A história do mundo em 10 batalhas #2

Queira ou não, o homem é um animal feroz e violento, que ama mostrar seu poder através da força. No passado, o mais poderoso exército era sinônimo de poder e riqueza, por isso toda nação tinha um vasto poderio bélico. Essas forças de guerra moldaram o mundo e algumas grandes batalhas foram de extrema importância para a história, pois se tivessem tido resultados diferentes, o mundo que hoje conhecemos poderia ser muito distinto.




Batalha de Farsalos

41239-the-battle-of-the-ticino-unknown-master-italian

O ano era 48 a.C e a Grécia estava dividida em duas partes, uma apoiando os Senadores e a democracia existente e outra estava ao lado de Júlio Cesar e o imperialismo.

Tudo começou quando Cesar iniciou sua carreira política. Graças as suas capacidades militares, ele chamou a atenção do povo e de inimigos. Em pouco tempo, havia uma hoste querendo derrubar Cesar, para que ele fosse esquecido, pois, a cada dia que passava, o povo amava-o mais, gerando um enorme perigo para o governo grego.

O senado grego votou uma moção para que Cesar perdesse o governo da Gália, mas tal medida acabou sendo vetada por Marco Antônio. Nesse momento, uma perseguição sangrenta foi lançada contra Júlio Cesar, culminando com o início da Segunda Guerra Civil Grega, onde o exército do governo tinha como objetivo derrotar os rebeldes, que desejavam colocar seu aclamado líder no poder.

Julio Cesar

A guerra se estendeu por quase cinco anos e culminou na Batalha de Farsalos. Após uma derrota em Dirráquio, Cesar foi de encontro a seus outros partidários, montando o melhor exército que podia. Ao mesmo tempo, Pompeu, que era o chefe militar do estado, queria dar batalha a Cesar, afinal a última vitória havia deixado seus homens com o ânimo lá em cima.

A Batalha de Farsalos contou com mais 90 mil homens, sendo 66 mil a serviço de Pompeu e 31 mil junto a Cesar, que tinha Marco Antônio sendo um dos generais.

A batalha foi travada na beira de um arroio, com os dois exército dispostos de forma similar, mas Cesar, sabendo do seu menor número e já conhecendo seu inimigo, resolveu deixar sua cavalaria apoiada por um infantaria leve, atrás de suas linhas principais.

Quando a batalha se iniciou, Cesar tentou retardar o encontro dos exércitos, assim como Pompeu, que mandou a cavalaria para cima de seu oponente. Sabendo que isso poderia ser fatal, Cesar fez seus homens a cavalo recuarem. A hoste, que estava apoiando a cavalaria, mudou sua posição, atacando o flanco do exército inimigo. Nesse momento, os homens montados de Júlio Cesar vão para cima da cavalaria de Pompeu.

greek_elephant_battle

O centro de Cesar mantem-se firme, pois conta com muitos homens experientes. Nesse meio tempo, o flanco atacado de Pompeu desmorona como papel, gerando a brecha necessária para que Cesar faça os homens inimigos debandarem e a vitória é conseguida rapidamente.

O resultado dessa batalha foi importantíssimo para o futuro de todo o mundo, pois a popularidade de Cesar, após derrotar seus inimigos em maior número, lhe deu ainda mais seguidores e foi de extrema importância para que o Império Romano surgisse, o que moldou o futuro da Europa, que poderia ser totalmente diferente, caso Pompeu tivesse ganho.

  1. Rerman Andriz

    7 de fevereiro de 2014 em 14:56

    Guerra Civil Romana!

  2. Azia lampiona

    3 de fevereiro de 2014 em 05:50

    Excelente série,mais vale postar series interessantes como essa que desmotivacionais.

  3. Elísio Xavier Pedro

    3 de fevereiro de 2014 em 03:31

    A matéria está boa, mas acho que foi em Roma.

  4. Ismael Siqueira

    3 de fevereiro de 2014 em 00:42

    sinceramente a expressão no começo do post “imperialismo” está errada, o correto é expansão, ja que o imperialismo é a expressão para definir o domínio das grandes potências sobre países menores, para faze-los ficar dependentes de seu domínio, seja economicamente ou militarmente(ou os dois).

