Minilua

Fotos aéreas que mostram a ganância do ser humano

A civilização humana tal como a conhecemos hoje só se desenvolveu há cerca de 6.000 anos e podemos dizer que somos a espécie que mais prejudicou a Terra neste curto período de progresso que fizemos.

As coisas tomaram um rumo pior com o início da Revolução Industrial, com o crescimento da indústria mecanizada, e continuou por este caminho destrutivo após a Segunda Guerra Mundial, quando houve uma explosão populacional.

Isto não só mudou o curso da civilização, como também a paisagem da Terra para sempre e é isto que vamos apresentar nesta série.
Confira:

Tóquio, Japão

Se você é claustrofóbico, Tóquio, pode não ser a melhor cidade para você. Uma das cidades mais populosas do mundo é o lar de 37,8 milhões de pessoas em uma área de 5.200 milhas quadradas. Em termos de construções, perde apenas para New York.

O que também é impressionante é que grande parte da cidade foi construída após a Segunda Guerra Mundial. Antes disso, muitos dos edifícios eram de madeira moldada, até que os americanos bombardearam a cidade em 9 de março de 1945 destruindo 16 milhas quadradas e matando entre 80.000 e 130.000 pessoas.

Além da reconstrução, no final da Segunda Guerra Mundial, havia 9,3 milhões de pessoas que viviam em Tóquio, o que significa que a cidade se expandiu para acomodar um adicional de 28,5 milhões de pessoas em 70 anos.

Rio Huaypetue Mine, Manú Province, Peru

Alguma vez você já se perguntou por que nós valorizamos tanto o ouro? Bem, essencialmente, tudo se resume ao fato dele ser um elemento raro (mas não escasso) e também tem um ponto de fusão relativamente baixo (tornando-o mais fácil de moldar sua forma). Por todas estas razões, o ouro tem sido usado desde 550 aC como moeda, e ainda é considerado uma mercadoria valiosa nos dias de hoje.

Por causa do amor das pessoas pelo ouro, algumas áreas do mundo têm sido minadas e dilaceradas para sua procura. Um lugar notável onde isso aconteceu, de forma ilegal na sua maioria, é o Rio Huaypetue Minas em Manú Province, Peru. No seu auge, dois por cento de ouro do mundo surgiu de lá.

A mineração levou ao desmatamento em uma área que já foi uma floresta, fazendo as paisagens parecerem com rios de diarreia. Ainda pior do que destruir boa parte da área é que o mercúrio envenenou completamente o solo e a água da região.

Manhattan, New York, EUA

Manhattan é um dos lugares mais densamente povoados do planeta, com 71,672 habitantes por milha quadrada. No entanto, isso não é tão mau como ele costumava ser. Em 1910, 2,3 milhões de pessoas viviam no local, em comparação com os 1,63 milhões de pessoas que vivem ali desde o último levantamento em 2014.

Manhattan também é conhecido por usar quase cada polegada quadrada de terra e, como resultado, ele o local com mais parques per capita dos Estados Unidos. Eles também tem um dos parques mais famosos do mundo, o Central Park, no Upper Manhattan, que está na foto acima.

Rocinha, Rio de Janeiro, Brasil

Na América do Sul, a favela com a maior densidade de pessoas é a Rocinha, que está localizada no Rio de Janeiro, Zona Sul. Na Rocinha, existem 250.000 pessoas morando em apenas 1,4 km², o que seria uma área menor do que o Central Park. Além de ser uma favela incrivelmente povoada, ela também tem vista para alguns dos edifícios mais caros e prestigiados do Rio de Janeiro, criando uma justa posição interessante da vida em um país com uma diferença de riqueza tremenda.