No futuro, não haverão mais empregos

Se você não é uma daquelas pessoas que gosta de trabalhar oito horas por dia, sempre fazendo a mesma coisa e ganhando um salário, fique feliz, pois você está vivendo na época certa.




Um caminho sem volta

sem_volta

Desde a invenção dos robôs, a humanidade sempre viveu com o mesmo medo: os empregos vão acabar. E esse medo, que parece ser algo futurístico, está se tornando cada vez mais real. Há mais de um século atrás, as pessoas trabalhavam mais de 60 horas por semana e hoje essa taxa mal chega as 34 horas em média. O número de empregados diminui e, a cada nova crise, o número de empregados anteriores nunca retorna totalmente.

Nós caminhamos a passos largos para um futuro onde os empregados serão apenas aqueles que fazem atividades complexas e que necessitam de grande conhecimento e criatividade. Atualmente, os veículos que usamos são praticamente construídos apenas por robôs, que são mais confiáveis, não faltam trabalho e erram menos. O mesmo processo deve atingir outros ramos, como construção civil, metalurgia em geral e até mesmo robôs para limpar sua casa. Os avanços na área digital também diminuem o número de empregos, automatizando tarefas que antes eram feitas por diversas pessoas.

No futuro, praticamente todo trabalho braçal industrial vai sumir e as pessoas vão trabalhar cada vez mais com a cabeça. Meia dúzia de engenheiros com alguns computadores serão capazes de tocarem fábricas com centenas de robôs, que substituirão a mão de obra de milhares. E com isso, a atual tendência de diminuição de tempo e de trabalho deve continuar.




Uma solução e um problema

mi_7874762448044230

Isso vai gerar um grande problema: as pessoas precisam de dinheiro para viver. Com a população crescendo e os empregos diminuindo, temos que fazer algo. Uma das ideias que pode ser assumida é que o governo vai pagar para as pessoas simplesmente viverem. Isso mesmo, na sociedade do futuro você pode escolher se quer ou não trabalhar. Afinal, mesmo sem emprego, as empresas ainda precisam de pessoas para consumir seus produtos e fazer filhos para manter “a roda funcionando”. De nada adianta cada vez termos produtos mais bem-feitos e baratos, se ninguém puder consumi-los.

Outra solução é que as empresas tenham que pagar pessoas, mesmo que elas não trabalhem. Os horários de trabalho devem diminuir, quem sabe até a semana útil de 5 dias acabe caindo para 4. Tudo pode acontecer, pois todas as pesquisas indicam que a quantidade de empregos vai cair drasticamente nas próximas décadas.

Com sorte, viveremos em um mundo onde as pessoas têm mais tempo para aproveitar a vida e fazer o que gostam. Ou podemos ter um local com uma grande população pobre sendo sustentada pelo governo ou empresas. Tudo pode acontecer, mas só no futuro mesmo para termos certeza.

  1. Tati

    13 de fevereiro de 2016 em 01:49

    Ganhar pra não fazer nada? Eu queria viver nesse futuro kkkkkk

  2. josue figueiredo

    11 de fevereiro de 2016 em 15:00

    Entao de que vivera a faxineira?

  3. Bruno Cezar Scarpati

    2 de fevereiro de 2016 em 12:57

    assim não vamos precisar trabalhar vai ficar tudo quase que de graça então

  4. Baam

    27 de janeiro de 2016 em 23:40

    WHAT?
    Primeiro, quais são essas pesquisas que indicam que a quantidade de empregos vai cair?
    Segundo, Como as empresas vão lucrar para investir em inovação, se elas precisam que o trabalhador COMPRE os produtos dela para ter algum tipo de lucro?
    Terceiro, o estado não produz nada, só rouba o dinheiro do TRABALHO das pessoas (impostos), mas se todos vão ser desempregados, eles consequentemente não vão ter salários, com isso, como o estado vai “dar dinheiro”?
    Quarto, parem de ficar preso nesse pensamento de um futuro com um estado máximo assistencialista, hoje já está ruim com todo o assistencialismo burro, não vamos torcer por mais.

  5. Renato Bras

    17 de janeiro de 2016 em 00:50

    meio irracional pra mim, quem compraria os produtos produzidos por uma sociedade sem trabalhadores assalariados, os robôs?

  6. César Armstrong

    15 de janeiro de 2016 em 01:07

    O capitalismo cria esses desempregos… é um sistema que não se “autossustenta”, cada vez mais procurando formas de produzir mais e gastar menos para produzir… Diminui salário ou horário para ter menos gastos, substitui pessoas por robôs pelo mesmo fim… Só que esquecem que os trabalhadores que são o lado mais fraco, são os seus consumidores… Demitindo as pessoas e elas ficando cada vez mais sem condições de se sustentarem e consumirem, faz acontecer as “crises econômicas”… Ainda terão muitas das crises pela frente… Por enquanto a melhor saída é ou ser concursado ou ter seu próprio negócio… :/

  7. Lynn Rock

    15 de janeiro de 2016 em 00:12

    Tem muita coisa que as máquinas não podem substituir, não sei se acredito que pode um dia chegar a esse ponto.

