Os maiores erros da humanidade #2

Errar é humano, mas algumas pessoas acabam cometendo erros tão grandes, que entram para a história com sua falta de sorte (ou mesmo burrice):




Invasão I

84246512117163518

No dia 23 de junho de 1812, Napoleão fez um de seus mais famosos movimentos: invadiu a Rússia. Até aquele momento, o pequeno francês tinha dominado diversos lugares da Europa, possuía total apoio do povo e era um dos maiores estrategistas militares desde Alexandre, o Grande.

Tudo se encaminhava para a criação de um dos maiores Impérios da história da humanidade, que poderia ter mudado os rumos do mundo.

Sem medo de nada, Napoleão juntou 600 mil homens e foi para cima dos russos. Porém ele não esperava que o povo da Rússia se mostrasse mais frio do que o gelo da Sibéria. Conforme os franceses avançavam, os defensores tocavam fogo nas próprias casas e plantações, o que deixou o exército atacante sem alimentos e abrigo. Bastou a chegada do inverno para que a campanha de Bonaparte fosse destruída.

Dos 600 mil homens que enviou, apenas 100 mil voltaram e em péssimo estados. Apesar das dificuldades, a Rússia se salvou. Já o embaraço do lado francês foi tanto, que essa derrota desencadeou a queda de Napoleão. Até hoje esse movimento é visto como um dos maiores erros do mundo.




Invasão II

oa

Hitler, que era fã declarado de Napoleão, ter tentado invadir a Rússia.




Abandono do mar

scienceblog-balanhai-zheng_he_ship_compared_to_columbus_rev1-final-2

Muito do poder das potências europeias veio das conquistas que eles fizeram no milênio passado, quando dominaram o mundo com suas navegações, porém tudo poderia ter sido bem diferente.

Muito antes dos europeus dominarem os mares, a China já viajava muito longe. No início do Século XIV, os chineses tinham navios com o dobro de tamanho do que os europeus conseguiram construir no século XV!

Depois de algumas perdas grandes em batalhas, a China parou de investir nas navegações, ficando com o que já tinha. Caso tivessem continuado suas explorações, eles poderiam ser os responsáveis pela maioria das descobertas feitas por ingleses, espanhóis, portugueses e holandeses. Suas colônias podiam ter chego aos cinco continentes, mas a tecnologia a frente do seu tempo foi deixada de lado e os chineses ficaram na pior, até resolverem quase escravizar seu povo para produzir para os outros…




Fogo na biblioteca

dicaetc12

Hoje em dia, quase todos os documentos e conhecimentos humanos estão guardados de maneira digital. Antigamente, tudo era no papel e um incêndio poderia apagar da face da Terra o conhecimento gerado por milhares de pessoas. Ou seja, se uma descoberta científica feita estivesse naquele livro e não houvessem cópias, um incêndio poderia simplesmente apagar todo aquele conhecimento e seria necessário que tudo fosse refeito.

Por isso, um dos maiores erros da humanidade foi não ter cuidado bem o bastante da biblioteca de Alexandria, pois lá existiam milhares de livros, que guardavam a maior parte dos conhecimentos humanos da época. É impossível saber quantas descobertas estavam lá documentadas. Imagine quantos anos no futuro o conhecimento científico poderia estar agora, pois coisas que já tinha sido descobertas, tiveram que ser redescobertas do zero, por outras pessoas.

  1. Ophelia Dilaurentis Soares

    1 de outubro de 2014 em 12:02

    graças aos deuses novos e antigos o infeliz do hitler não ganhou a guerra

  2. Ophelia Dilaurentis Soares

    1 de outubro de 2014 em 11:55

    mó mancada essa da biblioteca de Alexandria imagina quantos livros o mundo podia ter lido

  3. Erick Rosa Diogo

    1 de outubro de 2014 em 00:56

    “Hitler, que era fã declarado de Napoleão, ter tentado invadir a Rússia.”,vc resumiu dias de hisória em poucas linhas, muito interessante viu

  4. Rowling

    30 de setembro de 2014 em 23:34

    Livros <33

    Me doi a alma so de pensar em tantos queimados.

