Brasileiro cria mangá incrível baseado em Cavaleiros do Zodíaco

Por mais que gostemos muito de um determinado filme, livro, série de TV, ou mesmo uma animação, quem nunca é que nunca imaginou um “e se” em uma história dessas?

O que aconteceria se a história tivesse continuado, se um coadjuvante fosse o personagem principal, se um determinado personagem não tivesse morrido. Enfim, podemos pensar em infinitas possibilidades para brincar com a imaginação.

Pensando nisso, o baiano Danillo Sant’anna, um talentoso designer, decidiu dar uma nova série para a franquia Saint Seiya, chamada Gold Saint: Ares Chapter, que se passa após a Saga de Hades com uma nova Guerra Santa, mas que dessa vez terá como inimigo Ares, o Deus da Guerra.

areschapter_fan_1_1 (1)

Obviamente não se trata de um mangá oficial, mas tem uma qualidade no desenho e um enredo que chamam a atenção. O mangá tem seus traços baseados no The Lost Canvas da autora Shiori, contando uma nova historia e com novos personagens.

Danillo parece ter se baseado nas ideias de amazonas de ouro de Ômega e de A Lenda do Santuário para criar algumas das inéditas personagens.

dsa,png

Confira as artes:




Helena de Áries

01.png




Linus de Touro

02.png




Tenebra e Lumen de Gêmeos

03.png





Sileno de Câncer

04.png




Nicolas de Leão

05.png




Hiero de Virgem

06.png




Shoran de Libra

07.png




Yasmin de Escorpião

08.png




Argaios de Sagitário

09.png




Nobuo de Capricórnio

10.png




Jehuh de Aquário

11.png




Flora de Peixes

12.png

Para mais informações, acesse facebook.com/gsareschapter

  1. David Willians dos Santos Cavalcanti Beserra

    2 de julho de 2016 em 22:24

    Linus de Torvalds seria um nome mais legal do que LInus de Touro hehehehe

  2. Rafael Melo

    4 de maio de 2016 em 00:52

    Deve ser melhor que o omega

  3. Gorick Smocci

    2 de maio de 2016 em 00:00

    Aqui o link de leitura dessa obra https://www.smocci.com/obra.php?id_obra=3281

  4. Thiago Moura

    30 de abril de 2016 em 18:06

    Mas se mudar as armaduras vai perder a essência dos cavaleiros de ouro.
    Pode mudar as de bronze, mas não as de ouro =/

  5. Luiz Crisan

    30 de abril de 2016 em 17:58

    Se liguem nesse video: Bart Simpson Brizado https://www.youtube.com/watch?v=6wOcCBFJohA

  6. Gustavo Ferraz Castro

    30 de abril de 2016 em 17:32

    https://m.facebook.com/saintseiyadaemons/ dêem uma olhada nisso aqui! Já vai sair!

  7. Ogami Ittou

    30 de abril de 2016 em 13:47

    Cade o MANGA ? Eu so vi um monte de COPIAS baseadas nos personagens do material original.

  8. Ogami Ittou

    30 de abril de 2016 em 13:46

    Cade O MANGA ?? Eu so vi um monte de COPIAS baseadas dos personagens do anime original.

  9. edmilson machado

    29 de abril de 2016 em 23:29

    Fantasticos

  10. Francimar Ferro

    29 de abril de 2016 em 17:44

    Gostaria de ler sua história

  11. Wyvern Björk

    29 de abril de 2016 em 04:14

    O autor sabe que é plágio, por isso não cobra pelo que faz e como ele mesmo disse num post no FB “não almejo nada financeiro nisso”.
    Sinceramente, esse post foi meio fora de hora, o mangá acabou de entrar em hiatus por tempo indeterminado. O autor disse que não vai parar, mas tenho minhas dúvidas já que ele está em outro projeto no momento.

    • kratos30

      29 de abril de 2016 em 23:29

      Não é plágio, é um fanzine-doujinshi, pesquisa um pouco sobre esse mercado no japão, é bastante comum! E o autor arrecadava ajuda de custo para cada capítulo, não era bem um ”lucro”, mas sim uma ajuda enquanto ele não podia trabalhar, segundo o que eu li!

      • Wyvern Björk

        30 de abril de 2016 em 02:52

        “todo mundo sabe que saint seiya é um produto protegido por direitos autorais e que eu não posso almejar nada financeiro em cima disso, apenas pedia ajuda de custo e eu não posso trabalhar a imagem disso, não posso registrar, não posso comercializar algo o produto, pq não é meu! E sim, eu quero fazer um projeto que renda algo de forma honesta, é um direito meu, eu acho!”. Essas são as palavras do próprio autor no Facebook (pelo visto você nem se deu ao trabalho de passar por lá) vai me dizer o que agora?
        A primeira coisa que fiz questão de expor no meu comentário é a situação que o próprio autor se diz estar, não o que eu ou você achamos. Só mais uma coisinha, se quiser pagar de sabe tudo, vá fazer isso no seu grupinho de amigos, aqui não.