  5. Alan Miranda de Freitas

    3 de fevereiro de 2014 em 00:30

    Guerra civil GREGA??? Tem certeza?

  6. Leonardo da Silveirando

    3 de fevereiro de 2014 em 00:22

    Tem de postar uma das batalhas da dinastia chinesa,como a mais famosa delas,a “Rebelião Dos Turbantes Amarelos”,que foi a que originou o inicio da saga de guerra entre as dinastias

    • Ismael Siqueira

      3 de fevereiro de 2014 em 00:33

      eles nem chegam perto de Sun Tzu, faz Julio César parecer amador.

  7. Ismael Siqueira

    3 de fevereiro de 2014 em 00:12

    tem tantas batalhas que mudaram o destino de tudo na terra, apesar de 10 serem poucas, espero que a de stalingrado e a invasão da praia de Ohama(dia D), apareçam, pois foram as mais sangrentas e uma das mais importantes de todas.

  8. Garota Infernal

    2 de fevereiro de 2014 em 17:49

    Eu queria ter vivido naquele tempo para ver as batalhas com leões e batalhas até a morte sem armadura hehehe666

    • Jabuscrêison

      2 de fevereiro de 2014 em 17:56

      Eu queria ter vivido na Era Vitoriana, pois aí ninguém ia me chamar de antiquado u.u

      • Garota Infernal

        2 de fevereiro de 2014 em 18:27

        Na era vitoriana tinha o Merick. Eu queria ter humilhado ele, hehe

  9. Daenerys Targaryen

    2 de fevereiro de 2014 em 17:13

    Adoraria ler sobre a Terceira Guerra Servil ou Guerra dos Gladiadores. Que relata sobre meu amado Spartacus *-*

  10. Kyle Broflovski

    2 de fevereiro de 2014 em 17:07

    não esquece da guerra dos farrapos

    • Lucas Rodrigues

      2 de fevereiro de 2014 em 21:38

      Sim, claro, essa não podia faltar. Segundo o Quico, Seu Madruga participou dela rsrsrs

    • Moonlight

      2 de fevereiro de 2014 em 20:34

      essa aí além de não ter dado em nada ainda teve importância meramente regional

  11. Wagner

    2 de fevereiro de 2014 em 17:03

    O último post dessa série vai ser sobre a Batalha contra as Háposas?

  12. Jabuscrêison

    2 de fevereiro de 2014 em 16:28

    Uma série bem interessante essa, espero mais u.u

  13. Lucas Rodrigues

    2 de fevereiro de 2014 em 16:28

    Não sabia dessa batalha. Júlio Cesar era um cara sortudo, mesmo em desvantagem conseguiu derrotar seu inimigo, acho que no momento a esperteza falou mais alto do que o desespero de perder a luta. Ótimo post.

    • Ismael Siqueira

      3 de fevereiro de 2014 em 00:05

      experiência conta muito mais do que quantidade, mesmo sendo o exercito de pompeu maior, os de Julio Cesar eram melhores e experientes, isso faz muita diferença até hoje, apesar de não ser mais espadas e sim armas.

      • ultramen Tiga

        3 de fevereiro de 2014 em 11:18

        verdade nego acha qe é facil matar lvl 80 usando char lvl 20 putz
        kkkk

    • Ismael Siqueira

      3 de fevereiro de 2014 em 00:03

      vei, nessa batalha teve nada de sorte, foi estratégia pura, quando um exército é flanqueado, os soldados inimigos ficam apavorados pois sua defesa foi quebrada e alem da vanguarda tem as costas para defender, o cara era um gênio em batalhas.

    • Gato Endiabrado

      2 de fevereiro de 2014 em 17:47

      Sortudo? Cara… Ele era esperto e estratégico, sortudo? Sério?

      • Lucas Rodrigues

        2 de fevereiro de 2014 em 21:35

        Ele era estratégico, esperto e sortudo.

  14. Vayne, A Cupida Mortal

    2 de fevereiro de 2014 em 16:24

    aqui ta cheio de gente fazendo roleplay

  15. Death

    2 de fevereiro de 2014 em 16:21

    Bela matéria,n pode faltar a batalha de Waterloo

25 Comentários
Topo