As maiores descobertas do espaço #1

Não existe um limite para o que a mente humana seja capaz de imaginar, certo? Bem, as descobertas espaciais que você vai testemunhar desafiam os limites do que nós pensamos ou sequer imaginamos ser possível. Na verdade, algumas das descobertas espaciais neste artigo foram realmente encontradas por acidente, o que significa que as nossas pequenas mentes débeis não tinham noção de sua não existência. Por exemplo, as luas galileus, um planeta de diamante, e até mesmo um rastro de gás dividindo duas galáxias que tem cerca de 2,6 milhões de anos-luz de comprimento! Com todo o avanço tecnológico significativo relacionado com a exploração do espaço, cientistas e astrônomos estão em busca de novos objetos cósmicos e fenômenos. Portanto, parece que esta batalha entre o espaço e a nossa imaginação vai continuar (e estamos animados em dizer que vamos perder a batalha).
Boa leitura!




Reservatório de água gigante

açude

Enquanto os astrônomos tinham suspeitas que poderiam haver grandes quantidades de água no espaço exterior, em 2011, eles ficaram chocados ao descobrir uma enorme nuvem de vapor de água localizada cerca de 10 bilhões de anos-luz da Terra. Flutuando em torno de um buraco negro, a nuvem armazena cerca de 140 trilhões de vezes a massa de água encontrada em todos os oceanos da terra.




halo de gás quente

via Láctea

O Observatório Chandra X-Ray da NASA descobriu recentemente que nossa galáxia fica no centro de um imenso halo de gás quente que se estende por centenas de milhares de anos-luz. Queimando a uma temperatura de Kelvin 1-2.500.000.




Mundo gelo quente

Gliese 436 b

Em maio de 2007, uma equipe de astrônomos belgas anunciaram a descoberta de um planeta estranho coberto de água quente, mas sólido. Oficialmente conhecido como Gliese 436 b, este é um exoplaneta do tamanho de Netuno que orbita a anã vermelha Gliese 436. Embora a temperatura do Planeta atinja 439 graus celsius, a sua superfície aquosa não evapora. Em vez disso, forma-se uma espécie de gelo.




Misterioso planeta

Lava planeta

Apelidado de “The Hell Planet” por seu alto teor de queima de lava o Kepler-78 b é um exoplaneta que foi descoberto em 2013. O mistério deste planeta refere-se a sua origem como os astrônomos não têm idéia de como um planeta tão pequeno, apenas 20% maior que a Terra, poderia ter evoluído tão perto de sua estrela-mãe Kepler-78.




Fluxo enorme de hidrogênio

galáxia elíptica

Uma equipe internacional de astrônomos em Puerto Rico encontrou hidrogênio atômico com 2,6 milhões de anos-luz de comprimento entre a galáxia NGC 7448, a cerca de 500 milhões de anos-luz de distância. O que faz esta descoberta ser única é o fato de que fluxos de gás ser normalmente encontrados dentro de galáxias, não entre elas.




Luas galileanas

Luas galileanas

Quando Galileu Galilei, um famoso astrônomo renascentista italiano, voltou sua luneta recém-construída para o céu em 1610, ele não tinha idéia de que ele iria descobrir as quatro maiores luas de Júpiter (agora conhecidas como as luas de Galileu). Na verdade, nenhum cientista havia previsto que os outros planetas também têm as suas próprias luas.




Vácuo gigante

buraco negro

Também conhecidos como Canes Venatici Supervoid, o Vazio é extremamente grande localizado dentro da constelação de Canes Venatici. A descoberta desse vazio surpreendeu os astrônomos como suas teorias só foram capazes de lidar com menores áreas vazias no espaço. Medindo até 1,3 bilhões de anos-luz de diâmetro, o Vazio Gigante é o maior já detectado.




Urano

Urano

O sétimo planeta a partir do Sol, Urano foi descoberto por acaso. William Herschel, um astrônomo britânico nascido na Alemanha descobriu Urano em março de 1781 enquanto pesquisava estrelas brilhantes e estrelas fracas nas proximidades com o seu novo telescópio.




Primeiro asteróide

Ceres

Nomeado Ceres, o primeiro asteróide foi descoberto por um astrônomo italiano Giuseppe Piazzi em Palermo, Sicília, em janeiro de 1801, enquanto Piazzi estava compilando um catálogo de posições de estrelas. Localizado no cinturão de asteróides entre as órbitas de Marte e Júpiter, Ceres foi originalmente considerado um planeta por muitos anos. Hoje em dia, ele é classificado como um planeta anão.




Luzes em Ceres

Ceres

Falando sobre Ceres, houve outra descoberta inesperada relacionada a este objeto cósmico. Recentemente, astrônomos da NASA perceberam duas luzes brilhantes em Ceres. Refletindo cerca de 40% da luz que bate nele, eles acreditam ser as áreas de gelo ou sal. Alguns cientistas também sugerem que as luzes possam ter uma origem geológica ou vulcânica.




Quasar Quádruplo

quasar

Em maio de 2015, os astrônomos descobriram o primeiro quasar quádruplo. Composto por quatro buracos negros raros ativos, localizado em uma estreita proximidade um do outro, o quarteto está rodeado por uma nebulosa gigante de gás frio. De acordo com os astrônomos, a descoberta é uma coincidência de uma em dez milhões, e ela vai fazer-nos repensar os atuais modelos de evolução quasar.