  5. Spelito

    30 de setembro de 2014 em 23:19

    “Hitler, que era fã declarado de Napoleão, ter tentado invadir a Rússia.” Okay né, ‘-‘
    Gostei da matéria, mas todos gostaríamos do máximo de informações possíveis, o/

  6. Terrorista

    30 de setembro de 2014 em 19:21

    ” Hitler, que era fã declarado de Napoleão, ter tentado invadir a maldita Rússia. ” …Tipo só isso? Espero que adicionem detalhes sobre a invasão nazista à URSS, ficou muito pobre.
    Bom, Napoleão deveria ter se preparado melhor para invadir a Rússia, se bem que ele não conhecia a tal estratégia genial dos russos, já Hitler conhecia, o grande erro não foi do Führer, e sim do Eixo, sobretudo, o Mussolini, que não conseguiu concretizar sua campanha na África e teve que pedir arrego pro Führer, e então fora enviado o contingente dos Afrika Korps, comandados pelo segundo melhor estrategista de Hitler, o Erwin Rommel, aquele que ficou conhecido como a raposa do deserto. Isso tudo adiou mais ainda a invasão da URSS, que seria a grande vitória Alemã e concretizaria o verdadeiro objetivo do nazismo: o Lebensraum e o fim do bolchevismo. Muitos acreditam que Hitler errou e não conhecia a estratégia dos russos, mas os planos do Führer só deram errado pelos atrasos, já que a invasão teve de ser adiada, o que foi o grande motivo do fracasso da Operação Barbarossa.

    • Mauro Trevisan

      27 de janeiro de 2015 em 21:51

      na verdade a derrota de hitler durante a barbarossa se deu a outros fatos como não iniciar seu primeiro projeto de rapidamente invadir a URSS e cercar as tropas russas e seguir as ordens de seus generais de atacar a URSS de a invadir sem cercar suas tropas principais outro erro não se preparar para o terrivel inverno russo além de alterar seu projeto varias vezes o que acabou dando no fracasso da operação barbarossa além de que a inteligencia russa estava espionando os nazistas e e além disso durante a segunda guerra mundial os russos não destruiram suas casas e plantações eles só fizeram isso durante as guerras napoleonicas

    • Wellington Bianchi

      5 de outubro de 2014 em 19:09

      Exatamente isso, muito bom hein…

  7. Kratosm4niaco ÷=÷

    30 de setembro de 2014 em 18:55

    Firw in the hole digo fire in the library.

  8. Adriano Hidden®

    30 de setembro de 2014 em 18:44

    Tenho uma grande repulsa a Napoleão Bonaparte desde a época que li pela primeira vez O Príncipe de Maquiavel com comentários dele e da Rainha Cristina da Suécia. Parecia um babaca qualquer que se encontra aos montes na internet…
    Mas sem duvidas foi uma grande personalidade de nossa história.

    • Adriano Saadeh

      1 de outubro de 2014 em 08:14

      Mas esse livro é bom demais

    • Terrorista

      30 de setembro de 2014 em 19:24

      Talvez Napoleão quisesse apenas um pouco de atenção.

  9. Verônica Addams

    30 de setembro de 2014 em 18:40

    Por vezes um erro vem de impulsos psicológicos, como por exemplo quando nos sentimos nervosos em acertar, e esse nervosismo nos atrapalha e erramos. (Ah vá) E não foi isso que aconteceu, nesse caso..

  10. Greg

    30 de setembro de 2014 em 18:40

    Esse post é maneiro…. seria um grande erro se parassem de dar continuação a ele… 🙂

    • Garota Infernal

      30 de setembro de 2014 em 19:02

      Bem bolado, bem bolado.

    • DCemblemático

      30 de setembro de 2014 em 19:00

      É só os usuários curtirem a matéria, assim essa série vai continuar he-he-he

      • Hermann Delgado

        30 de setembro de 2014 em 19:21

        nossa… nem sabia que tinha a opcao de curtir… TY

    • cara anonimo

      30 de setembro de 2014 em 18:53

      Isso mesmo, achei esse post muito interessante ^^

  11. Raul Seixas

    30 de setembro de 2014 em 18:34

    Não sei se foram erros,as vezes as coisas acontecem para melhorar o mundo,imagina se napoleão tivesse invadido a russia,ou talvez,se a biblioteca não tivesse pegado fogo,o homem estaria satisfeito com apenas aquelas descobertas e nem sequer teríamos evoluido tanto cientificamente,nunca saberemos se foi para o bem ou para o mal da humanidade esses eventos

    • Mutley

      30 de setembro de 2014 em 20:07

      Também pensei sobre isso … mas é incerto se tal fato viesse a ocorrer …

      • Jeff Dantas

        30 de setembro de 2014 em 20:55

        Bom, tudo depende de vcs…A mesma coisa, em relação aos meus posts! 🙂

  12. chapolim do mal

    30 de setembro de 2014 em 18:27

    Hitler, que era fã declarado de Napoleão, ter tentado invadir a maldita Rússia, se ele era tão fã deveria ter estudado que o fracasso de Napoleão foi terrível e seria a mesma coisa que aconteceria com a sua tentativa.
    A loucura que tomou conta da mente de Hitler o derrotou, se ele tivesse sido o mais frio possível e tivesse ignorado outros desejos talvez todos nós hoje falaríamos alemão, deixando claramente que eu não gostaria que isso acontecesse, mas essa seria a realidade.

