Incríveis mulheres que mudaram o mundo em que vivemos

Esta é uma lista de mulheres que, com grandes ou pequenas atitudes, fizeram a sua parte para tornar o mundo um lugar melhor.




Marie Curie foi uma Física e Química polonesa famosa por seu trabalho com radioatividade e por ser primeira pessoa a ser laureada duas vezes com o Prêmio Nobel

women-who-changed-history-53__700




A mulher que bateu em um neonazista com a bolsa em Vaxjo, Suécia (13 de abril de 1985)

women-who-changed-history-30__700




Malala Yousafzai, ativista paquistanesa pela defesa dos direitos humanos das mulheres e do acesso à educação. Foi a pessoa mais jovem a ganhar o Prêmio Nobel, com apenas 17 anos.

malala-yousafzai-ftr__700




Kathrine Switzer foi a primeira mulher a correr a maratona de Boston (1967). Quando o organizador Jock Semple percebeu sua presença, tentou retira-la da rua.

women-who-changed-history-39__700




Margaret Heafield foi diretora da Divisão de Engenharia de Software da Instrumentation Laboratory do MIT, que desenvolveu o software de vôo para o programa espacial Apollo, da Nasa (1969)

women-who-changed-history-411__700




A Russa Valentina Tereshkova se tornou a primeira mulher no espaço a bordo do Vostok 6 (1963)

women-who-changed-history-52__700




Amelia Earhart foi a primeira mulher aviadora a voar através do Oceano Atlântico (1928)

women-who-changed-history-12__700




Komako Kimura, a imigrante japonesa que marchou na Quinta Avenida em Nova York, exigindo o direito de voto (27 de outubro, 1917)

women-who-changed-history-21__700




Eliza Leonida Zamfirescu foi a primeira Engenheira do mundo

Bucuresti_Romania_Muzeul_National_de_Geologie_Savanta_Elisa_Leonida_Zamfirescu__B-II-m-B-18984__700




Anne Frank foi uma adolescente alemã de origem judaica, vítima do Holocausto. Seu diário, publicado mais tarde como um livro, conta as experiências de sua família durante o período de perseguição e é considerado um dos livros mais importantes do século XX.

women-who-changed-history-110__700




A mulher de 106 anos que protegeu sua casa com um Rifle, na Armênia (1990)

women-who-changed-history-42__700

  1. Elyane

    3 de setembro de 2015 em 20:27

    Mulheres fortes e de atitude, de todas elas Malala é a que mais me cativa pela coragem de enfrentar todas as dificuldades culturais e religiosas na luta por uma sociedade mais igualitária. O que me entristece no Brasil é que muitas mulheres “exibicionistas e extremistas” acabam denegrindo a imagem das mulheres, deturbando a ideia de igualdade entre os sexos que tantas lutaram para construir. Não se trata só de hedonismo, libertinagem, a verdadeira luta do feminismo é para evitar que mulheres continuem morrendo vítimas de abuso de seus parceiros, que sejam respeitadas e julgadas pelo seu mérito é não pelo seu sexo, para que não tenha medo de expressar suas opiniões e que possam sentir orgulho em ser mulher.

  2. Jeff_Silveira

    3 de setembro de 2015 em 17:30

    Essa é a mulher mais importante desta matéria na minha opinião…
    http://static.minilua.org/wp-content/uploads/2015/09/women-who-changed-history-110__700-600×600.jpg

  3. Leucothea a Ninfa

    3 de setembro de 2015 em 14:24

    Que post da hora, bem inspirador! ^^
    Sabe, olhando o comentário do Felino eu tenho que concordar com uma coisa, uma coisa triste é que hoje em dia tem muita menininha babaca, que diz ser feminista, e denigre o movimento porque fica tretando com tudo quanto é homem por nada, só pelo fato dele ser homem, cis-hétero, já vêm chamando de capitalista, machista, opressor, misógino. “Lutam” por uns assuntos tão fúteis queimando sutiã, mostrando as tetas e fazendo textão no facebook. Acho muito engraçado que muitas defendem o direito de escolha da mulher, independente do assunto, mas quando eu digo que sou evangélica e feminista pronto, vem 54136841684 dizer “onde já se viu, isso não existe, ou é um ou outro” e vários argumentos imbecis.
    Queria muito que aqui no Brasil o verdadeiro feminismo se destacasse, mas não, é um bando de menina de prédio, criada a leite com pera, dizendo que é oprimida porque o pai mandou lavar uma louça…
    Enfim, só tô desabafando mesmo kk

  4. Douglas

    3 de setembro de 2015 em 12:28

    ótimo post tomara que tenha continuação. sobre o diário de anne frank ja li que há uma discussão sobre ser ela ou nao a escritora do livro, que e ótimo.