Gigante nuvem de gás

nuvem de gás

Há alguns anos, os astrônomos foram surpreendidos com uma descoberta inesperada de uma grande nuvem de gás misteriosa. Agora conhecido como Himiko, a bolha tem sido identificada como uma nuvem de gás gigante. Com um comprimento de cerca de 55.000 anos luz e uma massa equivalente a cerca de 40 mil milhões a do sol, Himiko é um dos maiores e mais distantes objetos já encontrados no espaço.




Asteróide com anéis

Asteróide com anéis

Em 2014, pela primeira vez, astrônomos descobriram um sistema de anéis em torno de um asteróide. Encontrado em torno de um asteróide chamado Chariklo, os anéis são uma completa surpresa para os cientistas planetários, que não sabem exatamente como tais anéis foram formados. Uma de suas teorias sugere que eles podem ter se formado quando um outro objeto menor se chocou contra a superfície de Chariklo’s, levantando uma enorme quantidade de detritos que se instalou em anéis mantidos no lugar por gravidade.

  1. Eduardo Azrael

    19 de outubro de 2015 em 13:31

    Essa imagem do vácuo gigante é meramente ilustrativa (e representaria melhor um Buraco Negro). O tal vácuo gigante nada mais é do que uma área completamente deserta do espaço, sem planetas, estrelas, gases ou mesmo poeira. “Deserto Espacial” seria um nome mais adequado a essa área…

  2. Lynn Rock

    19 de outubro de 2015 em 11:51

    O espaço é incrível, sempre bom ler sobre ele.

  3. Luciano Saádeh

    17 de outubro de 2015 em 14:42

    Tão perto, mas tão longe… 🙁

  4. Everton Ferreira

    17 de outubro de 2015 em 13:40

    Com tanta coisa gostosa no Universo e o Galactus vem comer porcarias, como a Terra…

  5. Jonathan Nunes

    17 de outubro de 2015 em 12:37

    lembrando de alguns itens dessa lista se não me falha a memoria a terra ja foi quente extremamente quente,e tambem poderia possuir um cinturão de asteroides,sera que alguns desses ainda estão se formando para criar vida como a terra

  6. Eduardo Azrael

    17 de outubro de 2015 em 02:07

    Legal! Mais algumas curiosidades que poderiam aparecer em posts futuros:

    – Nuvem de água é para os fracos! Na Via Láctea existe uma gigantesca nuvem de álcool, descoberta em 2006, dezenas de vezes maior que o próprio Sistema Solar! Uma pena que provavelmente seja álcool metílico, ou seja, se beber morre…

    – A respeito das Luas de Galileu, é importante ressaltar que, na época, as noções de “planeta” eram um pouco diferente das atuais; a descoberta de Galileu foi um dos fatores cruciais que ajudaram a determinar a real natureza do que era um planeta, ou seja, um corpo maciço (embora alguns sejam gasosos), sem luz própria, que orbita uma estrela e, como tal, tem gravidade própria.

    – Quasares, até o início do Século XXI, eram tidos como um tipo de estrelas com radiação fotônica extremamente alta; observações de telescópios superpotentes levaram os astrônomos a acreditarem hoje que, na verdade, eles sejam buracos negros que emitem restos de luz e radiação. Por outro lado, a descoberta dos quasares duplos, triplos e quádruplos tende a talvez invalidar esta teoria, pois teoricamente dois ou mais buracos negros não poderiam co-existir tão próximos.

    – Ceres foi descoberto duas vezes; antes disso, porém, sua descoberta foi prevista por cálculos matemáticos que revelaram que deveria haver um planeta entre as órbitas de Marte e Júpiter. Na primeira vez em que foi observado, porém, ninguém tinha ideia que Ceres era tão pequeno e com uma órbita extremamente irregular, o que dificultou novas observações (seu descobridor ficou desacreditado, e por isso o asteroide teve de ser re-descoberto). Atualmente, ele é considerado um planeta-anão, embora seja bem menor que Plutão. Os mesmos cálculos que previram Ceres também previram a existência de Netuno, quase três séculos antes de sua descoberta!

    – Além das luas de Júpiter, Galileu foi também o primeiro a observar os anéis de Saturno; devido à precariedade de seu telescópio (para os dias de hoje; na época, era o melhor, claro), ele não conseguiu distinguir bem o que eram os anéis e achava que Saturno na verdade eram três planetas, ou um planeta com duas luas imensas.

    – Outro fato interessante sobre Chariklo é sua localização: ele está localizado em um ponto próximo entre Saturno e Urano, dois planetas que também possuem anéis (aliás, Saturno possui uma lua que também tem anéis!), mas ninguém sabe se isto tem alguma ligação com o fato do asteróide ter anéis. Chariko é também o maior asteroide do Sistema Solar (sem ser considerado um planeta-anão; Ceres é maior) e, supostamente, ele tem uma mini-lua que mantém seus anéis orbitando.

    • NZK|Reed

      19 de outubro de 2015 em 20:23

      uaaaaaaau *O*

  7. Willyam Ricardo

    16 de outubro de 2015 em 23:27

    Essas imagens são um espetáculo pra mim,
    matéria muito boa galera.
    Fiquei intrigado e muito curioso sobre o vácuo gigante e o quasar quadruplo . interessante
    [img]http://http://static.minilua.org/wp-content/uploads/2015/10/c769e3ff255e41697138e532fcdbb476_334095.jpg[/img]

  8. Felino

    16 de outubro de 2015 em 21:26

    Adorei o post! muito bom, continuem assim…

9 Comentários
mais Posts
Topo