Minilua

As maiores armas já criadas pela humanidade

Com o passar do tempo, a humanidade desenvolveu uma enorme capacidade de criar armas extremamente mortais, mas as vezes acaba exagerando no tamanho:

Char 2C

Durante a Primeira Guerra Mundial, os ingleses desenvolveram um tanque chamado Mark I. Aquilo chamou a atenção dos franceses, afinal, se os britânicos tinham tanques, os franceses também queriam, só que um melhor.

Depois de diversas confusões, brigas e protótipos problemáticos, o Char 2C entrou em produção. Mas o tamanho do tanque e a quantidade de aço necessária fez com que a produção se atrasasse tanto, que a guerra já havia acabado e nenhum tanque tinha saído da linha de produção. Obviamente, a encomenda foi cancelada, mas os dez tanques que estavam sendo feitos foram terminados e entregues.

Cada tanque era um monstro de 69 toneladas, carregando uma metralhadora de 45 mm e duas de 22 mm aos lados. Além disso, na torre de frente havia um canhão de 75 mm. Para operar esse veículo eram necessários sete homens.

Cada uma das lagartas do tanque tinha um motor de 250 cavalos a puxando, o que lhe rendia uma velocidade máxima de 15 Km/h e uma mobilidade de até 150 Km, sem nenhum abastecimento. O monstro de aço media 10 metros de comprimento, 3 de largura e chagava aos 4 metros de altura na torre.

Esse tanque foi o único tanque superpesado da história a realmente entrar em batalha na Segunda Guerra Mundial, mas se mostrou extremamente ineficaz contra as armas antitanques e os poderosos Panzers alemães. No final de carreira, os tanques gigantes apareciam mais em propagandas para animar o povo francês do que em campo de batalha.

Mallet

Os morteiros são armas de curto alcance, que tem como objetivo jogar bombas, bolas de aço ou qualquer outra coisa que possa causar dano aos inimigos. Um campo de grande sucesso dessa arma foi a Primeira Guerra Mundial, onde jogar bombas por cima do inimigo era um ótimo negócio, que se tornou uma grande vantagem na guerra de trincheiras.

Mas antes disso, os morteiros já eram utilizados, pois eram ótimas armas contra muralhas. Em 1854, Robert Mallet desenvolveu um morteiro que entrou para a história como o maior de todos os tempos. A arma lançava projéteis de 914 mm, ou seja, os projéteis de aço tinham quase um metro de diâmetro.

Infelizmente, esse projeto audacioso nunca deu muito certo. Antes que a primeira unidade do Mallet saísse da fábrica, a empresa faliu. Depois disso, outras metalúrgicas assumiram o projeto, mas o morteiro precisava de muito pólvora para cada tiro, o que acabava destruindo a própria arma depois de alguns disparos.

Os melhores resultados atingidos pelo morteiro ocorreram em treinamentos, onde ele conseguiu jogar sua carga a uma distância de 2,5 Km, em um voo de 23 segundos. Mas como o Mallet pesava 42 toneladas e cada uma de suas munições tinha 1,25 toneladas, sua incapacidade de transporte o tornou obsoleto antes de sair da fábrica, além dele aguentar apenas alguns tiros antes de parar de funcionar…

Gustav e Dora

Essa poderosa arma é dona de diversos recordes envolvendo seu gigantesco tamanho. Criada pelos nazistas para ser usada durante o cerco a algumas fortalezas francesas, esse atirador ferroviário era capaz de derrubar qualquer parede com apenas um tiro. 

Quando montada, essa arma pesava mais de um milhão e trezentos mil quilos, sendo capaz de atirar projéteis de 7 toneladas a uma distância e 49 quilômetros. 

Apesar de ter sido desenvolvida para o ataque a França, esse monstro de metal foi utilizado apenas na Rússia, mas seus 47 metros de comprimento, por 7 de largura e 11 de altura, tornavam a arma muito lenta, sendo capaz de andar apenas sobre trilhos. Por isso, apenas duas delas foram construídas, uma era chamada de Gustav e a outra de Dora.

Até hoje essa arma mantém o título de maior calibre já utilizado em batalha, peça mais pesada de artilharia móvel do mundo e também foi o canhão que lançou os mais pesados projéteis de toda a história da humanidade.