    • Adriano Saadeh

      1 de outubro de 2014 em 08:13

      Que bom que ele foi tolo para não estudar né!
      xD

      • Terrorista

        1 de outubro de 2014 em 13:00

        Mas o Führer estudou pra caralho a vida do Napoleão, tanto é que o Napoleão era um dos maiores ídolos militares de Hitler.
        Os planos de Hitler eram dominar a URSS em 4 meses, antes da chegada do inverno. Mas os aliados do Eixo atrasaram tudo, principalmente o Mussolini. Enfim, o território russo fica em grande parte na Ásia, acredito que o Eixo teria melhores chances se o Japão imperial tivesse invadido a URSS por outra frente. Mas preferiram fazer cagada e atacaram Pearl Harbor, o que piorou mais ainda a situação porque os States entraram definitivamente na guerra. Acredito que o erro foi a falta de comunicação das potências do Eixo. Sorte pra alguns, azar pra outros.

        • Claude Forgeron Du Saints

          3 de outubro de 2014 em 16:39

          sim, dai os japas mexeram com os Yankees, o Yankees mandaram no Japao , ate Hoje tem Base Americana ali,agora imagine se o Brasil tivesse feito parte do Eixo?

    • Mutley

      30 de setembro de 2014 em 19:54

      A verdade é que Hitler se ferrou por não ter ouvido seus generais que o avisaram várias vezes sobre movimentos e ordens totalmente precipitadas , porém o füher acabou por mandar todo mundo pro olho da rua e comandar ele mesmo as frentes de batalha do Exército do Norte ,Centro e Sul fundidos em divisões ”A” e ”B” pelo mesmo. Isso quando o avanço das tropas nazistas ainda ocupavam grande parte da Europa ! ,Hitler se equivocou por não ter priorizado Moscou na campanha em terras soviéticas , preferiu atacar o berço do bolchevismo (Leningrado) ,assim como Stalingrado , cidades que culminaram na virada do confronto , fora os atrasos e fatores naturais como o Inverno e as fortes tempestades de neve que assolavam a região nessa estação causando prejuízos em grande escala aos invasores .

    • Terrorista

      30 de setembro de 2014 em 19:37

      Mas o objetivo desde o início era a dominação da URSS. O Nazismo foi criado para combater o Socialismo internacional, muitos empresários, inclusive americanos, como Henry Ford (criador da Ford Company), foram financiadores do Nazismo. Inclusive, Hitler tinha um quadro do Ford pendurado em seu escritório e dizia que Ford era para ele uma grande inspiração. Ford foi até condecorado na Alemanha, principalmente por ser um propagandista do antissemitismo (graças a ele, Hitler teve acesso ao protocolo dos sábios de sião, que foi a grande base para a política antissemita da Alemanha).
      A guerra com os ingleses e franceses foi um acidente, o próprio Führer dizia isto, até porque não foi a Alemanha que declarou guerra aos ingleses, franceses e poloneses, e sim estes que declararam guerra ao Terceiro Reich. As pessoas só lembram da invasão à Polônia em 39, mas esquecem que os poloneses barbarizaram com os alemães que viviam na área polonesa que pertencia a Alemanha antes da assinatura do Tratado de Versalles, o que obrigou os nazistas a se aliarem com os próprios inimigos, os bolchevistas.
      No mais, isso de dominação global nazista era mais história de guerra que ficou valendo até hoje, pois os nazistas perderam a guerra. Claro que o Nazismo cometeu barbaridades e tals, mas muitas coisas foram inventadas pelos vencedores, afinal, são os vencedores que contam a história.

    • Garota Infernal

      30 de setembro de 2014 em 19:04

      Ele era louco desde o início, suas ideias de construir um mundo “perfeito” usando a monstruosidade para isso eram insanas. Ele nunca foi a um campo de concentração porque ele não aguentava ver alguém sofrer, isso é uma característica peculiar.
      A língua alemã é feia. Português é inexpressivo. Queria que falássemos francês.

