inesperado.

 

Riocorrente


Sinopse:
São Paulo é um barril de pólvora prestes a explodir. Em meio ao turbilhão da cidade, um jornalista, um ex-ladrão de automóveis e uma mulher misteriosa vivem um intenso triângulo amoroso. O choque entre seus desejos e o atrito entre as faces opostas da cidade apontam a urgência de mudanças radicais.

 

Vermelho Brasil


Sinopse:
Baseado no livro homônimo do escritor francês Jean-Christophe Rufin, o filme conta a história da expedição de Nicolas Durand de Villegaignon ao Brasil por volta dos anos 1550 e sua luta para criar uma colônia, a chamada França Antártica, no litoral conquistado pelos portugueses. Assim, de uma pequena fortaleza de madeira construída para combater os invasores — e que tinha como sede de armas uma ilha que até hoje carrega o nome de Villegaignon -, nasceu a cidade do Rio de Janeiro.

 

Tim Lopes – Histórias de Arcanjo


Sinopse:
“Tim Lopes – Histórias de Arcanjo” fala sobre a vida do jornalista sob o ponto de vista do filho, Bruno. É ele o fio condutor do filme, enredado através de uma carta escrita pelo pai em 1999, quando alertava o filho sobre os perigos da vida adulta. Dez anos depois, ao encontrar a carta no fundo de uma gaveta, Bruno decide procurar pelo pai através de relatos de amigos e descobre que, além de repórter, Tim também era maratonista, fundador de bloco de carnaval, exímio pé-de-valsa das gafieiras cariocas. Fillho carinhoso, irmão atencioso e pai exemplar. O documentário conta sobre sua origem e o que fez ingressar na profissão. Como era o Tim? Histórias que contarão sua trajetória desde a Manchete, em 1969, até a TV Globo, em 2002. Matérias de arquivo dos veículos por onde passou. Pessoas que conviveram com ele e, ao encontrarem Bruno, diziam: “Você é filho do Tim? Rapaz, seu pai certa vez….” E surgia sempre uma história curiosa e interessante. E assim também eram suas pautas, suas reportagens. A vida do jornalista e a vida pessoal: é possível desvencilhá-las?