O fim da humanidade segundo Stephen Hawking

Stephen Hawking é uma das mentes mais importantes da história. Ele é responsável por uma boa parte de nosso entendimento atual do Universo e suas ideias são respeitadas por toda a acadêmia científica. Por isso, quando ele relatou quais as coisas que poderiam exterminar a humanidade, todo mundo ficou preocupado:




Inteligência artificial

stephan_hawking

Há 50 anos, ninguém em sã consciência acreditaria que os computadores poderiam fazer mais do que alguns milhares de cálculos por segundo. Mas hoje em dia, os computadores pessoais conseguem simular mundos inteiros, resolver problemas matemáticos de complexidade incrível e mantém o mundo inteiro funcionando através das redes.

Esse crescimento em poder de processamento e complexidade nos leva aos poucos para a inteligência artificial. Claro que ainda estamos longe disso, mesmo assim um grupo de mente brilhantes já anda pensando nesse problema.

Hawking acredita que o maior perigo para raça humana pode vir dos computadores: “O desenvolvimento de uma inteligência artificial pode representar o fim da raça humana”. A preocupação dele é tão grande que, no dia 11 de janeiro, o cientista se juntou a um grupo de importantes mentes de nossa época e publicou uma carta aberta para a humanidade, onde pede cuidados com o desenvolvimento da inteligência artificial.

Esse grupo, conhecido como Future of Life Institute, é composto por pessoas importantes, como o próprio Stephen, Morgan Freeman, Elon Musk, Alan Alda e outras mentes brilhantes. A ideia dele é preservar a existência da humanidade acima de tudo, prevendo os perigos que teremos que enfrentar pela frente.




Vida inteligente fora da Terra

Intelligence-is-the-ability-to-adapt-to-change.Stephen-Hawking-quotes

Outro perigo que Hawking leva bastante a sério é a possibilidade de vida extraterrestre inteligente, que possa exterminar a humanidade. Uma possível visita de ET’s pode criar um conflito para o qual a humanidade não está nem um pouco preparada. Pois se algum tipo de vida inteligente possui a capacidade de viajar de seu planeta até aqui, a tecnologia deles é muito superior a nossa e só porque são mais evoluídos, não quer dizer que sejam mais pacíficos.

“Se aliens um dia nos vistarem, eu penso que será como a primeira vez que Cristóvão Colombo visitou a América, algo que não foi muito bom para os nativos”. Stephen se refere ao massacre feito pelos exploradores europeus nas Américas, onde quase todos os índios nativos foram exterminados ou escravizados. Ele acredita que o mesmo pode acontecer com os terráqueos, quando forem visitados por seres de fora.

Caso uma civilização alien se torne nômade, explorando diversos lugares do Universo em busca de recursos, eles poderiam esbarar com a Terra e exterminar todos. Uma civilização que depende de recursos de outros planetas, não perderia muito tempo se preocupando com uma raça considerada inferior.

De inteligência artificial, a uma supercivilização alien, no fim parece que uma das mais inteligentes mentes da história teme que a humanidade seja extinta pela mesma coisa que a fez se tornar tão grande: inteligência.

  1. Gabriel Frigini

    8 de março de 2015 em 12:12

    o filme da vida dele ganhou um Oscar, certo?

  2. TKD kyosanim

    5 de março de 2015 em 12:48

    [img]http://www.slate.com/content/dam/slate/blogs/bad_astronomy/2012/12/14/DeanReeves_earthshattering.jpg.CROP.original-original.jpg[/img]

    – PQP !!!, e agora ??
    – Virei sem-teto na lua ?!
    =)

  3. Moises (Oh Bonito)

    5 de março de 2015 em 09:29

    O mundo vai se acabar em zueira, poxa, os extras terrestres vem aqui, abduzem nossas vacas, fazem desenhos no milharal, acho que não são tão perigosos, no máximo não vai ter carne FRIBOI no mundo !!! kkkkkkkkkkkk

  4. Pedro Victor

    4 de março de 2015 em 19:05

    Caraca igualzinho o Vegeta quando saiu do planeta dele e veio pra cá,por sorte tínhamos o Goku!!!

    • Seu Kumyama

      5 de março de 2015 em 20:47

      Não se preocupe, nos temos o Chuck Norris.