        • kratos30

          1 de maio de 2016 em 01:55

          “ajuda de custo” então rpz? vc ta viajando? Eu falei o que? Ajuda de custo, não? Ele arrecadava um saldo para ajudar no trabalho dele, pois ele dizia que se privava do próprio trabalho, não há nada de errado nisso, eu acho que estamos falando a mesma coisa, mas vc discorda kkkkkkkkkkkkkkkk

  12. Madrugador

    29 de abril de 2016 em 00:28

    Arte bem feita, mas nem se deu o trabalho de mudar nenhum detalhe das armaduras e pelo visto ali nem dos poderes do cavaleiros. Só fez mudar os nomes e as caras. Esse “baseado” tá quase “plagiado”.

    • kratos30

      29 de abril de 2016 em 23:28

      É muita burrice a sua chamar um fanzine de plágio! Se Você alguma vez já pesquisou ou procurou saber o que é fanzine-doujinshi, vai saber que ele pode ter histórias autorais ou pode ser baseado em um universo específico onde ele pode ou não manter as características já existentes, personagens, roupas, armaduras e etc! Em suma, vc é BURRO!

      • Madrugador

        29 de abril de 2016 em 23:52

        Cara, que eu saiba aqui não é nenhum fórum de especialistas em animes e suas vertentes. E o que eu quis dizer é que o que torna uma “criação” interessante é a criatividade do autor, mesmo que seja baseando-se em algo já criado. desenhar novas faces e dar novos nomes aos mesmos personagens só mostra que o cara sabe desenhar assim como muitas pessoas por aí.

        • Katrinnae Aesgarius

          30 de abril de 2016 em 02:35

          Eu sou ficwriter e tenho algumas fics (dois Gaidens, uma releitura e um passado da história sendo narrado, um RPG) da série. O que chamaria de ‘mesmos personagens’? Como bem disse: se um autor tenta inovar, criticam. Eu, particularmente, busco inovar nos meus com nomes e outros personagens, mas muitas das técnicas serão mantidas e acrescentando variações e novas. Não há como simplesmente eliminá-las porque faz parte n~]ao exclusivamente do personagem como de todos que herdam esse legado – vide ND que é do próprio Kurumada com novos personagens e as mesmas técnicas.

          • Katrinnae Aesgarius

            30 de abril de 2016 em 02:46

            Não é preciso ser especialista em anime e vertentes para saber diferenciar algo tomado com base em algo e algo plagiado. Basta saber o conceito disso. O formato das armaduras e os nomes dos golpes são características próprias do próprio universo de Saint Seiya.
            E foi justamente essa questão de “faz diferente, mostra criatividade” e “faz igual, pra não descaracterizar” que fez com que ele decidisse pelo hiato. Ninguém pensou no quanto isso atrapalha quem tá escrevendo/desenhando. Dar sua opinião é uma coisa, o que estavam fazendo com o Dannilo era tentar mandar na história que ele tava desenvolvendo, e chega uma hora que isso dá no saco de qualquer um.

          • Madrugador

            30 de abril de 2016 em 23:36

            Obrigado pelas explicações. Me desculpe mas, tudo que você disse só reforçou minha opinião. Qualquer um que fizer um cursinho de desenho de 6 meses pode pegar um desenho já existente e “criar” essa vertente de arte. Nada de errado nisso mas, não tem nada de interessante também. técnica sem talento e criatividade não atrai ninguém mesmo, só as tais críticas que “dão no saco” do artista em questão.

          • Katrinnae Aesgarius

            1 de maio de 2016 em 00:08

            Mas a ideia do autor, a minha (embora sou mais narrativa que ilustração) é manter a mesma linha. Se quiser algo novo, crie do zero e não baseado em algo já existente. Como já recomendaram acima, DOUJINSHI são muito comuns. Megumo Okada tem outras obras, foi convidado por Kurumada a fdazer Episode G – os mesmos personagens, as mesmas armaduras em seu traço peculiar, as mesmas técnicas com variações destas. Não deixa de ser algo novo em sua história como novos antagonistas e cenários. Chimaki fez o mesmo com Saintia Sho, embora tenha criado novas personagens e novas constelações, mas seguindo a mesma ideia original. Eu mesma criei outros personagens – Klahan de Virgem, Anceo de Dragão Marinho, Selene de Pyxis – e todos obedecem os critérios do universo criado por Masami Kurumada. Não há como simplesmente usar o universo dele e RECRIAR tudo, pois foge da proposta, .VOCÊ quem não está entendendo a proposta do autor que foi criar um seguimento, não algo 100% original.