  8. Leonam

    14 de janeiro de 2016 em 09:12

    imagino, ja imaginei um futuro onde maquinas farão tudo, ate acho que isto já é possível em muitos casos, por exemplo, imagino que uma fazenda pode ser toda trabalhada com maquinas para plantar, cuidar e colher seja lá o que for, dispensando toda mão de obra no processo, li em algum lugar que ja existe um super computador em desenvolvimento que pode substituir um medico em consultas, ele ouve o paciente e ainda, da o diagnostico e a receita.
    e quer saber? acho interessante tudo isto, fantástico, só espero que quando este futuro chegar não leve pessoas a miséria, a fome, porque ai seria uma tragédia.

  9. Jeff_Silveira

    14 de janeiro de 2016 em 09:00

    Os rôbos irão dominar o mundo e nós seremos seus bichinhos de estimação ou escravos…
    Até parece que vocês nunca viram O EXTERMINADOR DO FUTURO

  10. Truta Limão

    13 de janeiro de 2016 em 10:38

    Já estamos no futuro

  11. Blue

    13 de janeiro de 2016 em 04:47

    Nunca pensei nisso, mas realmente, com máquinas que fazem boa parte das tarefas a maioria das pessoas não terá como trabalhar, e se ninguém ganha e ninguém perde, o capital não flui, isso é um problema. Talvez no futuro nós teremos um novo sistema político que defende a igualdade e abre caminho para o desenvolvimento e incentivo da arte e cultura, ou estaremos caminhando para uma distopia tirânica onde todos vivem sob controle total do governo tirânico.

  12. Clarissa Sales

    13 de janeiro de 2016 em 02:07

    Profissões que não podem ser substituídas por maquinas: jurídicas, gerenciamento (controlar as máquinas), área de saúde( por mais avançadas wue sejam as máquinas, em algum nível será necessário o toque humano), política, artistas em geral, jornalistas, programador, técnico para concertar as máquinas, psicólogo… sem falar que o governo pagar para não trabalhar? Oi? Se não trabalharmos e pagarmos impostos de onde o governo vai tirar dinheiro? Empresas produzindo sem mercado consumidor? Esse cenário faz mais sentido na matrix.

    • Willyam Ricardo

      13 de janeiro de 2016 em 02:59

      Ui ,tem namorado ?rsrs, brinks . De fato muitas áreas não sofreram com essa mudança ,mas outras áreas tais como secretários,vigias,cobradores de ônibus e etc. Infelizmente correm grandes riscos de serem vitimas dessa modificação , porque são áreas previsíveis e não possuem grandes complexidades como as profissões que você citou .

      • André Silva

        13 de janeiro de 2016 em 05:33

        Tenho conhecido tantas lésbicas atualmente que agora tem que perguntar se tem namorado/namorada 🙁

  13. chapolim do mal

    12 de janeiro de 2016 em 23:27

    Apesar da teoria ser plausível, ela demoraria séculos para ser chegar a esse estágio porque a maioria dos empregadores não tem condições de comprar ou manter uma máquina tão complexa, serão apenas as grandes empresas ( dê adeus a sua chance no McDonald’s) e a maioria do que chamamos de comércio se manterá igual, essa história de que a robótica irá substituir o trabalho humano existe a mais de cem anos.
    Espero eu que professor não seja um trabalho facilmente substituível.

  14. Greg

    12 de janeiro de 2016 em 23:19

    o jeito é o mundo ter um filho por casal, pro baque nao ser tao terrivel, quanto mais gente pior ;/

  15. Vinícius Ramos

    12 de janeiro de 2016 em 22:24

    Bom, eu estudo engenharia de automação, se isso realmente acontecer eu acho que vou ter um pouco de culpa kkkl, não sei se fico alegre por ter um “futuro garantido” ou se fico triste por acabar com a mao de obra

  16. Willyam Ricardo

    12 de janeiro de 2016 em 22:12

    Estou prevendo um ”CAOS” .

  17. juan

    12 de janeiro de 2016 em 22:04

    muito incentivador pra quem tá procurando emprego.
    vu ficar desempregado mesmo.

  18. André Silva

    12 de janeiro de 2016 em 20:34

    Eu não acredito nisso, sabe porque? Não sei explicar, só não acredito.

    • Jeff_Silveira

      14 de janeiro de 2016 em 09:00

      Recomendo assistir O EXTERMINADOR DO FUTURO, seremos todos escravos dos robos

    • Guilherme Gonçalves da Silva

      12 de janeiro de 2016 em 21:22

      É uma possibilidade bem real cara, imagina por exemplo como será os serviços mais simples, quem trabalha como faxineira, se houver máquinas que limpam tudo para que pagar salários para um ser humano fazer a limpeza? Fora todas as outras pequenas coisas que uma máquina pode fazer até melhor do que uma pessoa. A menos que a maioria da população faça cursos de mecânica, terão muita gente dependendo do governo para tudo, até para comer uma coxinha no barzinho da esquina.

      • Caciano Genz

        12 de janeiro de 2016 em 22:41

        besteira cara, sempre vai existir pobres que não vão ter dinheiro para novas tecnologias(como eu), e o trabalho artesanal sempre vai ter grande impacto, tendo uma percentagem minima de mercado, trabalho braçal então nunca vai morrer

23 Comentários
mais Posts
Topo