Minilua

A ilusão de ótica mais incrível de todos os tempos

Todos nós conhecemos algumas dezenas de ilusões de ótica, mas as vezes as peças que nosso próprio cérebro nos prega são inacreditáveis:

Escotoma

A maneira pela qual nós enxergamos a realidade na qual vivemos nem sempre está correta. Ou seja, nosso cérebro cria diferentes interpretações de tudo que ele vê para se adequar ao que ele acha correto. Por isso, não é incomum as pessoas terem percepções totalmente erradas, seja enxergando um rosto em uma nuvem ou vendo uma pessoa no escuro, onde não existe nada.

Nosso cérebro, quando acha necessário, muda a realidade da maneira que bem entende, criando as famosas ilusões de ótica. Um dos recursos utilizados pelo cérebro é o escotoma, que é a perda de visão em certa parte do campo visual. Algumas pessoas possuem uma patologia constante e não enxergam em certos pontos da visão, mas esse problema pode por ser esporádico, criado por uma situação qualquer.

MIB

É aí que entra o Motion-induced blindness (cegueira induzida por movimento). Nosso cérebro, apesar de ser um processador poderoso, costuma evitar trabalho desnecessário. Por isso, sempre que algo não se encaixa direito na realidade ou simplesmente atrapalha a percepção, o cérebro finge que aquela coisa não existe.

A cegueira induzida por movimento ocorre com todos nós, todos os dias. Em cenas de ação ou com muito movimento, o cérebro simplesmente “esquece” de processar os detalhes e nos foca na parte principal, poupando a cabeça do trabalho desnecessário. Mas como essas cenas são rápidas e confusas, quase nunca conseguimos notar conscientemente que algo foi “esquecido” pelo cérebro.

Mas agora você vai ver uma ilusão de ótica que faz exatamente isso e parece mágica. Nesse gif abaixo, existem diversas cruzes girando em torno de um ponto verde. Quando você olha fixamente para o ponto central, os outro vão desaparecer em poucos segundos e assim que você retorna a atenção a eles, lá estão de volta como se nada tivesse acontecido:

Essa é a cegueira induzida por movimento, que vivenciamos todos os dias, mas nunca notamos.