      • Emmanov Kozövisck

        30 de setembro de 2014 em 20:23

        Português é inexpressivo? Que afirmação tola… Aliás, o que é “expressivo” para você? Francês, uma língua repleta de requintes na pronúncia?

        • Garota Infernal

          30 de setembro de 2014 em 20:49

          Não vei, é que assim, tudo falado em francês tem mais força. Já ouvi franceses falarem naturalmente em minhas aulas fracassadas da língua, e eles são ótimos oradores também. Porém, pela falta de incentivo a leitura em voz alta nas escolas, a falta de ajuda ao gesticular e se comunicar, nem todos no Brasil sabem ler um texto (que nunca haviam lido, se leram mais de dias vezes eles falam com naturalidade) de forma fluente, não sabem colocar emoções e mudar o tom de voz em certas partes, por isso se torna inexpressivo, mas não é só por isso que eu acho a língua portuguesa um tanto quanto inexpressiva, é que eu acho que as palavras são fracas.
          Tipo, no meu curso (que eu larguei antes da 5 aula) eu ouvi muitas pessoas comuns da frança falando, e além da língua ser forte por natureza com palavras cheias do que aqui se chama de “sílaba forte” eles são bons leitores em voz alta, muito bons, mas isso se deve ao estímulo das escolas, não a língua, eu sei.
          A língua portuguesa é uma das mais difíceis de se aprender, cheia de detalhes e regrinhas, mas eu acho que na hora de falar, na dicção, na pronuncia das palavras elas são meio fracas de se falar, isso é pessoal, eu sei, ninguém pensa assim, mas eu vejo uma diferença gritante entre um brasileiro dizendo “Vá embora de minha casa, seu retardado” e um francês dizendo “Sors de ma maison, crétin!”. Pra mim tem mais paixão na língua francesa. Isso é pessoal.
          Mesmo que não concorde, na parte leitura temos que evoluir mesmo, hoje mesmo fiz teatro na escola, meu grupo foi muito bem, mas todo o resto da sala falava como um robô e esqueciam suas falas(Esqueciam o contexto, o sentido delas, o que mostra que também não sabem interpretar textos em pleno primeiro ano do ensino médio.), e é isso o que eu acho da leitura de muitos brasileiros, parecem robos, não há paixão.

          • chapolim do mal

            30 de setembro de 2014 em 21:03

            Isso é porque você nunca ouviu alguém, brasileiro, falando um palavrão, aquela que dá gosto de falar, um filha da puta bem falado vale por todos os palavrões franceses, de resto eu concordo com você.

          • Garota Infernal

            30 de setembro de 2014 em 21:09

            Depois de ouvir a briga das lésbicas em “Azul é a cor mais quente” eu nunca mudo de opinião. Continuo achando que os franceses tem mais paixão ao falar por que suas palavras são, como vocês dizem, “cheias de fru-frus.”

          • Emmanov Kozövisck

            30 de setembro de 2014 em 21:03

            Acredito que este seja um problema dos estudantes brasileiros, pois já ouvi oradores habilidosos lerem textos e, acredite em mim, é melhor do que qualquer estrangeirismo; “Vou te botar minha marca na cara, pústula!”, “Vou te tirar as tripas pra fora, corno!”. Um bom orador e o uso das palavras corretas pode transformar a leitura em relação ao texto. Quanto à dicção natural da língua, é evidente para muitos que o inglês, francês, alemão, italiano… são línguas que soam mais agradáveis e/ou expressiva aos ouvidos, mas acredito que isso se aplica apenas àqueles que não tem essas línguas como nativas. O que será que um terceiro dirá se perguntado o que acha sobre a pronúncia brasileira? Não sei.
            O francês é cheio de requintes e expressões rebuscadas que são desnecessárias para mim. Eu, que me encontro em um momento decisivo de transição nacionalista (logo eu, que aprecio as músicas em inglês e que gosto das animações japonesas!), acredito que o português é uma língua maravilhosa, que pode ser expressiva de acordo com as circunstâncias. Entretanto, tenho total respeito pelas demais línguas, que têm um ponto de origem em comum.

          • Garota Infernal

            30 de setembro de 2014 em 21:13

            Bom, mas eu gosto desse enrolado francês. Amo ouvir pessoas francesas lendo poesias. É uma questão de achar a língua bonita de se ouvir.
            Sim, o português tem grande variedade sim, isso é bom pra escrever. Amo escrever em português.
            Mas é muito gostoso conversar com franceses.