  5. Lucas

    4 de março de 2015 em 14:32

    para se defender da invasão extraterrestre é só lembrar do que os filmes nos ensinaram ou seja : aliens sempre tem alguma alergia inexplicável a algo mundano ao qual damos ou não o menor valor, seja água, luzes estroboscópicas ou o vírus da gripe.

    Portanto, assim que alienígenas baterem na sua porta pedindo um macaco hidráulico emprestado para trocar o pneu da nave, jogue um copo de água na cara deles e se não derreterem, espirre na cara deles e lhe passe todas suas doenças.

    Se pegar uma virose, melhor ainda, aproveite e vomite sobre os invasores!

    Claro que isso vai ser considerado um ato de guerra, mas você quer arriscar e deixar que os malditos levem nossas ruivas?

    • killvander

      5 de março de 2015 em 12:00

      “Eu tive que logar 2 ”

      Se isso acontecer, ficar sem mulher é o seu menor, dos menores, dos minúsculos do seus problemas.

    • Heizenberg Bombtrack

      5 de março de 2015 em 11:19

      Tive q logar so pra curtir seu comentario KKKKKKKKKK

  6. Blue

    4 de março de 2015 em 14:10

    Inteligência artificial é possível e perigosa, é só não ensinar os robôs a serem humanos que fica tudo certo, o nosso problema é que sempre tentamos ter vantagens, um robô não enganaria pessoas para ter vantagens, não tentaria ser melhor que todo mundo, não faria coisas erradas sem motivos, pois não sentiria emoções, logo, não teriam qualidades nem defeitos, e o problema seria exatamente esse, eles criariam uma sociedade organizada, um sistema sem falhas, diferenças ou opiniões, completamente racional e neutro, one ficam os humanos nesse sistema? É simples, não ficam, pois humanos tem falhas, defeitos, são frágeis e imprevisíveis, ás vezes agindo por impulso sem razão.
    Aliens já poderiam ter invadido a Terra, acho que a maior probabilidade é que nós vamos arrumar brigas com seres muito mais poderosos que a gente.

  7. Karamelo

    4 de março de 2015 em 12:06

    Pra um alien poder se aproveitar dos recursos naturais daqui da terra, ele teria que ser “compativel” com o nosso ambiente. Se eu não me engano, em Guerra dos mundos tem um situação parecida, em que aliens invadem e morrem depois de expostos a nossa atmosfera…
    Quanto a inteligencia artificial, acho bem dificil de acontecer, ainda mais pelo tempo que vai demorar até que seja desenvolvida.

  8. Joel Alvarenga

    4 de março de 2015 em 03:57

    Ainda acho que a “Carta de 2017” que foi publicada aqui no Minilua descreve melhor como terminaremos.
    Link da “carta”: http://minilua.org/terra-um-planeta-sem-agua/

    • Joel Alvarenga

      4 de março de 2015 em 03:59

      OBS: “Carta de 2070”

  9. Jeff Dantas

    4 de março de 2015 em 02:14

    E há quem diga, que seremos dominados por robôs. Se eh verdade ou não, eu sei, mas que daria uma ótima série no Sci-Fi… 🙂

    • Um qualquer

      4 de março de 2015 em 11:07

      Eu , robô é um filme que retrata bem isso.

  10. Jeff Dantas

    4 de março de 2015 em 02:13

    Tai, uma das pessoas que eu mais admiro nesse mundo. ^^

  11. Greengineer

    4 de março de 2015 em 00:30

    Eu acho que não vai ser a inteligencia, mas sim a burrice e ignorância das massas que vai resultar no fim. Super população, doenças contagiosas, conflitos religiosos e etc.

  12. Andrew Rox

    3 de março de 2015 em 20:43

    Talvez uma invasão extraterrestre leve um pouco de nossas moléstias junto com eles assim como os europeus trouxeram para cá. Enfim, pode ser que os armamentos nucleares possuam alguma utilidade caso ocorra esse contato inusitado porque atualmente eles são forjados para trazer apenas insegurança.