          • Madrugador

            1 de maio de 2016 em 00:25

            Entender eu entendi, só não acho interessante. Pensando poucos minutos, sem muito esforço, não é difícil imaginar mil e uma possibilidades de alterações dentro de um universo já criado. Só acho esse tipo de “recriação” um tanto quanto preguiçosa ou desprovida de talento. É só uma opinião, que acredito não ser única, haja visto as cobranças dos leitores.

          • Katrinnae Aesgarius

            1 de maio de 2016 em 01:56

            A questão é essa: alterar demais seria potencialmente criticado. Além do mais, a razão das críticas foi, exatamente, dele querer diferenciar – como cavaleiro de Gêmeos não ter um irmão Gêmeo, Peixes ou Áries serem Amazonas, Ikki ter se tornado Leão e muitos quererem que ele seja eternamente Cavaleiro de Bronze de F~enix, que Seiya não seja Cavaleiro de Sagitário…. Essas foram as críticas, não por falta de ‘inovação’.

          • Madrugador

            1 de maio de 2016 em 02:35

            Resumindo… Sou dos que dizem “faça diferente, mostre criatividade!”, opinião é isso. Cada um com a sua. Mas para mim que sou leigo, toda essa explicação sobre essa vertente da arte do desenho, me mostrou algo totalmente desinteressante e pobre de essência.

          • Katrinnae Aesgarius

            1 de maio de 2016 em 03:19

            Ele foi nessa e desandou em sua história. Foi atender ao público, descaracterizou sua trama. Quer algo novo, procure obras originais e não baseadas sobre para não ficar dando pitaco naquilo que não conhece. Simples assim.

          • Madrugador

            1 de maio de 2016 em 03:59

            Se n é pra ter avaliação do público, então não publique, aliás daí que vem a palavra publicar (tornar público). Publicou, vai ter pitaco. Como você disse, é simples. =D

          • Madrugador

            1 de maio de 2016 em 04:02

            Isso sem mencionar que aqui é um blog de variedades. Vai ter quem conheça e quem não conheça opinando sobre qualquer post. Se não tem nada útil a acrescentar na opinião dos outros, não venha cagar regras sobre o que se pode ou não opinar. Pra isso já tem os blogs específicos onde se pode ler opiniões apenas de quem entende de determinado assunto.

          • kratos30

            1 de maio de 2016 em 14:30

            Mano, se tu assumir que é um hater e não ta interessado em tecer nenhum comentário útil eu acho que ninguém debate mais com você! Tipow, teus argumentos parecem coisa de “engenheiro de obra pronta”! Fanzine e doujinshi não tem regra, vc pode criar ou dar continuidade a um seguimento, isso não é plágio, mas como é difícil convencer você, melhor deixar pra lá! Teus comentários são típicos de hater, não conhece o trabalho do cara e nem deve ter lido nada sobre, porque ta despejando besteira ai parcero!

          • Madrugador

            1 de maio de 2016 em 18:32

            Kratos30, n dou hater não, man. Só que o pessoal n sabe respeitar opiniões diferentes. Um já veio ali me chamando de burro, a outra dizendo que tô dando “pitaco” no que não entendo. Acho que pra eles “entender” é concordar com a opinião deles. Entendi perfeitamente o conceito dessa arte. Só achei pobre de ciratividade porque na minha visão dava sim pra variar e colocar a essência do autor sobre a base já existente de outra obra. Não admirar algo da maneira q alguém admira não é ser burro ou deixar de entender. Essas coisas que irritam e acabam fazendo os comentários parecerem de hater. Povo acha que aqui é blog de especialista ou de aficcionado.. =\

    • Anderson Adect

      29 de abril de 2016 em 21:10

      As armaduras de ouro nao mudam.

    • Katrinnae Aesgarius

      29 de abril de 2016 em 17:56

      Como disse, é um doujinshi BASEADO em Cavaleiros do Zodíaco. Tal como Okada (Episode G), teshirogi (TLC) e Chimaki (Saintia Sho) seguem a mesma linha, obedecendo critérios (poderes, história original, dramas). Não diria ‘plágio’, mas obedecer a linha da série que todos conhecem. Ele mesmo criando, dando novas variações de técnicas manteve aquelas já conhecidas. Não há como criar algo 100% quando baseado numa obra já existente. Ele criou novos personagens, mas a mesma linha deve ser seguida tal como os outros autores convidados pelo próprio Kurumada.

    • Katrinnae Aesgarius

      29 de abril de 2016 em 17:54

      O mangá encontra-se em HIATO por tempo indeterminado. Isso porque alguns fãs da séries estavam a exigir demais na história a ponto do autor ‘desandar’ em sua trama atendendo muitos dos pedidos, sem contar tamanhas críticas por suas ‘inovações’.

    • Gabriel Barbosa

      29 de abril de 2016 em 13:39

      Eu acho q as armaduras são imutáveis e constantes, o q muda é portador e sim, eles poderiam ter poderes diferentes, nada impede…

33 Comentários
mais Posts
Topo