Minilua

O fim da humanidade segundo Stephen Hawking

Stephen Hawking é uma das mentes mais importantes da história. Ele é responsável por uma boa parte de nosso entendimento atual do Universo e suas ideias são respeitadas por toda a acadêmia científica. Por isso, quando ele relatou quais as coisas que poderiam exterminar a humanidade, todo mundo ficou preocupado:

Inteligência artificial

Há 50 anos, ninguém em sã consciência acreditaria que os computadores poderiam fazer mais do que alguns milhares de cálculos por segundo. Mas hoje em dia, os computadores pessoais conseguem simular mundos inteiros, resolver problemas matemáticos de complexidade incrível e mantém o mundo inteiro funcionando através das redes.

Esse crescimento em poder de processamento e complexidade nos leva aos poucos para a inteligência artificial. Claro que ainda estamos longe disso, mesmo assim um grupo de mente brilhantes já anda pensando nesse problema.

Hawking acredita que o maior perigo para raça humana pode vir dos computadores: “O desenvolvimento de uma inteligência artificial pode representar o fim da raça humana”. A preocupação dele é tão grande que, no dia 11 de janeiro, o cientista se juntou a um grupo de importantes mentes de nossa época e publicou uma carta aberta para a humanidade, onde pede cuidados com o desenvolvimento da inteligência artificial.

Esse grupo, conhecido como Future of Life Institute, é composto por pessoas importantes, como o próprio Stephen, Morgan Freeman, Elon Musk, Alan Alda e outras mentes brilhantes. A ideia dele é preservar a existência da humanidade acima de tudo, prevendo os perigos que teremos que enfrentar pela frente.

Vida inteligente fora da Terra

Outro perigo que Hawking leva bastante a sério é a possibilidade de vida extraterrestre inteligente, que possa exterminar a humanidade. Uma possível visita de ET’s pode criar um conflito para o qual a humanidade não está nem um pouco preparada. Pois se algum tipo de vida inteligente possui a capacidade de viajar de seu planeta até aqui, a tecnologia deles é muito superior a nossa e só porque são mais evoluídos, não quer dizer que sejam mais pacíficos.

“Se aliens um dia nos vistarem, eu penso que será como a primeira vez que Cristóvão Colombo visitou a América, algo que não foi muito bom para os nativos”. Stephen se refere ao massacre feito pelos exploradores europeus nas Américas, onde quase todos os índios nativos foram exterminados ou escravizados. Ele acredita que o mesmo pode acontecer com os terráqueos, quando forem visitados por seres de fora.

Caso uma civilização alien se torne nômade, explorando diversos lugares do Universo em busca de recursos, eles poderiam esbarar com a Terra e exterminar todos. Uma civilização que depende de recursos de outros planetas, não perderia muito tempo se preocupando com uma raça considerada inferior.

De inteligência artificial, a uma supercivilização alien, no fim parece que uma das mais inteligentes mentes da história teme que a humanidade seja extinta pela mesma coisa que a fez se tornar tão grande: inteligência.