    • Greg

      3 de março de 2015 em 20:49

      Bem , nesses casos então… que os Ets não pousem no brasil rçrçrç

  13. Greg

    3 de março de 2015 em 20:20

    NA verdade se não controlarmos o numeros de pessoas que aumentam a cada dia , morreremos pela falta de recursos naturais… é isso que nos faz viver e viver bem…. a coisa ja ta feia …. na minha opiniao tudo que é demais acaba morrendo.. até os animais irracionais se preocupam com o numero de especies que nascem….. e a gente só se preocupa em derrubar arvores e aumentar as cidades…

    • P Pierrot

      4 de março de 2015 em 11:48

      Amigo essa idéia é muito perigosa. Ouso dizer que naturalmente a taxa de nascimentos é proporcional as mortes dia a dia. Fora o número de assassinatos por guerras e criminalidade.
      Se começarem a pensar em medidas de controle populacional eu acho que teriamos com o que nos preocupar, no sentido de mais liberdades nos sejam roubadas, vide controle populacional da china.

  14. chapolim do mal

    3 de março de 2015 em 19:47

    O verdadeiro fim do mundo vai acontecer por causa de vírus ou bactérias porque existem muitas pessoas, mais do que o planeta pode sustentar, e a transmissão de uma doença que exterminaria a humanidade é previsível. Outro tipo de apocalipse seria uma grande guerra, apesar de acreditar que todos os países sabem o que aconteceria se houvesse uma guerra e as tentaria evitar ao máximo. E ainda existe um terceiro problema, o fim dos recursos naturais do planeta como combustíveis e até água, isso quer dizer que devemos nos preocupar com problemas atuais ao invés de que com I.A e ET’s.

    • João Víctor Lúcio

      14 de março de 2015 em 16:55

      Concordo contigo em algumas partes, mas creio que Hawking vai além de problemas que nos influenciem atualmente e assim como se entende no post ele prevê possíveis problemas relacionados a tecnologias avançadas no futuro e como dizem: “Para bom entendedor meia palavra basta”, então meu caro eu não descartaria tais possibilidades, creio que esse conhecimento sirva-nos de algo futuramente.

    • Wecton Yahiko

      5 de março de 2015 em 12:49

      Peixe se nada disso acontecer eu vou estudar Quimica e energia Nuclear e criar uma bomba De mais e 1000 Megatons de power e destruir saporratoda, o homem é um problema que só outro Homem pode resolver, ou algo ainda Maior…

    • Ferto Malis

      4 de março de 2015 em 17:57

      eu acho muito dificil a humanidade se extinguir pelo fato de falta de recursos naturais,se a coisa ficar seria os que tem menos condiçoes vão morrer acabando com o esseço rapidamente e sempre vão sobrar riquinhos por ai muita gente vai morrer mais a humanidade em si,a continuidade da especie se perpetuara

    • Carlos Cubo Nito

      4 de março de 2015 em 15:35

      ou nao

    • P Pierrot

      4 de março de 2015 em 11:51

      Não gosto muito da idéia de controle populacional, de fato a exploração dos recursos naturais está cada vez mais voraz, mas também o desperdício de recursos é evidente.
      Caso houvesse um remanejo inteligente dos recursos transformando a linha de produção de bens em um ciclo talvez o impacto ambiental diminuisse gradativamente, exemplo são alguns países europeus que em alguns anos educaram a população a reciclar.
      Voltando a controle populacional é uma idéia a se temer: podem se utilizar (ou estão se utilizando) artificios para dizimar dezenas de vidas (pulverizando a atmosfera com resíduos tóxicos, os alimentos, guerras forjadas e muito mais).
      Convenhamos que não é justo.

      • Blue

        4 de março de 2015 em 13:27

        O problema é que ajudar os pobres e proteger a natureza não dá dinheiro, e dinheiro e poder são as únicas coisas que importam para as pessoas que realmente podem fazer alguma coisa, colocar o lixo no lugar certo e reciclar não vai salvar o mundo, mas deixar de construir um shopping para manter uma floresta vai, sobre o controle populacional e recursos limitados, qual opção é mais fácil, perder dinheiro e tempo protegendo a natureza ou secretamente matar milhões de pessoas?

      • chapolim do mal

        4 de março de 2015 em 12:26

        SPOILER ALERT SOBRE O LIVRO INFERNO.
        Existe um livro do Dan Brown ( Código da Vinci) chamado inferno onde um homem deixa a maior parte da população estéril por meio de um vírus, assim eles não teriam filhos e diminuiria a população sem matar ninguém.

