Minilua

Os mais macabros experimentos feitos em humanos #2

Todo avanço exige algum tipo de sacrifício. Mas até onde é válido sacrificar algo para obtermos um novo conhecimento? Essa é uma das questões mais polêmicas que existem no mundo, ainda mais quando os experimentos feitos envolvem seres humanos. Será que o sofrimento passado por essas pessoas valeu o conhecimento adquirido?

Sem anestesia

Em 1840, J. Marion Sims, um médico americano, realizou vários estudos cirúrgicos em escravos. Um de seus experimentos envolvia cirurgias vaginais sem anestesia. Durante mais de três anos, ele tentou encontrar a cura para fístula vesicovaginal, usando escravas como cobaias. Uma das mulheres chegou a ir 30 vezes para mesa cirúrgica, sem anestesia alguma, até ter seu problema resolvido.

Além disso, Marion praticava outras formas de curas bizarras, que incluíam a utilização de perfuradores de ferro, usado por sapateiros, para abrir buracos na cabeça de pessoas que sofriam de trismo.

Água fervendo

Dr. Walter Jones, nos idos de 1840, realizou alguns dos experimentos mais macabros da história da humanidade. Ele afirmou ter descoberto a cura para a febre tifoide, uma doença que causava muitos problemas na época. Assim, para testar seu remédio revolucionário, ele pegou alguns escravos e iniciou os testes.

O “milagroso remédio” feito por ele era água fervendo. Para aplicá-lo, o médico colocava o escravo deitado de barriga para baixo, depois despejava a água fervente sobre ele! Mas isso não era o bastante, o procedimento precisava ser feito de 4 em 4 horas! O médico morreu afirmando que muitos pacientes foram curados, mas, obviamente, isso jamais foi provado.

Tratamento de choque infantil

Lauretta Bender é uma médica de renome, que foi importante no desenvolvimento de alguns exames capazes de determinar se uma criança possui algum tipo de problema mental ou não. Porém, nem só de coisas boas é feita a sua história.

Em um dos experimentos mais insanos feitos por alguém, ela tratou crianças com problemas mentais a base de choque! Lauretta dizia que o choque dado fazia com que os problemas mentais desaparecessem, além disso, ela dopava as crianças com LSD e outras drogas poderosas. Muito se fala que essa médica estava ligada ao estranho projeto MK-ULTRA (programa ilegal e clandestino de experiências em seres humanos) da CIA.

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/