        • chapolim do mal

          30 de setembro de 2014 em 20:48

          Talvez ela não tenha se expressado corretamente, eu acho que o que ela quis dizer foi que a língua portuguesa não tem nada de especial quando falada, a alemã é um pouco estranha e a francesa é cheia de fru-frus o que a torna mais bela em sua opnião.

          • Emmanov Kozövisck

            30 de setembro de 2014 em 20:54

            Continua achando a opinião errônea, pois quem domina o vocabulário rebuscado português sabe muito bem que existem muitas – não são poucos- palavras e expressões cheias de “fru-frus”, mas a real beleza do português consiste na variedade linguística de sinônimos, neologismos (embora os melhores neologismos derivem da língua inglesa) e na liberdade na colocação do sujeito, do predicado e dos complementos. O português é a língua mais bela, pois é a minha língua de origem, o português brasileiro, o mais belo dentre todos os “portugueses” e a língua mais difícil de ser falada no continente americano [nacionalismo mode: on].

          • Garota Infernal

            30 de setembro de 2014 em 21:11

            Ah, mas você gosta do português. Honra o idioma com patriotismo, só que eu tenho uma opinião diferente. Só isso ^^

          • Garota Infernal

            30 de setembro de 2014 em 20:50

            É, isso, eu não tava achando as palavras certas. Eu acho a pronuncia das palavras em português BR sem graça, os portugueses pelo menos tem aquele sotaque ridículo.

      • Terrorista

        30 de setembro de 2014 em 19:51

        Mas os maiores gênios da história foram loucos, e com Hitler não foi diferente. Hitler era muito culto, sabia de cor trechos das obras de Nietzsche (que foram utilizadas a favor do Nazismo), decorava as gesticulações das óperas de Wagner e utilizava em seus discursos (por isso ele tinha aquele jeito “diferente” de discursar), adorava as belas artes, como pintura e literatura; Hitler gostava muito de ler, principalmente a literatura alemã e biografias de grandes imperadores, como Júlio César, Alexandre, o grande, Carlos Magno, Napoleão Bonaparte e etc., Hitler até se inspirava neles, mas, apesar de Hitler ter grande admiração por esses imperadores e pelas culturas inglesa, francesa e até a norte-americana, Hitler sabia apenas sobre a cultura germânica, e isso pode ter sido o grande problema dele. Pois ninguém poderia mudar o mundo conhecendo uma única cultura, isso é meio óbvio né. Talvez se Hitler fosse conhecedor de outras culturas ele poderia ter sido um verdadeiro “messias” ou sei lá.
        A cultura e a língua alemã são as mais lindas do mundo, você demonstra uma tremenda ignorância ao dizer isso, até porque aposto que você não conhece nada da cultura alemã. Vale apena lembrar que o Inglês, que também é uma das línguas mais bonitas do mundo, nasceu através dos celtas e germânicos.

        • Garota Infernal

          30 de setembro de 2014 em 20:37

          Eu não acho a cultura alemã bonita, nem a língua e nem as etnias de lá. A única pessoa alemã que eu acho bonita é o Arno Frisch, eu acho a Alemanha feia e nada lá me atrai.
          Não é questão de ignorância, é questão de gosto e opinião.

        • chapolim do mal

          30 de setembro de 2014 em 20:11

          Eu conheço um pouco da cultura alemã, não o suficiente para começar uma discussão mas sei que a língua e a cultura de qualquer país é sempre bonita a quem gosta e eu sinceramente não acho a língua inglesa bonita.

          • Nol

            1 de outubro de 2014 em 17:43

            Acho o inglês uma língua robótica demais, não sei direito, é como se ela tivesse sido criada para se tornar uma língua simples, propícia para ser uma língua mundial. Diferente das línguas latinas (na minha opinião português e italiano empatam como as línguas mais bonitas, depois vem francês e japonês) que parassem mais poéticas, como se tivessem sido feitas para serem bonitas, com uma musicalidade agradável, para músicas. Não acho o alemão bonito, mas mesmo assim é uma das minhas línguas preferidas, acho uma língua forte, aquela ideia de que um “eu te amo” em alemão tem ar de ameaça de morte.

      • chapolim do mal

        30 de setembro de 2014 em 19:25

        Queria falar espanhol, alias eu falo, mas eu queria que a língua oficial do país fosse o castelliano.

43 Comentários
mais Posts
Topo