        • Emmanov Kozövisck

          4 de março de 2015 em 15:33

          Meu nobre confrade, já li O Código da Vinci, O Símbolo Perdido e Inferno e digo-lhe que são livros FICTÍCIOS muito bons, mas, como deve-se esperar, as obras de Dan Brown são produzidas para o entretenimento dos leigos, ou seja, embora realmente haja traços de realidade em suas obras (e é exatamente por isso que delas gosto), eu sempre desconfio muito das ideias abordadas por ele. Bem, indo ao que interessa, se não estou enganado o vírus atingiria 1/3 da população mundial, tornando-a infértil, mas mesmo que esse vírus causasse a infertilidade em 50% a exploração dos recursos naturais provavelmente voltaria a ser a mesma, pois o capitalismo nacionalista impossibilita a redução populacional.

          • chapolim do mal

            4 de março de 2015 em 16:08

            Digamos que 1/3 dos humanos seja 2 bilhões e meio, quando essas pessoas morrerem sobraram 4,5 bilhões de pessoas que podem ter filhos, teriam que trabalhar muito mais os filhos dos “sobreviventes” e teriam menos filhos proporcionalmente e assim por diante até que a população se estabilizasse numa quantidade razoável para o planeta. O capitalismo não gera filhos, pessoas sim, o consumismo só causa o fim dos recursos mas não influência as pessoas a terem filhos e assim gastar menos.

          • Emmanov Kozövisck

            4 de março de 2015 em 18:31

            Lei o termo completo: “capitalismo NACIONALISTA”. O termo “nacionalista” é majoritariamente empregado para determinar o orgulho de nascer/viver em um país, mas, nesse caso, eu refiro-me à influência dos países desenvolvidos para que seus cidadãos reproduzam-se, impossibilitando, assim, a integração de imigrantes no mercado de trabalho “de alto nível”, impossibilitando que a população mundial reduza-se efetivamente. A Europa (e quando digo “Europa”, refiro-me aos países mais ricos, concentrados no ocidente) sofre, há alguns anos, com a diminuição das taxas de natalidade devido ao alto custo de vida e também à liberdade social da mulher e isso aliado ao alto índice de qualidade de vida gera um desequilíbrio econômico, pois muitos fazem parte da população economicamente inativa e poucos da ativa. Como solução, os governos aumentam cada vez mais a idade para a aposentadoria, mas essa não é uma solução muito agradável aos cidadãos e que não pode ser muito “flexibilizada” – as outras soluções são a privatização de serviços públicos (saúde, educação etc.), que não resolvem inteiramente esse problema devido a essa tendência; incentivar a entrada de imigrantes (não utilizadas em alguns países por questões xenofóbicas) e incentivar a reprodução, dando, inclusive, meses de férias remuneradas para mães e até pais. Nesse sistema é visível que o centro de desenvolvimento deseja manter sua homogeneidade, enquanto os países emergentes atingirão o mesmo patamar, sofrerão do mesmo problema até que viva-se em um caos estrutural. É por isso que eu acredito que o internacionalismo é uma boa alternativa, embora não seja a única.
            E, sinceramente, eu não entendi a parte “quando essas pessoas morrerem sobraram 4, 5 bilhões de pessoas que podem ter filhos, teriam que trabalhar muito mais os filhos dos “sobreviventes” e teriam menos filhos proporcionalmente”, explique melhor, por favor.

          • chapolim do mal

            5 de março de 2015 em 19:48

            As pessoas ou casais que trabalham mais tem menos tempo para cuidar de filhos e isso causa muitos casais sem filhos. Com menos gente para trabalhar, contando com o local que existam mais trabalhadores,
            mais trabalho vai existir.

    • The Guy

      3 de março de 2015 em 19:55

      Realmente, eu acho que existem coisas mais perigosas como essas que vivemos na atualidade do que “Exterminadores do futuro” e “marcianos do mau”.

      • David de Souza

        4 de março de 2015 em 13:11

        esse tipo de coisa só daria certo se computador fosse aprova de balas e o metal dos supostos tanques pilotados por tal, não fosse vulneravel a color e pressão de um rpg.

34 Comentários
mais Posts
Topo