Minilua

Incríveis fatos sobre a Arábia Saudita

A Arábia Saudita é um país estranho, tendo contato com muitas nações ocidentais, mas, mesmo assim, ela mantém tradições antigas e macabras, principalmente no que diz respeitos as mulheres e leis:

Procura-se matadores

Como na maioria dos países que seguem o islã, na Arábia Saudita eles não brincam na hora de punir os criminosos. Por isso ela é um dos quatro países que mais mata gente para fazer justiça. Só que por lá, eles ainda fazem as execuções a moda antiga. Uma pessoa condenada normalmente é morta por decapitação com espada em praça pública!

Porém toda essa nostalgia assassina gerou um pequeno problema: Andam faltando espadachins no país e o modo de fazer justiça passará por mudanças. Para eles, a morte por espada tem que ser limpa, assim a cabeça deve ser arrancada com um único golpe de cimitarra. Só que poucos homens possuem essa habilidade e talvez o fuzilamento tome lugar da boa e velha espada.

Polícia da Bruxaria

Pode até parecer brincadeira, mas na Arábia Saudita existe uma divisão da polícia criada especialmente para encontrar e capturar pessoas que praticam magia e bruxaria. Por causa da religião local, esse tipo de prática é considerado crime capital, podendo até mesmo acabar em morte para os envolvidos.

Não muito tempo atrás, duas empregadas foram pegas, supostamente, praticando bruxaria e cada uma foi condenada a 10 anos de prisão, além de mil chicotadas.

O pior é que eles acreditam realmente na bruxaria, como se fosse algo real e funcionasse perfeitamente. Até mesmo os “padres” locais confirmam a existência de pessoas capazes de voar em vassouras e sumir como fumaça. Obviamente os livros do Harry Potter são proibidos e quem for pego com eles pode acabar vendo o Sol nascer quadrado por muito tempo.

Comprando a inocência

Todo mundo sabe que os árabes adoram um bom dinheiro e seu gosto por isso é tanto que, de maneira totalmente legal, seu sistema judicial pode ser comprado! Isso mesmo, se você cometer um crime por lá, pode, em vez de cumprir a pena, pagar por sua liberdade e sair bem tranquilo.

Caso você mate um homem, a “multa” fica em torno de 160 mil dólares, mas se for “apenas” o assassinato de uma mulher, é possível cortar essa quantia pela metade ou até menos, afinal para eles as mulheres são inferiores.

Essa estratégia de pagar pela liberdade é chamada de Diyya e já tem empresas querendo lucrar com isso. Eles pretendem oferecer um “seguro crime”, assim você paga um pouco todo mês e, caso faça algo errado, sua fiança já está garantida pela empresa contratada.

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/