Minilua

Os guerreiros mais letais do mundo

Desde os primeiros dias da existência humana, pessoas morrem por causa de batalhas. O desejo de poder e dominação tem provado ser uma das motivações mais escuras para os seres humanos em todo o mundo.

Por essa razão, logo que as primeiras sociedades e culturas surgiram os primeiros militares organizados tornaram-se uma necessidade. Então preparem-se para batalha, separamos para vocês uma lista com os guerreiros mais letáis do mundo.
Boa leitura!

Os Rajputs

Os Rajputs (literalmente “filhos do rei”), eram membros da Kshatriya Hindu (guerreiro) casta que desfrutavam de uma reputação de guerreiros temíveis. Acredita-se que um número de pessoas com ascendência Rajput serve atualmente nas Forças Armadas indianas e paquistanesas. Sua terra natal, agora conhecida como Rajasthan, no noroeste da Índia, fez a primeira linha de defesa contra invasões ocidentais por árabes, turcos, afegãos, e os invasores do norte como os mongóis. As suas técnicas de combate eficazes e armas, foram consideradas evoluídas demais para o seu tempo, enquanto muitos moradores acreditavam que seu arsenal “diabólico” foi concebido de poderes paranormais.

Os normandos

Por dois séculos o ducado da Normandia manteve-se como uma força motriz nos assuntos europeus, não só sobre completar a conquista da Inglaterra, mas também de se estender para o sul da Itália e Sicília. Os normandos foram as pessoas que deram o seu nome para a Normandia, uma região no norte da França. Eles descendem de Vikings conquistadores e da cultura carolíngia nativa formada a partir de gauleses romanos.

Os guerreiros Ninja

Um ninja era um agente ou um mercenário secreto do Japão feudal. As funções do ninja incluíam espionagem, sabotagem, infiltração, assassinato e combate aberto em determinadas situações. Seus métodos secretos de empreender a guerra contrastou com o samurai, que defendia a honra em combate. De acordo com alguns especialistas em história militar, um grande número de forças especiais nos dias de hoje são baseadas na forma como os ninjas operavam.

O Boii

Embora sua origem permanece incerta, eles provavelmente descendem da Europa Central, ao sul das tribos germânicas. O Boii é mencionado várias vezes pela maioria dos autores antigos, incluindo Júlio César, quando ele lutou com eles ao lado dos helvécios. O Boii é descrito como um grupo vigoroso, com pessoas pobres e de temperamento agressivo. Eles foram notados pela primeira vez depois de invadir o vale do Pó (a principal característica geográfica de Itália) cerca de 400 A.C, expulsando os etruscos e até mesmo alguns úmbrios.

Os mamelucos

Os mamelucos descendentes de escravos não-árabes são reverenciados como alguns dos maiores guerreiros que já existiu. Embora a palavra mamluk seja traduzida para “aquele que é propriedade,” os soldados mamelucos provam o contrário, ganhando uma poderosa posição militar em várias sociedades muçulmanas, particularmente no Egito. Eles também iriam passar a deter poder político durante vários séculos, em um período conhecido como o sultanato mameluco do Egito.

O Hicsos

O Hicsos vieram do antigo Egito, eram um grupo interessante que se tornou uma estranha mistura entre mito e história. Eles foram descritos como brilhantes inovadores tecnológicos, guerreiros ferozes e altamente avançados para o seu tempo.

Os hunos

Com Átila, o cavaleiro bárbaro notório sendo o mais famoso deles, os hunos aterrorizaram e devastaram a Europa entre o primeiro século e o século VII dC. Enquanto os hunos são considerados um dos primeiros impérios da Hungria, os hunos nômades pode ter se originado na Mongólia ou Cazaquistão. Attila lutava pelo poder das tribos hunos e acredita-se que ele tenha assassinado seus parentes para fazer isso.

Os guerreiros Godos

Os Godos, ou Goth, nasceram de ascendência germânica e eram guerreiros ferozes que poderiam combater os inimigos mais treinados e qualificados. As habilidades dos Godos eram fortificadas pelas batalhas e sua paixão pela luta. Os Godos desempenharam um papel importante na queda do Império Romano do Ocidente e do surgimento da Europa medieval.

Os guerreiros Francos

Os guerreiros Frank ou francos era uma orgulhosa tribo germânica que acabaram se tornando os fundadores da França. Os francos eram uma tribo poderosa e muitas vezes foram relatados como sendo umas das maiores tribos que já existiu. Como aconteceu com qualquer tribo que viveu em tempos devastados pela guerra, os francos precisavam dos melhores lutadores por isso eles acabavam pegando os mais cruéis e ganhando atraindo sua fama de ser uma tribo terrível.

O Kataphraktoi bizantina (Cataphract)

O termo Cataphract não era exclusivo para os bizantinos. Derivado da palavra grega “completamente fechado”, o adjetivo foi usado para descrever a cavalaria fortemente blindada da maioria dos exércitos na Anatólia e no Oriente Próximo. A principal função da unidade Cataphract não foi a batalha contra unidades de cavalaria inimigas, mas sim para usar a sua armadura pesada com a intenção de esmagar formações de infantaria. Por isso durante a batalha o general teria  que esperar os cataphracts agirem para atacar o inimigo. A principal arma do Cataphract foi o kontarion ou kontos lance.

Os Guerreiros maori

De acordo com Seamus Fitzgerald, um historiador de armas, o povo Maori comia, dormia, e bebia matando e lutando. A guerra era comum entre as tribos da Nova Zelândia a cerca de 1300 dC, geralmente suas lutas eram sobre conflitos de terras ou para ganhar ou recuperar mana (poder espiritual e prestígio). O Māori acreditava que mana só poderá ser adquirida a partir de ancestrais ou através de combate, que foi a principal razão pela qual a luta desempenhou um papel tão importante na cultura Maori.

Os guerreiros astecas

O Império Asteca se expandiu rapidamente. Não é surpresa que os guerreiros astecas tenham um lugar importante na cultura e sociedade da região central do México. A vida de um guerreiro asteca era muito curta para os padrões atuais, em torno de trinta e sete anos, durante os quais eles lutavam em várias batalhas.

Os guerreiros Apache

Não havia regras específicas para um Apache quando ele ia para luta, exceto, é claro, o fato de que seu inimigo tinha que ser morto, não importa a forma. Estes guerreiros implacáveis ​​iam treinar desde jovens para se preparar para batalhas no futuro. Uma vez dentro do covil inimigo, os guerreiros Apache esperavam o momento certo para atacar e soltar seu grito de guerra, causando terror e pânico em seus inimigos.

Gostou do post? Não se esqueça de curtir e compartilhar nas redes sociais, curta também a página do Minilua no Facebook clicando aqui e participe também do nosso grupo no facebook clicando aqui.