O instinto assassino

Muitas pessoas adoram falar de boca cheia que os seres humanos são estúpidos por fazerem guerras. Algumas chegam a falar que somos menos inteligentes que outros por termos essa necessidade, mas novos estudos têm mostrado que a guerra é algo que vai além dos desejos humanos.




Interferência humana

human_monkeyevil

Quando as primeiras pesquisas sobre o comportamento dos chimpanzés foram realizadas, há mais de 50 anos, ninguém tinha ideia do motivo deles muitas vezes lutarem entre si. Na época, muitos cientistas até pensaram que a influência humana era o que estava causando esse tipo de luta.

Desconfiados dessa situação, diversos grupos de cientistas, espalhados por vários países, observaram 18 grupos de chimpanzés por décadas e a sua descoberta, publicada na Nature, foi surpreendente.




As batalhas

14260420

Durante o tempo de observação, 152 assassinatos violentos foram registrados, principalmente envolvendo machos. E o mais interessante é que os chimpanzés de grupos diferentes agem como se estivessem em uma guerra de gangues.

Um macaco chamado Pimu, era líder de um grupo violento, que costumava matar todos os chimpanzés de outros grupos que apareciam perto de seu território. Certo dia, Pimu estava andando sozinho pela floresta, quando foi abordado por 4 macacos estranhos. A batalha não durou muito e Pimu foi morto por espancamento. Ou seja, uma emboscada foi tramada para eliminar o líder de uma gangue forte e influente, mudando o que ocorria naquela região.

Os macacos agem de maneira muito similar aos humanos quando o assunto é violência e luta por poder. Igual ao traficante que mata seus inimigos para manter seu território livre, os macacos fazem disso para ganhar mais alimentos, espaço e também status. E na grande maioria dos casos de morte, um macaco é atacado por um grupo, de maneira totalmente covarde.

Depois dessas descobertas, os cientistas estão relacionando esses dados com o comportamento humano, algo que pode revelar a origem desse instinto violento que muitos possuem.

  1. Evandro Moreira Dos Santos

    26 de julho de 2015 em 10:31

    O homem não é criação divina, é criação do Diabo para quem acredita.

  2. Thomas Henrrique

    23 de setembro de 2014 em 17:22

    Muito interessante, mais basicamente falando ou melhor uma palavra que descrever muito bem essa questão e sobrevivência,e sobrevivência é instinto afinal de contas ninguém quer morrer e vc ou ele, nos iremos fazer o que for preciso para viver ate mesmo matar, nesse caso envolve território muitos animais inclusive nos humanos brigamos por território, no caso dos animais a finalidade dessa briga por território basicamente e por causa de comida na maioria dos casos,e ninguém sobrevive sem comida novamente entramos no instinto faremos o quer for preciso para viver sem mais.

    • Adriano Saadeh

      24 de setembro de 2014 em 12:45

      Muito bem expresso cara

  3. Blue

    21 de setembro de 2014 em 22:31

    a morte é natural,acontece o tempo todo e pelos mais diferentes motivos,matar é um jeito de eliminar a concorrência e ajudar na evolução,se dois machos querem uma fêmea,o macho mais forte mata o mais fraco,ou o macho mais esperto mata o mais burro,assim,só o macho sobrevivente tem filhotes,matar não é coisa de humanos,não é coisa de animais,é apenas matar,se uma pessoa morre por escorregar e quebrar a cabeça em uma parede,é culpa da parede? não,até uma planta pode matar

  4. eduardo (eduh)

    21 de setembro de 2014 em 14:22

    dá matéria as unicas coisa que ficaram ruim foi a comparação dos macacos a traficantes e chama eles de covardes….exagero..

  5. Nathan F

    20 de setembro de 2014 em 21:50

    Koba???

  6. Felipe Bleichvel

    20 de setembro de 2014 em 19:30

    Matar não é um instinto, é uma escolha (uma que até animais conseguem fazer).

    Uma das muitas coisas que separa seres humanos de animais, é a capacidade de refletir de forma mais intensa (mais consciente) sobre esse tipo de escolhas, por mais que alguns, algumas vezes se esqueçam disso. Afinal, já que tenho consciência de que um outro ser humano sente tanta dor quanto eu, o que levaria a querer infringi-la? o que impede as pessoas de ter empatia? seria soberba? orgulho? acho que seria impossível influenciar um animal com nossas praticas (pelo menos num ponto tão grave), já que não possuem nosso nível de pensamento, e eles sim se apegam ao instinto.
    Quando alguém se esquece da consciência , não é por que está seguindo seus instintos, é por que está se esquecendo das consequências das suas ações.

  7. Luís Felipe

    20 de setembro de 2014 em 18:07

    Matar é algo inerente ao ser humano, mas a maioria consegue suprimir isso.
    Idiota 1: “Claro q os chimpanzés são como nós, nó viemos deles”
    Idiota 2: “Isso só se aplica a animais, os seres humanos são fruto de uma criação divina, portanto, n possuímos instinto animal”

    • chapolim do mal

      20 de setembro de 2014 em 19:01

      Difícil decidir qual o mais idiota, o idiota que pensa que é cientista ou o idiota fanático.

    • Lobo Alfa

      20 de setembro de 2014 em 18:09

      são esse tipo de pesquisas como no post que nós faz refletir sobre nossas próprias ideias hmmm

  8. Luís Felipe

    20 de setembro de 2014 em 18:03

    #SomosTodosHumanos

  9. Jeff Dantas

    20 de setembro de 2014 em 18:00

  10. Raul Seixas

    20 de setembro de 2014 em 17:33

    Segundo a filosofia,os humanos também possuem extintos selvagens,porém a consciência e a moralidade noa fazem conseguir manter determinado controle sobre esse comportamento.

    • Raul Seixas

      20 de setembro de 2014 em 17:33

      nos*

  11. chapolim do mal

    20 de setembro de 2014 em 17:26

    Mas dos chimpanzés para os humanos tem a diferença da racionalidade que é maior em humanos e não devemos se equiparar a símios porque apesar de irmãos evolucionários a nossa consciência deveria ser bem maior.

    • Aguiar

      22 de setembro de 2014 em 20:01

      Acho que você interpretou o texto de forma inadequada…

    • Emmanov Kozövisck

      20 de setembro de 2014 em 20:30

      Acredito que o autor não deseja fazer esse tipo de comparação, mas sim desintegrar o mito de que “apenas o homem causa maldade ao mundo, os demais animais são santos”.

      • Adriano Saadeh

        24 de setembro de 2014 em 12:44

        Exato, salientando que essa espécie de macacos também age de forma premeditada, digamos assim

  12. Li Syaoran

    20 de setembro de 2014 em 17:02

    Tão arrogante quanto pensar que os humanos tem o monopólio da consciência é acreditar que temos o monopólio do maldade. Os animais sempre seguirão os seus instintos de sobrevivência: a razão apenas dos dá a chance de melhorá-los, mas não renegá-los.

19 Comentários
mais Posts
Topo