Minilua

No futuro, não haverão mais empregos

Se você não é uma daquelas pessoas que gosta de trabalhar oito horas por dia, sempre fazendo a mesma coisa e ganhando um salário, fique feliz, pois você está vivendo na época certa.

Um caminho sem volta

Desde a invenção dos robôs, a humanidade sempre viveu com o mesmo medo: os empregos vão acabar. E esse medo, que parece ser algo futurístico, está se tornando cada vez mais real. Há mais de um século atrás, as pessoas trabalhavam mais de 60 horas por semana e hoje essa taxa mal chega as 34 horas em média. O número de empregados diminui e, a cada nova crise, o número de empregados anteriores nunca retorna totalmente.

Nós caminhamos a passos largos para um futuro onde os empregados serão apenas aqueles que fazem atividades complexas e que necessitam de grande conhecimento e criatividade. Atualmente, os veículos que usamos são praticamente construídos apenas por robôs, que são mais confiáveis, não faltam trabalho e erram menos. O mesmo processo deve atingir outros ramos, como construção civil, metalurgia em geral e até mesmo robôs para limpar sua casa. Os avanços na área digital também diminuem o número de empregos, automatizando tarefas que antes eram feitas por diversas pessoas.

No futuro, praticamente todo trabalho braçal industrial vai sumir e as pessoas vão trabalhar cada vez mais com a cabeça. Meia dúzia de engenheiros com alguns computadores serão capazes de tocarem fábricas com centenas de robôs, que substituirão a mão de obra de milhares. E com isso, a atual tendência de diminuição de tempo e de trabalho deve continuar.

Uma solução e um problema

Isso vai gerar um grande problema: as pessoas precisam de dinheiro para viver. Com a população crescendo e os empregos diminuindo, temos que fazer algo. Uma das ideias que pode ser assumida é que o governo vai pagar para as pessoas simplesmente viverem. Isso mesmo, na sociedade do futuro você pode escolher se quer ou não trabalhar. Afinal, mesmo sem emprego, as empresas ainda precisam de pessoas para consumir seus produtos e fazer filhos para manter “a roda funcionando”. De nada adianta cada vez termos produtos mais bem-feitos e baratos, se ninguém puder consumi-los.

Outra solução é que as empresas tenham que pagar pessoas, mesmo que elas não trabalhem. Os horários de trabalho devem diminuir, quem sabe até a semana útil de 5 dias acabe caindo para 4. Tudo pode acontecer, pois todas as pesquisas indicam que a quantidade de empregos vai cair drasticamente nas próximas décadas.

Com sorte, viveremos em um mundo onde as pessoas têm mais tempo para aproveitar a vida e fazer o que gostam. Ou podemos ter um local com uma grande população pobre sendo sustentada pelo governo ou empresas. Tudo pode acontecer, mas só no futuro mesmo para termos certeza.