Incríveis animais que trabalham em equipe

Aparentemente, os animais não costumam se ajudar, a não ser quando são da mesma espécie. Mas existem alguns seres de espécies totalmente diferentes, que além de viverem juntos, se ajudam em quase tudo:




 A aranha e o sapo

article-0-137984F4000005DC-291_634x423

Pode parecer uma dupla estranha, mas aranhas gigantes e pequenos sapos são parceiros inseparáveis em diversos lugares do mundo. Aranhas costumam cavar tocas, onde ficam durante boa parte do dia e também escondem seus ovos. Contudo, quando saem para pegar o que está na teia, o local fica desprotegido, o que permite ataque aos indefesos ovos. Para resolver esse problema de guarda, a aranha acabou firmando parceria com o sapo.

Um dos principais predadores de ovos de aranhas são as formigas, mas elas fogem dos sapos, que as comem. Sendo assim, existem diversas espécies de sapos que vivem na mesma toca que aranhas. Para as aranhas existe o benefício da proteção de seus ovos. Já para o sapo, o benefício vem com a alimentação, pois ele pode comer os restos de insetos que a aranha caça e de quebra ainda recebe proteção contra predadores, que morrem de medo de aracnídeos.




O coiote e o texugo

coyote-and-badger-750981

Coiotes e texugos, apesar de serem animais bem diferentes, costumam ter o mesmo cardápio em vista. Os dois gostam de se alimentar de pequenos roedores que vivem em buracos. Contudo existe um grande problema aí. O tamanho dos coiotes atrapalha a caça, pois basta que os roedores se escondam na toca para fugir do ataque. Do outro lado, os texugos conseguem entrar nos buracos, mas não são fortes, nem rápidos o bastante para caçar os roedores.

Mas a natureza encontrou a solução perfeita para ajudar essas duas espécies, criando a inusitada parceria “coiote-texugo”. O texugo invade as tocas dos roedores, os expulsando, e o coiote fica lá fora esperando para dar o bote. Depois, os dois dividem uma bela refeição juntos.




O camarão e o caboz

Tomiyamichthys-sp.-A.-randalli-web

O camarão-de-estalo é um animal poderoso. Ele é conhecido mundialmente por sua garra supersônica. Quando se sente ameaçado ou deseja atacar algum inimigo, o camarão-de-estalo dá uma espécie de chicotada com sua garra, mas ela é tão rápida, que o movimento rompe a barreira do som. Esse efeito cria uma bolha na água, gerando um ponto de grande pressão, que pode paralisar ou mesmo matar pequenos peixes.

Mesmo com essa poderosa arma, o camarão sofre com um grande problema: a visão. Os camarões-de-estalo não enxergar muito bem e assim são presas fáceis, mesmo para inimigos menos intimidadores. Por isso, uma inusitada parceria surgiu entre esse animal e o caboz.

O caboz é uma espécie de peixe que, ao contrário do camarão, enxerga muito bem. Por isso, esse bicho se tornou o “cão-guia” do camarão. Exatamente como humanos e cachorros, o caboz encosta-se em uma das antenas do camarão e fica o guiando pelos lugares. Quando algum perigo surge, o peixe faz um movimento, alertando o camarão que está na hora de soltar seu golpe.

A noite, os dois dividem o mesmo túnel, se protegendo juntos. A relação entre essas duas criaturas é tão poderosa, que o camarão quase nunca sai de sua toca sem o auxílio de seu peixe guia.

  1. Charlie Stinson

    11 de março de 2015 em 11:17

    Cara, que foda!

  2. Joao Fontaniva

    10 de março de 2015 em 15:28

    Ótima matéria!

  3. TKD kyosanim

    1 de março de 2015 em 12:34

    [img]http://dreamscast.com.br/wp-content/uploads/2015/02/3186485-6241240688-tumbl.jpg[/img]
    Boa materia !, me lembrei destes dois animais, que trabalham em equipe …
    Banjo e Kazooie !
    =)

  4. Greg

    27 de fevereiro de 2015 em 22:05

    Um dos melhores posts… gostei muito …aprender coisas novas é sempre um privilégio… muito bom…
    Esses animais são mais humanos que muitos humanos

  5. L

    27 de fevereiro de 2015 em 16:21

    pra vc ve né, todos esses bicho trabalha em equipe e vc fica reclamando do seu chefe!

  6. Hotarius Hilarius Repugnants

    27 de fevereiro de 2015 em 13:49

    Esse foi um dos posts mais interessantes que ja li aqui no Minilua

  7. Weverton Costa

    27 de fevereiro de 2015 em 08:50

    Ja que especies diferentes trabalham em equipe os humanos poderiam repensar em trabalhar em equipe com funkeiros

    • Hotarius Hilarius Repugnants

      27 de fevereiro de 2015 em 13:48

      guiando-os para algum buraco, precipicio, abismo, algo do tipo…

      • Greg

        27 de fevereiro de 2015 em 22:03

        Belo comentario seu hotarius … rçrçr

  8. Joel Alvarenga

    26 de fevereiro de 2015 em 23:46

    Isso tem um nome que poderiam colocar no post: Protocooperação
    É uma relação inter-específica harmônica, na qual dois indivíduos de espécies diferentes se associam de forma não-obrigatória, com benefícios para ambos os lados.

  9. Rodrigo Duarte

    26 de fevereiro de 2015 em 23:01

    Ao invés de adquirir toda aquela parafernália da ACME, Wile Coyote deveria mesmo era firmar uma dupla com um texugo assim teria mais chance de pegar o Papa-léguas.

    • Blue

      27 de fevereiro de 2015 em 12:10

      Nem precisa, coiotes são mais rápidos que a espécie do papa léguas, só que ele não sabe disso.

  10. Blue

    26 de fevereiro de 2015 em 20:41

    Muito interessante, eu não sabia que esses animais fazem isso, o que mais me interessou foi o caso do texugo e do coiote, eu não sabia que caçadores tão diferentes poderiam trabalhar em equipe dessa maneira.

  11. Greengineer

    26 de fevereiro de 2015 em 20:20

    Incrível, parcerias inusitadas entre espécies tão diferentes. Já algumas pessoas, mesmo sendo da mesma espécie, nunca vão conseguir chegar perto deste trabalho em equipe.

    • Jeff Dantas

      27 de fevereiro de 2015 em 02:00

      Concordo! Ainda mais, em certos países… 🙂

  12. André Silva

    26 de fevereiro de 2015 em 19:32

    Excelente post!
    Esse camarão-de-estalo é um bicho incrível, como pode um bicho aparentemente inofensivo possuir uma arma tão poderosa capaz de romper a barreira do som? Achei fascinante!

    • Kuzan

      26 de fevereiro de 2015 em 21:15

      Já ouviu falar do Tardígrado? É o bicho mais imortal que nós conhecemos.

    • Blue

      26 de fevereiro de 2015 em 20:33

      Sim, muito interessante, pra quem quer ver essa criatura em ação, veja esse vídeo do canal Earth Unplugged mostrando o ataque dele em câmera lenta, é incrível: https://www.youtube.com/watch?v=QXK2G2AzMTU

  13. chapolim do mal

    26 de fevereiro de 2015 em 19:16

    A natureza sempre arranja um jeito de tudo ser correto, tanto que o que ela não pode consertar acaba extinto.

21 Comentários
mais Posts
Topo