  5. Greg

    3 de setembro de 2015 em 12:18

    QUe gatinha
    [img]http://static.minilua.org/wp-content/uploads/2015/09/women-who-changed-history-411__700-600×787.jpg[/img]
    isso sim são mulheres…. fazendo coisas que preste pela sociedade, por elas mesmas e por varias coisas… muito bom…. diferentes de muitas vagabundas por aí que nao fazem nada que preste …

  6. Rodrigo Duarte

    3 de setembro de 2015 em 10:10

    Aguardando ansioso a próxima edição, com a nossa querida Dilma!

    • Greg

      3 de setembro de 2015 em 12:18

      Vai ser no post…. ” Pessoas que ferram o Brasil ” kk

  7. Little Uchiha™

    3 de setembro de 2015 em 06:18

    [img]http://static.minilua.org/wp-content/uploads/2015/09/women-who-changed-history-42__700-600×403.jpg[/img]
    Legenda: “entra pra c vêr”

  8. Wayne Griffin

    2 de setembro de 2015 em 21:32

    As mulheres no Brasil se sentem privadas principalmente em relação à diferença salarial ainda existente. O problema é que o movimento feminista extremista só pretende inverter a polaridade da situação de machismo de décadas atrás e não realmente garantir direitos iguais. Falta pouco para o brasil entrar em situacão de equilíbrio, porque nosso país apesar das diferenças não é conservador. Lá no oriente médio a situação é totalmente diferente e a mulher é privada de tudo. Até hoje tento descobrir desde quando foi imposta na humanidade esta relação de diferença.

    • Lynn Rock

      3 de setembro de 2015 em 15:44

      Eu acredito que as religiôes e a igreja em si tbm ajudaram a criar essa diferença, devido a passagens da bíblia que dão a entender essas coisas (não estou criticando a bíblia, é tudo questão de interpretação) e mta gente, desde que o mundo é mundo acha que determinadas coisas, comportamentos e direitos só se enquadram ao homem e quando se trata de uma mulher ela é julgada, ou excluída , por exemplo “Tal coisa é feio pra uma mulher, mas pra um homem é normal…” ou outros tipos de diferença, e algumas pessoas antiquadas ainda tem essa ideia hoje em dia. Claro q isso tbm acontece com os homens em determinados aspectos, eu acho q ideal mesmo era que fosse igual pra todo mundo, tirando particularidades que cada sexo tem. (Espero q não tenha ficado mto confusa a explicação, se eu der mais detalhes de como penso, o comentário não vai caber na página rs)

    • Leucothea a Ninfa

      3 de setembro de 2015 em 14:27

      Acho que aqui tem muita guria que exagera, lógico que existem muitas desigualdades sim, mas não é tudo isso que muitas esperneiam e gritam por aí.
      Acho estranho (e até ridículo) que muitas ao invés de lutarem por direitos iguais ou coisa do tipo, ficam ratiando porque quer usar roupa mostrando metade da bunda sem ser ofendida. Tudo bem, que muitos caras usam como desculpa que estupraram porque a guria pediu, mas elas exageram meu…

    • Cold

      2 de setembro de 2015 em 23:47

      Outras espécies animais que vivem em grupos/sociedade tbm costumam ter o macho como o líder, são raras as exceções (como as abelhas). Acho que esse seria o caso dos humanos (e outros primatas por exemplo), o macho se vendo na posição privilegiada, criou toda uma cultura baseada nessa ideia, que seria o patriarcado.

  9. Felino

    2 de setembro de 2015 em 20:55

    Malala Yousafzai, isso sim é ser feminista, realmente ter motivos para lutar e realmente lutar. Diferente do que acontece hoje em dia no Brasil… Com mulheres que acham desigualdades onde não tem.

13 Comentários
Topo