Futuros cirurgiões são identificados com uso de mini Origamis e Sushis

surgeon-tryout-hed-2015

No Japão, a TBWA Worldwide - agência internacional de publicidade sediada em Nova York - não está apenas trabalhando com anúncios. A agência está se envolvendo com novas e bastante peculiares maneiras de identificar os estudantes de medicina que têm a habilidade necessária para se tornarem grandes cirurgiões.

Em parceria com o Hospital Central de Kurashiki, um grande hospital localizado no oeste do Japão, a TBWA Hakuhoda, filial da agência de publicidade no Japão, criou o que está chamando de “processo de recrutamento disruptivo” para testar a destreza e a precisão dos estudantes.
KCH_Surgeon_Tryout_3-thumb-400x282-216655
O mais inusitado não é o fato de ser uma agência de publicidade (e não médicos) a criarem o teste, mas o próprio teste em si. Nele os estudantes são surpreendidos com três tarefas que demostram suas habilidades cirúrgicas em potencial.

A tarefa número um? Dobrar três pequenas garças de origami (com incríveis 5 mm de altura) a partir de mini pedaços de papel. Tarefa número dois: remontar um modelo minúsculo de inseto que está dividido em muitas, complexas e frágeis partes. E a última tarefa que parece ainda mais impossível: Montar peças em miniatura de sushi com grãos individuais de arroz.
KCH_0715_poster_B0 poster
Em todas as tarefas os estudantes tiveram que lutar contra o relógio, e, conforme o tempo vai acabando, luzes vermelhas acendem e uma voz feminina avisa os minutos restantes. Tudo para identificar quais candidatos conseguem trabalhar sob pressão. “Na prática da medicina diária, os médicos constantemente enfrentam difíceis desafios”, disse o Dr. Toshio Fukuoka, Diretor do Centro de Desenvolvimento de Recursos Humanos do Hospital de Kurashiki. “Nós gostaríamos de avaliar a capacidade dos estudantes para manter a calma e fazer julgamentos corretos, mesmo sob essas circunstâncias. Esse desafio foi planejado para revelar o potencial e a singularidade dos alunos, o que exames escritos comuns e entrevistas não conseguem identificar.”

Veja o vídeo com o processo inusitado de recrutamento:

Click to comment
mais Posts
Topo